Companhias aéreas apostam na classe econômica superior, entre a econômica e a executiva

Companhias aéreas apostam na classe econômica superior, entre a econômica e a executiva

Atualizado: Segunda-feira, 8 Novembro de 2010 as 2:37

Não chega a ser uma executiva, mas para quem busca um pouco mais de conforto nos voos de longa distância, as companhias aéreas apostam nas chamadas classes econômicas superiores, uma espécie de meio termo entre os assentos da econômica e os da executiva. Com um pouco mais de espaço e, em alguns casos, amenidades e serviços melhores, as econômicas superiores têm tarifas que ficam em torno de 40% a 50% a menos que as da executiva.

Em valores absolutos, os preços não chegam a ser tão econômicos, mas, em comparação às tarifas da classe executiva, podem compensar. Na Air France, um bilhete de ida e volta Rio/Paris oferecido no site por R$ 2.103 na econômica, sai por R$ 3.573 na econômica superior e R$ 5.862 na executiva. Na British, a passagem Rio/Londres pela econômica sai por R$ 2.671, na superior fica a partir de R$ 3.855 e na business custa R$ 8.762.

-- É uma tendência das companhias aéreas, até pela diferença entre o preço da executiva e o da classe econômica. Os passageiros querem pagar mais por conforto, mas nem tanto - diz José Coimbra, diretor comercial da British Airways no Brasil, que oferece a World Traveller Plus no país há dez anos.

A Air France opera desde abril sua Premium Voyageur em voos para o Brasil:

- Com a crise, veio a necessidade natural por parte das empresas de manter o conforto e diminuir os gastos -- diz Silvia Levy, diretora de Marketing da Air France/KLM no Brasil.

Na Air France, a nova classe está disponível nos aviões Boeing 777-300ER, Boeing 777-200ER, A330 e A340. Além do espaço um pouco maior, dá direito à prioridade no check-in e no desembarque.

A Alitalia, a partir do ano que vem, vai começar a operar na rota Rio-Roma com o novo Airbus 330, com a classe Classica Plus. Entre os mimos incluídos estão fones de ouvido "noise reduction" e nécessaire de bordo com produtos de higiene pessoal da grife italiana Culti. No Brasil, a Gol-Varig oferece nos voos para Aruba, Barbados, Caracas e República Dominicana a Classe Comfort, com mais espaço entre as poltronas. Os clientes têm prioridade no check-in e acesso à sala VIP.

Em algumas destas companhias, é possível usar milhas para pagar a diferença para fazer o upgrade da econômica comum para a econômica superior. A pontuação de milhas acumuladas também é maior. Na Alitalia, que faz parte da SkyTeam, quem voa na Classica Plus acumula o dobro de milhas da econômica. Na Lan, que faz parte da One World, o passageiro que voa na classe Premium Economy acumula até 125% de milhas a mais.

A nova classe Comfort da Turkish Airlines estará disponível para os voos do Brasil a partir de 26 de dezembro nos Boeings 777 que vão entrar na rota São Paulo/Istambul. A tarifa inclui monitores individuais de 10,6 polegadas, apoio de pés e fonte USB. Na econômica superior a tarifa vai custar 50% menos que a da executiva.

Novas regras para a bagagem

Está em estudo pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) uma nova regulamentação para o transporte de bagagens, que será submetido à consulta pública no próximo ano. Segundo a agência, as mudanças ainda não estão definidas, mas uma das novidades que podem vir pela frente é o fim da franquia de bagagem em voos domésticos. Atualmente, cada passageiro pode despachar até 23 kg. Se esta regra cair, as empresas aéreas poderiam dar descontos ou passar a cobrar pelas bagagem de acordo com a quantidade de malas de cada passageiro, prática adotada pelas companhias aéreas do tipo "low cost" estrangeiras, principalmente em voos na Europa.

veja também