Cenários arrebatadores são pano de fundo em 36 horas em St Maarten

Cenários arrebatadores são pano de fundo em 36 horas em St Maarten

Atualizado: Segunda-feira, 13 Dezembro de 2010 as 10:52

Entre as honras concedidas às ilhas do Caribe (mais bela praia, menos cara, mais relaxante), o prêmio para mais densamente desenvolvida provavelmente vai para St Maarten – a ilha meio holandesa, meio francesa, nas Antilhas Holandesas. Isso não quer dizer que a beleza natural da ilha está arruinada. Ela continua sendo um local deslumbrantemente pitoresco, com alguns dos cenários mais arrebatadores do Caribe (nisso ela também poderia receber um prêmio). Mas todo o desenvolvimento – hotéis-butique, cassinos, marinas, resorts – significa que os visitantes nunca ficarão carentes de opções. E graças a um boom aparentemente interminável de construção, essas opções continuam se multiplicando.

VEJA MAIS FOTOS AQUI  

Sexta-feira

17h - Para os amantes de vinhos

O pensamento convencional diz que o lado holandês da ilha (Sint Maarten) opera em um ritmo mais veloz do que o lado francês (Saint Martin). Na verdade, ambos são agitados – a principal diferença sendo que o lado holandês possui mais resorts completos de empresas conhecidas, enquanto o lado francês tem opções de propriedade familiar. Para uma introdução calorosa à ilha, siga para a cidade francesa de Grand Case e para o bar no Love Hotel (140 Boulevard de Grand Case; 590-590-29-87-14; love-sxm.com), que fica em palafitas sobre a areia, oferecendo um poleiro idílico para assistir o sol se por no mar. Aberto no ano passado por um casal jovem francês, o hotel conta com uma carta de vinhos estelar (5 euros a taça, ou US$ 6,80, com o euro cotado a US$ 1,36), a aperitivos pré-jantar como carpaccio de carne bovina (11 euros).

20h - Andes no Caribe

Você terá muito tempo para provar a culinária francesa rica em manteiga. Opte por algo menos convencional na Patagonia (Plaza Puerta del Sol, Simpson Bay Yacht Club; 599-544-3394; www.patagonia-restaurant.com), uma churrascaria argentina que abriu este ano no lado holandês. Não há o kitsch caribenho aqui: a atmosfera é moderna e elegante, com ardósia cinza escuro e paredes de pedra. Os filés e contra filés, importados da Argentina provenientes de gado alimentado com capim (US$ 25 a US$ 38), vêm com o molho de sua escolha (criolla, chimichurri ou malbec), uma salada e um acompanhamento.

22h - Jogando os dados

O jogo é um dos maiores atrativos de St Marteen. E fora uma buzina de iate ou o coachar das pererecas, o som sintetizados dos caça-níqueis pode ser o som mais reconhecido da ilha. Perto da fronteira francesa, o Princess Casino em Port de Plaisance (Cole Bay; 599-544-4311; princessportdeplaisance.com) parece distante da batucada incessante. Além das mesas habituais de vinte e um, pôquer e roleta, o cassino é conhecido por seus shows coloridos com dançarinas com tiaras de penas e vestidos ondulantes que deslizam pelo palco.

Sábado

10h - Praia de primeira

Poucas experiências são tão singulares em St Marteen como uma caminhada pela praia em Orient Bay, conhecida por seus bares de praia pulsantes em uma extremidade e pelo resort de nudismo na outra. Fique avisado: esta é uma praia onde roupas são opcionais. Ela fica com face leste, então chegue cedo e alugue uma cadeira e guarda-sol de um dos muitos bares que margeiam a praia. O preço por duas cadeiras e um guarda-sol é de aproximadamente 15 euros, e dois drinques costumam fazer parte do negócio. A Kakao Beach (em Orient Bay; 590-590-87-43-26; kakaobeach.com) possui um dos maiores trechos de mar e alguns dos melhores cenários, oferecendo não apenas cadeiras na areia, mas também mesas com coberturas de palha espalhadas por um pequeno bosque de palmeiras.

12h - Riviera de peixes e frutos do mar

A pequena cidade de Grand Case, no lado francês, é o centro culinário da ilha. Bistrôs franceses elegantes margeiam ambos os lados da rua principal, que abraça a praia. O Talk of the Town Too (Boulevard de Grand Case) não ganhará prêmios por requinte. Sua área de jantar ao ar livre consiste de mesas de piquenique, uma grelha e um cardápio em uma lousa. Mas há a brisa marítima agradável e você pode pechinchar sua refeição. Diga aos garçons que há uma competição pela lagosta grelhada e eles poderão lhe dar um desconto. Por aproximadamente US$ 20, espere uma cauda de lagosta de tamanho decente, acompanhada de arroz e feijão caseiros e uma espiga de milho. Para sobremesa, a um minuto de caminhada descendo a rua fica o La Crepe en Rose (Boulevard de Grand Case), um carrinho ambulante branco e cor-de-rosa que serve crepes em vários sabores, incluindo geleia de morango, damasco e Nutella, por 3 ou 3,50 euros.

14h - Um pouco mais longe

Parte da beleza natural da ilha está escondida atrás de coisas feias artificiais. Um exemplo: a caminhada pela reserva natural conhecida como Wilderness, no extremo norte da ilha. Para chegar lá, é preciso primeiro passar por um aterro sanitário. Mas assim que você passa pelo primeiro trecho repleto de lixo de sua trilha, sua recompensa será uma das vistas mais amplas da ilha. A trilha abraça uma colina íngreme em meio a campos de cactos e então conduz você a uma praia pedregosa. Continue andando e logo você chegará à recompensa – a praia isolada e imaculada de Petites Cayes.

17h - Cuidado com os jatos

As placas - elas dizem “Perigo” em letras vermelhas e descrevem um homem sendo carregado por um jato pousando - não poderiam ser mais claras. Mas isso não parece impedir as pessoas de irem à praia ao lado da pista do Aeroporto Internacional Princesa Juliana, para pular como se pudessem tocar as aeronaves em aproximação com a ponta de seus dedos. Este espetáculo provoca várias perguntas: eles não percebem que não dá para alcançar os aviões com um pulo? E não percebem o que aconteceria se conseguissem? Mantenha sua dignidade e assista de uma distância segura no Sunset Beach Bar and Grill (Caravanserai Resort; 599-545-2084; sunsetsxm.com). O barulho dos aviões ainda sacudirá sua mesa, enquanto você toma uma cerveja (US$ 3) e come suas pizzas (US$ 11 a US$ 15).

20h - Jantando ao lado do cais

Um dos novos empreendimentos imobiliários mais caros em St Maarten é o Porto Cupecoy (portocupecoy.com), um complexo com marina, condomínio e restaurante construído pela Orient Express Hotels. Tudo é imaculado, como as mesas impecavelmente arrumadas com guarda-sóis e o paisagismo perfeito. O mesmo vale para seus restaurantes. O Maximo Cafe (Porto Cupecoy; 599-554-0333), um restaurante francês de peixes e frutos do mar, está ganhando reputação como um dos melhores da ilha. As massas incluem tagliatelle com vieiras (US$ 22); entre os pratos principais está um filé de rodovalho com molho de uva riesling (US$ 55).

23h - Rum vermelho

Bares com ar caribenho tradicional – boia salva-vidas na parede, um guarda-sol no seu drinque – são fáceis de encontrar na ilha. Para algo que não tenha esse toque tropical, vá ao Red Piano (Pelican Resort; 599-544-6008) no lado holandês. O piano é de fato vermelho, assim como as paredes e mesas. Bandas ao vivo tocam em muitas noites e a ação prossegue madrugada adentro. Experimente o rum de cambuí vermelho, uma especialidade local (US$ 8).

Domingo

9h - Doce café da manhã

Um café da manhã decente e a bom preço pode ser difícil de encontrar. Mas ao longo do bulevar na orla marítima em Marigot, a capital do lado francês, se encontram duas padarias concorrentes que servem croissants (com chocolate e comum), tortas (de várias frutas, como morango e abacaxi) e bombas: La Sucrière (Boulevard de France; 590-590-51-13-30) e Sarafina’s (Boulevard de France; 590-590-29-73-69). Cinco euros são o mais caro que você pagará.

12h - Mergulho francês

Algumas praias são superdesenvolvidas. Outras são intocadas. Para algo intermediário, siga para Baie Rouge, no lado francês da ilha. A praia é ampla, em formato crescente e gradualmente inclinada, com areia fofa, cor de palha. Um cais natural se projeta em uma extremidade, oferecendo vistas dos penhascos elevados em cada ponta da praia. O acesso é simples. A praia fica à direita da estrada principal e há um estacionamento a poucos passos da areia, outro sinal de que na ilha eles constroem em qualquer lugar onde exista um terreno apropriado.

O básico

Alugar um carro é recomendado para circular pela ilha.

O Hotel L’Esplanade (Grand Case; 590-590-87-06-55; lesplanade.com) é um hotel-butique encantador no lado francês, com vista para o centro de Grand Case e para a praia. Todos os quartos possuem terraços privados e cozinhas, com diárias a partir de US$ 245.

O Love Hotel (140 Boulevard de Grand Case; 590-590-29-87-14; love-sxm.com) fica bem na praia no centro de Grand Case. Seus sete quartos foram recém-reformados, com móveis de madeira escura e paredes brancas. A partir de 105 euros (US$ 142).

La Samanna Resort & Spa (Baie Longue; 800-957-6128; lasamanna.com) é o lugar em St Marteen caso você queira que os amigos fiquem boquiabertos de inveja. O preço de entrada é alto: diárias dos quartos a partir de US$ 495. Mas este é um resort de serviço completo em um dos trechos de praia mais bonitos da ilha.

veja também