Com algumas das praias mais belas do Sudeste brasileiro, Ilha Grande (RJ) oferece águas cristalinas

Com algumas das praias mais belas do Sudeste brasileiro, Ilha Grande (RJ) oferece águas cristalinas

Atualizado: Quarta-feira, 7 Outubro de 2009 as 12

Maior ilha da baía de Angra dos Reis, Ilha Grande (RJ) reúne mais de cem praias - entre elas, algumas das mais bonitas do Sudeste brasileiro, como Lopes Mendes, Aventureiro e Cachadaço. O arquipélago, entretanto, oferece mais que cenários idílicos. As águas cristalinas abrigam rica vida marinha; as trilhas em meio à mata Atlântica que levam às enseadas descortinam ainda rios e cachoeiras; e o clima rústico é garantido pela informalidade da Vila do Abraão, o centrinho da ilha, e a ausência de carros - para chegar lá, só de barco, partindo de Angra ou Mangaratiba, em viagem de cerca de uma hora e meia.

O acesso pouco convencional é apenas um dos fatores que contribui para que a Ilha Grande continue com o astral de aldeia de pescadores, embora nos feriados e na alta temporada o movimento seja intenso. Os outros motivos ficam por conta da transformação da região em Parque Estadual e Reserva Biológica, o que colaborou para por fim aos acampamentos e construções irregulares. Também a existência de um presídio de segurança máxima - desativado em 1994 - contribuiu para o isolamento da ilha por muitas décadas.

A natureza exuberante faz com que o dia comece cedo na Ilha Grande - não dá para dormir muito levando em conta a infinidade de atrativos a serem descobertos durante os passeios. De barco, chega-se à Lagoa Azul, aquário natural e um dos cartões-postais da região em função da transparência das águas e da quantidade de peixes coloridos e estrelas-do-mar. Para os mergulhadores credenciados, os pontos de parada são os muitos naufrágios e as lajes repletas de tartarugas, robalos e moréias. Já caminhando - há trilhas para todas as praias -, o roteiro principal é o que conduz à paradisíaca paisagem formada pelas areias finas e brancas e o mar azul esverdeado de Lopes Mendes.

Para entrar no clima da ilha, circule pela Vila do Abraão, onde estão pousadas, restaurantes simples e bares com espaço de sobra para dançar forró a noite toda. Já para experimentar os melhores pratos de frutos do mar da região, inclua no passeio de barco a enseada do Saco do Céu. Por lá estão o rústico Coqueiro Verde e o sofisticado Reis e Magos, que servem moquecas e paellas à altura das vistas que descortinam.

O que ver e fazer

Curtir as praias

Ilha Grande abriga mais de cem praias e, uma característica é comum a todas elas: as águas cristalinas verdes e azuis. Protegidas pelo Parque Estadual, mantém a vegetação intocada e os cenários rústicos que, muitas vezes, revelam cachoeiras, ruínas históricas e comunidades de pescadores.

Passear de barco

Alguns dos mais belos recantos de Ilha Grande podem ser conhecidos através de passeios de barco. Entre os concorridos roteiros estão os que levam à praia de Japaris - passando por Lagoa Azul, Freguesia de Santana Leste e Saco do Céu - e à de Palmas, com uma hora de caminhada até Lopes Mendes e paradas na Ilha do Morcego e Abraãozinho. A maioria dos tours parte da Vila do Abraão.

Visitar a Gruta do Acaiá

A caverna, parcialmente inundada, é procurada pelos mergulhadores, que lá encontram cores e luzes diversas criadas pelas fendas na rocha. Quem vai por terra precisa encarar uma hora de caminhada até a Ponta do Acaiá (a partir da praia Vermelha) e uma escada improvisada que leva a um pequeno salão. É recomendável contratar guia e levar lanterna.

Caminhar pelas trilhas

Trilhas bem sinalizadas em meio à mata Atlântica cortam toda a ilha, descortinando belas praias como Lopes Mendes e cachoeiras de águas refrescantes como a da Feiticeira. Há percursos com os mais variados níveis de dificuldade e duração - as caminhadas podem durar entre dez minutos e quatro horas.

Mergulhar

As águas cristalinas e calmas de Ilha Grande fazem da região um concorrido point de mergulhadores. A rica vida marinha e os muitos naufrágios, em especial na face voltada para o continente, incrementam as opções. Os adeptos do snorkeling marcam presença na Lagoa Azul, um aquário natural repleto de peixes coloridos e estrelas-do-mar.

Tempo e Quando ir

Ilha Grande pode ser visitada o ano inteiro, sendo o outono e a primavera as melhores épocas em função das temperaturas amenas e dos dias claros. O movimento é grande no verão - costuma chover no final do dia - e nos feriados, quando as pousadas ficam lotadas e há filas para as balsas.

Como Chegar

De avião Os aeroportos mais próximos são os do Rio de Janeiro, a 116 quilômetros de Mangaratiba e a 166 de Angra dos Reis

De carro Vindo do Rio ou de São Paulo, acesso pela Rio-Santos (BR-101). Não é permitida a circulação de carros e motos na ilha. Os

automóveis devem ser deixados em Angra dos Reis ou Mangaratiba. Há estacionamentos nos arredores dos portos

De ônibus As empresas Costa Verde, Reunidas e Útil ligam cidades dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, respectivamente, a Angra dos Reis e Mangaratiba

Costa Verde - 21-2233-3809

Reunidas - http://www.reunidaspaulista.com.br

Útil - http://www.util.com.br

Maior ilha da baía de Angra dos Reis, Ilha Grande (RJ) reúne mais de cem praias - entre elas, algumas das mais bonitas do Sudeste brasileiro, como Lopes Mendes, Aventureiro e Cachadaço. O arquipélago, entretanto, oferece mais que cenários idílicos. As águas cristalinas abrigam rica vida marinha; as trilhas em meio à mata Atlântica que levam às enseadas descortinam ainda rios e cachoeiras; e o clima rústico é garantido pela informalidade da Vila do Abraão, o centrinho da ilha, e a ausência de carros - para chegar lá, só de barco, partindo de Angra ou Mangaratiba, em viagem de cerca de uma hora e meia.

O acesso pouco convencional é apenas um dos fatores que contribui para que a Ilha Grande continue com o astral de aldeia de pescadores, embora nos feriados e na alta temporada o movimento seja intenso. Os outros motivos ficam por conta da transformação da região em Parque Estadual e Reserva Biológica, o que colaborou para por fim aos acampamentos e construções irregulares. Também a existência de um presídio de segurança máxima - desativado em 1994 - contribuiu para o isolamento da ilha por muitas décadas.

A natureza exuberante faz com que o dia comece cedo na Ilha Grande - não dá para dormir muito levando em conta a infinidade de atrativos a serem descobertos durante os passeios. De barco, chega-se à Lagoa Azul, aquário natural e um dos cartões-postais da região em função da transparência das águas e da quantidade de peixes coloridos e estrelas-do-mar. Para os mergulhadores credenciados, os pontos de parada são os muitos naufrágios e as lajes repletas de tartarugas, robalos e moréias. Já caminhando - há trilhas para todas as praias -, o roteiro principal é o que conduz à paradisíaca paisagem formada pelas areias finas e brancas e o mar azul esverdeado de Lopes Mendes.

Para entrar no clima da ilha, circule pela Vila do Abraão, onde estão pousadas, restaurantes simples e bares com espaço de sobra para dançar forró a noite toda. Já para experimentar os melhores pratos de frutos do mar da região, inclua no passeio de barco a enseada do Saco do Céu. Por lá estão o rústico Coqueiro Verde e o sofisticado Reis e Magos, que servem moquecas e paellas à altura das vistas que descortinam.

O que ver e fazer

Curtir as praias

Ilha Grande abriga mais de cem praias e, uma característica é comum a todas elas: as águas cristalinas verdes e azuis. Protegidas pelo Parque Estadual, mantém a vegetação intocada e os cenários rústicos que, muitas vezes, revelam cachoeiras, ruínas históricas e comunidades de pescadores.

Passear de barco

Alguns dos mais belos recantos de Ilha Grande podem ser conhecidos através de passeios de barco. Entre os concorridos roteiros estão os que levam à praia de Japaris - passando por Lagoa Azul, Freguesia de Santana Leste e Saco do Céu - e à de Palmas, com uma hora de caminhada até Lopes Mendes e paradas na Ilha do Morcego e Abraãozinho. A maioria dos tours parte da Vila do Abraão.

Visitar a Gruta do Acaiá

A caverna, parcialmente inundada, é procurada pelos mergulhadores, que lá encontram cores e luzes diversas criadas pelas fendas na rocha. Quem vai por terra precisa encarar uma hora de caminhada até a Ponta do Acaiá (a partir da praia Vermelha) e uma escada improvisada que leva a um pequeno salão. É recomendável contratar guia e levar lanterna.

Caminhar pelas trilhas

Trilhas bem sinalizadas em meio à mata Atlântica cortam toda a ilha, descortinando belas praias como Lopes Mendes e cachoeiras de águas refrescantes como a da Feiticeira. Há percursos com os mais variados níveis de dificuldade e duração - as caminhadas podem durar entre dez minutos e quatro horas.

Mergulhar

As águas cristalinas e calmas de Ilha Grande fazem da região um concorrido point de mergulhadores. A rica vida marinha e os muitos naufrágios, em especial na face voltada para o continente, incrementam as opções. Os adeptos do snorkeling marcam presença na Lagoa Azul, um aquário natural repleto de peixes coloridos e estrelas-do-mar.

Tempo e Quando ir

Ilha Grande pode ser visitada o ano inteiro, sendo o outono e a primavera as melhores épocas em função das temperaturas amenas e dos dias claros. O movimento é grande no verão - costuma chover no final do dia - e nos feriados, quando as pousadas ficam lotadas e há filas para as balsas.

Como Chegar

De avião Os aeroportos mais próximos são os do Rio de Janeiro, a 116 quilômetros de Mangaratiba e a 166 de Angra dos Reis

De carro Vindo do Rio ou de São Paulo, acesso pela Rio-Santos (BR-101). Não é permitida a circulação de carros e motos na ilha. Os

automóveis devem ser deixados em Angra dos Reis ou Mangaratiba. Há estacionamentos nos arredores dos portos

De ônibus As empresas Costa Verde, Reunidas e Útil ligam cidades dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, respectivamente, a Angra dos Reis e Mangaratiba

Costa Verde - 21-2233-3809

Reunidas - http://www.reunidaspaulista.com.br

Útil - http://www.util.com.br

Maior ilha da baía de Angra dos Reis, Ilha Grande (RJ) reúne mais de cem praias - entre elas, algumas das mais bonitas do Sudeste brasileiro, como Lopes Mendes, Aventureiro e Cachadaço. O arquipélago, entretanto, oferece mais que cenários idílicos. As águas cristalinas abrigam rica vida marinha; as trilhas em meio à mata Atlântica que levam às enseadas descortinam ainda rios e cachoeiras; e o clima rústico é garantido pela informalidade da Vila do Abraão, o centrinho da ilha, e a ausência de carros - para chegar lá, só de barco, partindo de Angra ou Mangaratiba, em viagem de cerca de uma hora e meia.

O acesso pouco convencional é apenas um dos fatores que contribui para que a Ilha Grande continue com o astral de aldeia de pescadores, embora nos feriados e na alta temporada o movimento seja intenso. Os outros motivos ficam por conta da transformação da região em Parque Estadual e Reserva Biológica, o que colaborou para por fim aos acampamentos e construções irregulares. Também a existência de um presídio de segurança máxima - desativado em 1994 - contribuiu para o isolamento da ilha por muitas décadas.

A natureza exuberante faz com que o dia comece cedo na Ilha Grande - não dá para dormir muito levando em conta a infinidade de atrativos a serem descobertos durante os passeios. De barco, chega-se à Lagoa Azul, aquário natural e um dos cartões-postais da região em função da transparência das águas e da quantidade de peixes coloridos e estrelas-do-mar. Para os mergulhadores credenciados, os pontos de parada são os muitos naufrágios e as lajes repletas de tartarugas, robalos e moréias. Já caminhando - há trilhas para todas as praias -, o roteiro principal é o que conduz à paradisíaca paisagem formada pelas areias finas e brancas e o mar azul esverdeado de Lopes Mendes.

Para entrar no clima da ilha, circule pela Vila do Abraão, onde estão pousadas, restaurantes simples e bares com espaço de sobra para dançar forró a noite toda. Já para experimentar os melhores pratos de frutos do mar da região, inclua no passeio de barco a enseada do Saco do Céu. Por lá estão o rústico Coqueiro Verde e o sofisticado Reis e Magos, que servem moquecas e paellas à altura das vistas que descortinam.

O que ver e fazer

Curtir as praias

Ilha Grande abriga mais de cem praias e, uma característica é comum a todas elas: as águas cristalinas verdes e azuis. Protegidas pelo Parque Estadual, mantém a vegetação intocada e os cenários rústicos que, muitas vezes, revelam cachoeiras, ruínas históricas e comunidades de pescadores.

Passear de barco

Alguns dos mais belos recantos de Ilha Grande podem ser conhecidos através de passeios de barco. Entre os concorridos roteiros estão os que levam à praia de Japaris - passando por Lagoa Azul, Freguesia de Santana Leste e Saco do Céu - e à de Palmas, com uma hora de caminhada até Lopes Mendes e paradas na Ilha do Morcego e Abraãozinho. A maioria dos tours parte da Vila do Abraão.

Visitar a Gruta do Acaiá

A caverna, parcialmente inundada, é procurada pelos mergulhadores, que lá encontram cores e luzes diversas criadas pelas fendas na rocha. Quem vai por terra precisa encarar uma hora de caminhada até a Ponta do Acaiá (a partir da praia Vermelha) e uma escada improvisada que leva a um pequeno salão. É recomendável contratar guia e levar lanterna.

Caminhar pelas trilhas

Trilhas bem sinalizadas em meio à mata Atlântica cortam toda a ilha, descortinando belas praias como Lopes Mendes e cachoeiras de águas refrescantes como a da Feiticeira. Há percursos com os mais variados níveis de dificuldade e duração - as caminhadas podem durar entre dez minutos e quatro horas.

Mergulhar

As águas cristalinas e calmas de Ilha Grande fazem da região um concorrido point de mergulhadores. A rica vida marinha e os muitos naufrágios, em especial na face voltada para o continente, incrementam as opções. Os adeptos do snorkeling marcam presença na Lagoa Azul, um aquário natural repleto de peixes coloridos e estrelas-do-mar.

Tempo e Quando ir

Ilha Grande pode ser visitada o ano inteiro, sendo o outono e a primavera as melhores épocas em função das temperaturas amenas e dos dias claros. O movimento é grande no verão - costuma chover no final do dia - e nos feriados, quando as pousadas ficam lotadas e há filas para as balsas.

Como Chegar

De avião Os aeroportos mais próximos são os do Rio de Janeiro, a 116 quilômetros de Mangaratiba e a 166 de Angra dos Reis

De carro Vindo do Rio ou de São Paulo, acesso pela Rio-Santos (BR-101). Não é permitida a circulação de carros e motos na ilha. Os

automóveis devem ser deixados em Angra dos Reis ou Mangaratiba. Há estacionamentos nos arredores dos portos

De ônibus As empresas Costa Verde, Reunidas e Útil ligam cidades dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, respectivamente, a Angra dos Reis e Mangaratiba

Costa Verde - 21-2233-3809

Reunidas - http://www.reunidaspaulista.com.br

Útil - http://www.util.com.br

Maior ilha da baía de Angra dos Reis, Ilha Grande (RJ) reúne mais de cem praias - entre elas, algumas das mais bonitas do Sudeste brasileiro, como Lopes Mendes, Aventureiro e Cachadaço. O arquipélago, entretanto, oferece mais que cenários idílicos. As águas cristalinas abrigam rica vida marinha; as trilhas em meio à mata Atlântica que levam às enseadas descortinam ainda rios e cachoeiras; e o clima rústico é garantido pela informalidade da Vila do Abraão, o centrinho da ilha, e a ausência de carros - para chegar lá, só de barco, partindo de Angra ou Mangaratiba, em viagem de cerca de uma hora e meia.

O acesso pouco convencional é apenas um dos fatores que contribui para que a Ilha Grande continue com o astral de aldeia de pescadores, embora nos feriados e na alta temporada o movimento seja intenso. Os outros motivos ficam por conta da transformação da região em Parque Estadual e Reserva Biológica, o que colaborou para por fim aos acampamentos e construções irregulares. Também a existência de um presídio de segurança máxima - desativado em 1994 - contribuiu para o isolamento da ilha por muitas décadas.

A natureza exuberante faz com que o dia comece cedo na Ilha Grande - não dá para dormir muito levando em conta a infinidade de atrativos a serem descobertos durante os passeios. De barco, chega-se à Lagoa Azul, aquário natural e um dos cartões-postais da região em função da transparência das águas e da quantidade de peixes coloridos e estrelas-do-mar. Para os mergulhadores credenciados, os pontos de parada são os muitos naufrágios e as lajes repletas de tartarugas, robalos e moréias. Já caminhando - há trilhas para todas as praias -, o roteiro principal é o que conduz à paradisíaca paisagem formada pelas areias finas e brancas e o mar azul esverdeado de Lopes Mendes.

Para entrar no clima da ilha, circule pela Vila do Abraão, onde estão pousadas, restaurantes simples e bares com espaço de sobra para dançar forró a noite toda. Já para experimentar os melhores pratos de frutos do mar da região, inclua no passeio de barco a enseada do Saco do Céu. Por lá estão o rústico Coqueiro Verde e o sofisticado Reis e Magos, que servem moquecas e paellas à altura das vistas que descortinam.

O que ver e fazer

Curtir as praias

Ilha Grande abriga mais de cem praias e, uma característica é comum a todas elas: as águas cristalinas verdes e azuis. Protegidas pelo Parque Estadual, mantém a vegetação intocada e os cenários rústicos que, muitas vezes, revelam cachoeiras, ruínas históricas e comunidades de pescadores.

Passear de barco

Alguns dos mais belos recantos de Ilha Grande podem ser conhecidos através de passeios de barco. Entre os concorridos roteiros estão os que levam à praia de Japaris - passando por Lagoa Azul, Freguesia de Santana Leste e Saco do Céu - e à de Palmas, com uma hora de caminhada até Lopes Mendes e paradas na Ilha do Morcego e Abraãozinho. A maioria dos tours parte da Vila do Abraão.

Visitar a Gruta do Acaiá

A caverna, parcialmente inundada, é procurada pelos mergulhadores, que lá encontram cores e luzes diversas criadas pelas fendas na rocha. Quem vai por terra precisa encarar uma hora de caminhada até a Ponta do Acaiá (a partir da praia Vermelha) e uma escada improvisada que leva a um pequeno salão. É recomendável contratar guia e levar lanterna.

Caminhar pelas trilhas

Trilhas bem sinalizadas em meio à mata Atlântica cortam toda a ilha, descortinando belas praias como Lopes Mendes e cachoeiras de águas refrescantes como a da Feiticeira. Há percursos com os mais variados níveis de dificuldade e duração - as caminhadas podem durar entre dez minutos e quatro horas.

Mergulhar

As águas cristalinas e calmas de Ilha Grande fazem da região um concorrido point de mergulhadores. A rica vida marinha e os muitos naufrágios, em especial na face voltada para o continente, incrementam as opções. Os adeptos do snorkeling marcam presença na Lagoa Azul, um aquário natural repleto de peixes coloridos e estrelas-do-mar.

Tempo e Quando ir

Ilha Grande pode ser visitada o ano inteiro, sendo o outono e a primavera as melhores épocas em função das temperaturas amenas e dos dias claros. O movimento é grande no verão - costuma chover no final do dia - e nos feriados, quando as pousadas ficam lotadas e há filas para as balsas.

Como Chegar

De avião Os aeroportos mais próximos são os do Rio de Janeiro, a 116 quilômetros de Mangaratiba e a 166 de Angra dos Reis

De carro Vindo do Rio ou de São Paulo, acesso pela Rio-Santos (BR-101). Não é permitida a circulação de carros e motos na ilha. Os

automóveis devem ser deixados em Angra dos Reis ou Mangaratiba. Há estacionamentos nos arredores dos portos

De ônibus As empresas Costa Verde, Reunidas e Útil ligam cidades dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, respectivamente, a Angra dos Reis e Mangaratiba

Costa Verde - 21-2233-3809

Reunidas - http://www.reunidaspaulista.com.br

Útil - http://www.util.com.br

veja também