Chávez anuncia tomada de casas em ilhas turísticas da Venezuela

Chávez anuncia tomada de casas em ilhas turísticas da Venezuela

Atualizado: Quinta-feira, 6 Outubro de 2011 as 1:52

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou que seu governo vai tomar casas particulares no idílico arquipélago de Los Roques, no Caribe, e usá-las para turismo público, na iniciativa mais recente para implantar o socialismo no país.

"Eu sempre disse que deveríamos nacionalizar Los Roques," disse o sempre aguerrido Chávez, fazendo o anúncio num telefonema à televisão estatal, na noite de quarta-feira.

As dezenas de ilhas do arquipélago de Los Roques, ao norte da Venezuela, estão entre um dos pontos turísticos favoritos --e mais caros-- do país sul-americano, com praias de areia branquíssima, recifes de corais e rica vida marinha.

Muitas das ilhas são inabitadas, mas algumas possuem pequenas cabanas e casas particulares.

"Há algumas casas que foram construídas ilegalmente. Vamos tomar essas casas," disse Chávez, sem determinar quando isso será feito.

"Há alguns supostos proprietários. Eles privatizaram o lugar, por assim dizer --a alta burguesia, incluindo a internacional."

Desde que chegou ao poder, em 1999, Chávez vem nacionalizando grandes partes da economia do país, desagradando muitos membros da comunidade empresarial mas muitas vezes agradando seus seguidores, especialmente nas áreas pobres que formam suas bases de poder.

O líder de 57 anos, que está convalescendo após um tratamento contra um câncer e, nesse período, comunica-se com a nação principalmente por meio de telefonemas para a mídia estatal, disse que o governo construirá albergues "para o povo" em Los Roques.

Iates confiscados de banqueiros foragidos poderão ser usados para transportar turistas, ele acrescentou.

Não foi possível localizar imediatamente donos de imóveis em Los Roques para comentar a notícia.

Como a área é um parque nacional administrado pelo Estado, não está claro quantas pessoas puderem obter imóveis nela.

Chávez quer se reeleger em outubro de 2012. No passado, já buscou outras vezes reforçar seu apoio popular, atacando a elite e os ricos da Venezuela.

veja também