Conheça 10 destinos fascinantes que parecem de outro mundo

Conheça 10 destinos fascinantes que parecem de outro mundo

Atualizado: Sexta-feira, 1 Outubro de 2010 as 12:32

Um buraco azul no meio do oceano que pode ser visto do espaço, um vale formado por colinas que se assemelham a bombons de chocolate e uma geleira que se desmonta na sua frente. E esses sãos apenas três dos dez destinos mais fascinantes do mundo. A lista, elaborada pelo blog norte-americano de viagens Rate to Go, deixa de fora os passeios mais manjados, como as Pirâmides do Egito, a Ilha de Páscoa e o Deserto do Saara, para investir em lugares pouco habitados e surpreendentes. Algumas paisagens podem até parecer que são de outro planeta. Não é à toa que uma delas, um lago de sal na Tunísia, já serviu como cenário para a saga Star Wars.

Grande Buraco Azul (Belize)

Rodeado por uma barreira de corais em fórmula de círculo, o Grande Buraco Azul tem 300 metros de diâmetro e 125 metros de profundidade. A paisagem, uma das mais impressionantes do mundo, fica em Belize, país da América Central vizinho do México, e pode ser vista até do espaço. Mergulhadores costumam frequentar o paraíso natural. As águas são tão cristalinas que permitem à luz do Sol atingir 60 metros de profundidade.

Cordilheira de Bungle Bungle (Austrália)

Cravada no meio de um deserto no noroeste da Austrália, está a Cordilheira de Bungle Bungle. A cadeia de montanhas de cor alaranjada e listras pretas é o resultado da erosão e da movimentação de placas tectônicas nos últimos 20 milhões de anos, Os picos são arredondados, não ultrapassam 600 metros de altura e, no meio deles, é possível encontrar lagoas desertas. Se você já gastou até aqui, vale a extravagância: a melhor forma de ver a paisagem é de helicóptero.

Colinas de Chocolate (Filipinas)

Um monte de cones marrons aparentemente do mesmo tamanho, que lembram bombons. Essa é a Colina de Chocolate, paisagem impressionante localizada na Ilha Bohol, nas Filipinas. Os 1.268 montes não passam de 120 metros de altura e estão espalhados por um vale de 50 quilômetros quadrados. A cor marrom dos montes fica mais evidente no inverno, quando a seca mata praticamente toda a vegetação.

Geleira Perito Moreno (Argentina)

Localizado no Parque Nacional de los Glaciares, na Patagônia, Argentina, a Geleira Perito Moreno está sempre em atividade. É possível ver blocos de gelo se desprendendo e caindo montanha abaixo ou ouvir o barulho das rachaduras se formando na enorme parede branca de tons azulados. A geleira pode ser visitada o ano inteiro e há um serviço monitorado de trekking por parte do glaciar aos visitantes.

Tsingy de Bemaraha (Madagascar)

A Reserva Natural Tsingy de Bemaraha, no noroeste de Madagascar, é conhecida por formações de calcário em forma de lanças (tsingy) que formam uma floresta de pedra quase impenetrável ao homem, mas que serve de abrigo para inúmeras espécies animais - algumas delas ainda desconhecidas. Em uma área de 1.550 quilômetros quadrados, o parque tem mata nativa, pássaros e lêmures.

Lago Salgado Chott El-Jerid (Tunísia)

Chott El-Jerid, na Tunísia, é o maior lago de água salgada da África. Com uma extensão de 4.920 quilômetros quadrados, o Chott El Jerid fica 16 metros abaixo do nível do mar e já foi usado como cenário do clássico da ficção científica com lasers, Star Wars. No verão, a temperatura de cerca de 50 graus seca o lago, e os visitantes podem atravessá-lo. O reflexo do Sol no sal e em algumas espécies de algas dá o aspecto avermelhado da água.

Avenida dos Baoabs (Madagascar)

Segunda vez de Madagascar na lista, mas é merecida. O Baoab é a árvore símbolo de Madagascar. Em Menabe, no oeste da ilha, há uma formação de dezenas dessas árvores ao longo de uma estrada de terra - daí o nome desse paraíso. O baoab vive, em média, 800 anos e pode chegar a 100 metros de altura e 40 de diâmetro. Embora não esteja protegida por um parque nacional, a Avenida dos Baoabs é considerada uma das sete maravilhas da África.

Bryce Canyon (EUA)

Ao visitar o Bryce Canyon, no estado de Utah, Estados Unidos, não espere encontrar muros rochosos como no popular Grand Canyon. O Bryce é uma espécie de anfiteatro natural formado pela erosão e a força do vento e da água ao longo de milhares de anos. Turistas costumam ir ao cânion cedo para assistir ao nascer do sol e passam o dia no parque. No fim da tarde, a paisagem fica ainda mais impressionante.

Falésias Flamejantes (Mongólia)

A imagem de um deserto com tempestades de areia e dunas se desfazendo deve ser deixada de lado ao se visitar Flaming Cliffs, as Falésias Flamejantes, no deserto de Gobi, Mongólia. São quilômetros e mais quilômetros de terra batida e formações rochosas de cor alaranjada. Nessas falésias foram encontrados mais de cem esqueletos de dinossauros na década de 1920, além do que restou de um ovo. Pra nenhum fã de Jurassic Park botar defeito.

Lago Glacial de Jokulsarlon (Islândia)

Jokulsarlon é uma bacia glacial de 18 quilômetros quadrados, cheia de icebergs, localizada no sul da Islândia. Os icebergs quebram e são levados pela água aparentemente congelada do lago até o oceano, o que faz com que a paisagem nunca seja a mesma. Estima-se que a bacia tenha cerca de 200 metros de profundidade. É possível fazer excursão com veículos anfíbios por parte da bacia.

Um buraco azul no meio do oceano que pode ser visto do espaço, um vale formado por colinas que se assemelham a bombons de chocolate e uma geleira que se desmonta na sua frente. E esses sãos apenas três dos dez destinos mais fascinantes do mundo. A lista, elaborada pelo blog norte-americano de viagens Rate to Go, deixa de fora os passeios mais manjados, como as Pirâmides do Egito, a Ilha de Páscoa e o Deserto do Saara, para investir em lugares pouco habitados e surpreendentes. Algumas paisagens podem até parecer que são de outro planeta. Não é à toa que uma delas, um lago de sal na Tunísia, já serviu como cenário para a saga Star Wars.

Grande Buraco Azul (Belize)

Rodeado por uma barreira de corais em fórmula de círculo, o Grande Buraco Azul tem 300 metros de diâmetro e 125 metros de profundidade. A paisagem, uma das mais impressionantes do mundo, fica em Belize, país da América Central vizinho do México, e pode ser vista até do espaço. Mergulhadores costumam frequentar o paraíso natural. As águas são tão cristalinas que permitem à luz do Sol atingir 60 metros de profundidade.

Cordilheira de Bungle Bungle (Austrália)

Cravada no meio de um deserto no noroeste da Austrália, está a Cordilheira de Bungle Bungle. A cadeia de montanhas de cor alaranjada e listras pretas é o resultado da erosão e da movimentação de placas tectônicas nos últimos 20 milhões de anos, Os picos são arredondados, não ultrapassam 600 metros de altura e, no meio deles, é possível encontrar lagoas desertas. Se você já gastou até aqui, vale a extravagância: a melhor forma de ver a paisagem é de helicóptero.

Colinas de Chocolate (Filipinas)

Um monte de cones marrons aparentemente do mesmo tamanho, que lembram bombons. Essa é a Colina de Chocolate, paisagem impressionante localizada na Ilha Bohol, nas Filipinas. Os 1.268 montes não passam de 120 metros de altura e estão espalhados por um vale de 50 quilômetros quadrados. A cor marrom dos montes fica mais evidente no inverno, quando a seca mata praticamente toda a vegetação.

Geleira Perito Moreno (Argentina)

Localizado no Parque Nacional de los Glaciares, na Patagônia, Argentina, a Geleira Perito Moreno está sempre em atividade. É possível ver blocos de gelo se desprendendo e caindo montanha abaixo ou ouvir o barulho das rachaduras se formando na enorme parede branca de tons azulados. A geleira pode ser visitada o ano inteiro e há um serviço monitorado de trekking por parte do glaciar aos visitantes.

Tsingy de Bemaraha (Madagascar)

A Reserva Natural Tsingy de Bemaraha, no noroeste de Madagascar, é conhecida por formações de calcário em forma de lanças (tsingy) que formam uma floresta de pedra quase impenetrável ao homem, mas que serve de abrigo para inúmeras espécies animais - algumas delas ainda desconhecidas. Em uma área de 1.550 quilômetros quadrados, o parque tem mata nativa, pássaros e lêmures.

Lago Salgado Chott El-Jerid (Tunísia)

Chott El-Jerid, na Tunísia, é o maior lago de água salgada da África. Com uma extensão de 4.920 quilômetros quadrados, o Chott El Jerid fica 16 metros abaixo do nível do mar e já foi usado como cenário do clássico da ficção científica com lasers, Star Wars. No verão, a temperatura de cerca de 50 graus seca o lago, e os visitantes podem atravessá-lo. O reflexo do Sol no sal e em algumas espécies de algas dá o aspecto avermelhado da água.

Avenida dos Baoabs (Madagascar)

Segunda vez de Madagascar na lista, mas é merecida. O Baoab é a árvore símbolo de Madagascar. Em Menabe, no oeste da ilha, há uma formação de dezenas dessas árvores ao longo de uma estrada de terra - daí o nome desse paraíso. O baoab vive, em média, 800 anos e pode chegar a 100 metros de altura e 40 de diâmetro. Embora não esteja protegida por um parque nacional, a Avenida dos Baoabs é considerada uma das sete maravilhas da África.

Bryce Canyon (EUA)

Ao visitar o Bryce Canyon, no estado de Utah, Estados Unidos, não espere encontrar muros rochosos como no popular Grand Canyon. O Bryce é uma espécie de anfiteatro natural formado pela erosão e a força do vento e da água ao longo de milhares de anos. Turistas costumam ir ao cânion cedo para assistir ao nascer do sol e passam o dia no parque. No fim da tarde, a paisagem fica ainda mais impressionante.

Falésias Flamejantes (Mongólia)

A imagem de um deserto com tempestades de areia e dunas se desfazendo deve ser deixada de lado ao se visitar Flaming Cliffs, as Falésias Flamejantes, no deserto de Gobi, Mongólia. São quilômetros e mais quilômetros de terra batida e formações rochosas de cor alaranjada. Nessas falésias foram encontrados mais de cem esqueletos de dinossauros na década de 1920, além do que restou de um ovo. Pra nenhum fã de Jurassic Park botar defeito.

Lago Glacial de Jokulsarlon (Islândia)

Jokulsarlon é uma bacia glacial de 18 quilômetros quadrados, cheia de icebergs, localizada no sul da Islândia. Os icebergs quebram e são levados pela água aparentemente congelada do lago até o oceano, o que faz com que a paisagem nunca seja a mesma. Estima-se que a bacia tenha cerca de 200 metros de profundidade. É possível fazer excursão com veículos anfíbios por parte da bacia.

Um buraco azul no meio do oceano que pode ser visto do espaço, um vale formado por colinas que se assemelham a bombons de chocolate e uma geleira que se desmonta na sua frente. E esses sãos apenas três dos dez destinos mais fascinantes do mundo. A lista, elaborada pelo blog norte-americano de viagens Rate to Go, deixa de fora os passeios mais manjados, como as Pirâmides do Egito, a Ilha de Páscoa e o Deserto do Saara, para investir em lugares pouco habitados e surpreendentes. Algumas paisagens podem até parecer que são de outro planeta. Não é à toa que uma delas, um lago de sal na Tunísia, já serviu como cenário para a saga Star Wars.

Grande Buraco Azul (Belize)

Rodeado por uma barreira de corais em fórmula de círculo, o Grande Buraco Azul tem 300 metros de diâmetro e 125 metros de profundidade. A paisagem, uma das mais impressionantes do mundo, fica em Belize, país da América Central vizinho do México, e pode ser vista até do espaço. Mergulhadores costumam frequentar o paraíso natural. As águas são tão cristalinas que permitem à luz do Sol atingir 60 metros de profundidade.

Cordilheira de Bungle Bungle (Austrália)

Cravada no meio de um deserto no noroeste da Austrália, está a Cordilheira de Bungle Bungle. A cadeia de montanhas de cor alaranjada e listras pretas é o resultado da erosão e da movimentação de placas tectônicas nos últimos 20 milhões de anos, Os picos são arredondados, não ultrapassam 600 metros de altura e, no meio deles, é possível encontrar lagoas desertas. Se você já gastou até aqui, vale a extravagância: a melhor forma de ver a paisagem é de helicóptero.

Colinas de Chocolate (Filipinas)

Um monte de cones marrons aparentemente do mesmo tamanho, que lembram bombons. Essa é a Colina de Chocolate, paisagem impressionante localizada na Ilha Bohol, nas Filipinas. Os 1.268 montes não passam de 120 metros de altura e estão espalhados por um vale de 50 quilômetros quadrados. A cor marrom dos montes fica mais evidente no inverno, quando a seca mata praticamente toda a vegetação.

Geleira Perito Moreno (Argentina)

Localizado no Parque Nacional de los Glaciares, na Patagônia, Argentina, a Geleira Perito Moreno está sempre em atividade. É possível ver blocos de gelo se desprendendo e caindo montanha abaixo ou ouvir o barulho das rachaduras se formando na enorme parede branca de tons azulados. A geleira pode ser visitada o ano inteiro e há um serviço monitorado de trekking por parte do glaciar aos visitantes.

Tsingy de Bemaraha (Madagascar)

A Reserva Natural Tsingy de Bemaraha, no noroeste de Madagascar, é conhecida por formações de calcário em forma de lanças (tsingy) que formam uma floresta de pedra quase impenetrável ao homem, mas que serve de abrigo para inúmeras espécies animais - algumas delas ainda desconhecidas. Em uma área de 1.550 quilômetros quadrados, o parque tem mata nativa, pássaros e lêmures.

Lago Salgado Chott El-Jerid (Tunísia)

Chott El-Jerid, na Tunísia, é o maior lago de água salgada da África. Com uma extensão de 4.920 quilômetros quadrados, o Chott El Jerid fica 16 metros abaixo do nível do mar e já foi usado como cenário do clássico da ficção científica com lasers, Star Wars. No verão, a temperatura de cerca de 50 graus seca o lago, e os visitantes podem atravessá-lo. O reflexo do Sol no sal e em algumas espécies de algas dá o aspecto avermelhado da água.

Avenida dos Baoabs (Madagascar)

Segunda vez de Madagascar na lista, mas é merecida. O Baoab é a árvore símbolo de Madagascar. Em Menabe, no oeste da ilha, há uma formação de dezenas dessas árvores ao longo de uma estrada de terra - daí o nome desse paraíso. O baoab vive, em média, 800 anos e pode chegar a 100 metros de altura e 40 de diâmetro. Embora não esteja protegida por um parque nacional, a Avenida dos Baoabs é considerada uma das sete maravilhas da África.

Bryce Canyon (EUA)

Ao visitar o Bryce Canyon, no estado de Utah, Estados Unidos, não espere encontrar muros rochosos como no popular Grand Canyon. O Bryce é uma espécie de anfiteatro natural formado pela erosão e a força do vento e da água ao longo de milhares de anos. Turistas costumam ir ao cânion cedo para assistir ao nascer do sol e passam o dia no parque. No fim da tarde, a paisagem fica ainda mais impressionante.

Falésias Flamejantes (Mongólia)

A imagem de um deserto com tempestades de areia e dunas se desfazendo deve ser deixada de lado ao se visitar Flaming Cliffs, as Falésias Flamejantes, no deserto de Gobi, Mongólia. São quilômetros e mais quilômetros de terra batida e formações rochosas de cor alaranjada. Nessas falésias foram encontrados mais de cem esqueletos de dinossauros na década de 1920, além do que restou de um ovo. Pra nenhum fã de Jurassic Park botar defeito.

Lago Glacial de Jokulsarlon (Islândia)

Jokulsarlon é uma bacia glacial de 18 quilômetros quadrados, cheia de icebergs, localizada no sul da Islândia. Os icebergs quebram e são levados pela água aparentemente congelada do lago até o oceano, o que faz com que a paisagem nunca seja a mesma. Estima-se que a bacia tenha cerca de 200 metros de profundidade. É possível fazer excursão com veículos anfíbios por parte da bacia.

Um buraco azul no meio do oceano que pode ser visto do espaço, um vale formado por colinas que se assemelham a bombons de chocolate e uma geleira que se desmonta na sua frente. E esses sãos apenas três dos dez destinos mais fascinantes do mundo. A lista, elaborada pelo blog norte-americano de viagens Rate to Go, deixa de fora os passeios mais manjados, como as Pirâmides do Egito, a Ilha de Páscoa e o Deserto do Saara, para investir em lugares pouco habitados e surpreendentes. Algumas paisagens podem até parecer que são de outro planeta. Não é à toa que uma delas, um lago de sal na Tunísia, já serviu como cenário para a saga Star Wars.

Grande Buraco Azul (Belize)

Rodeado por uma barreira de corais em fórmula de círculo, o Grande Buraco Azul tem 300 metros de diâmetro e 125 metros de profundidade. A paisagem, uma das mais impressionantes do mundo, fica em Belize, país da América Central vizinho do México, e pode ser vista até do espaço. Mergulhadores costumam frequentar o paraíso natural. As águas são tão cristalinas que permitem à luz do Sol atingir 60 metros de profundidade.

Cordilheira de Bungle Bungle (Austrália)

Cravada no meio de um deserto no noroeste da Austrália, está a Cordilheira de Bungle Bungle. A cadeia de montanhas de cor alaranjada e listras pretas é o resultado da erosão e da movimentação de placas tectônicas nos últimos 20 milhões de anos, Os picos são arredondados, não ultrapassam 600 metros de altura e, no meio deles, é possível encontrar lagoas desertas. Se você já gastou até aqui, vale a extravagância: a melhor forma de ver a paisagem é de helicóptero.

Colinas de Chocolate (Filipinas)

Um monte de cones marrons aparentemente do mesmo tamanho, que lembram bombons. Essa é a Colina de Chocolate, paisagem impressionante localizada na Ilha Bohol, nas Filipinas. Os 1.268 montes não passam de 120 metros de altura e estão espalhados por um vale de 50 quilômetros quadrados. A cor marrom dos montes fica mais evidente no inverno, quando a seca mata praticamente toda a vegetação.

Geleira Perito Moreno (Argentina)

Localizado no Parque Nacional de los Glaciares, na Patagônia, Argentina, a Geleira Perito Moreno está sempre em atividade. É possível ver blocos de gelo se desprendendo e caindo montanha abaixo ou ouvir o barulho das rachaduras se formando na enorme parede branca de tons azulados. A geleira pode ser visitada o ano inteiro e há um serviço monitorado de trekking por parte do glaciar aos visitantes.

Tsingy de Bemaraha (Madagascar)

A Reserva Natural Tsingy de Bemaraha, no noroeste de Madagascar, é conhecida por formações de calcário em forma de lanças (tsingy) que formam uma floresta de pedra quase impenetrável ao homem, mas que serve de abrigo para inúmeras espécies animais - algumas delas ainda desconhecidas. Em uma área de 1.550 quilômetros quadrados, o parque tem mata nativa, pássaros e lêmures.

Lago Salgado Chott El-Jerid (Tunísia)

Chott El-Jerid, na Tunísia, é o maior lago de água salgada da África. Com uma extensão de 4.920 quilômetros quadrados, o Chott El Jerid fica 16 metros abaixo do nível do mar e já foi usado como cenário do clássico da ficção científica com lasers, Star Wars. No verão, a temperatura de cerca de 50 graus seca o lago, e os visitantes podem atravessá-lo. O reflexo do Sol no sal e em algumas espécies de algas dá o aspecto avermelhado da água.

Avenida dos Baoabs (Madagascar)

Segunda vez de Madagascar na lista, mas é merecida. O Baoab é a árvore símbolo de Madagascar. Em Menabe, no oeste da ilha, há uma formação de dezenas dessas árvores ao longo de uma estrada de terra - daí o nome desse paraíso. O baoab vive, em média, 800 anos e pode chegar a 100 metros de altura e 40 de diâmetro. Embora não esteja protegida por um parque nacional, a Avenida dos Baoabs é considerada uma das sete maravilhas da África.

Bryce Canyon (EUA)

Ao visitar o Bryce Canyon, no estado de Utah, Estados Unidos, não espere encontrar muros rochosos como no popular Grand Canyon. O Bryce é uma espécie de anfiteatro natural formado pela erosão e a força do vento e da água ao longo de milhares de anos. Turistas costumam ir ao cânion cedo para assistir ao nascer do sol e passam o dia no parque. No fim da tarde, a paisagem fica ainda mais impressionante.

Falésias Flamejantes (Mongólia)

A imagem de um deserto com tempestades de areia e dunas se desfazendo deve ser deixada de lado ao se visitar Flaming Cliffs, as Falésias Flamejantes, no deserto de Gobi, Mongólia. São quilômetros e mais quilômetros de terra batida e formações rochosas de cor alaranjada. Nessas falésias foram encontrados mais de cem esqueletos de dinossauros na década de 1920, além do que restou de um ovo. Pra nenhum fã de Jurassic Park botar defeito.

Lago Glacial de Jokulsarlon (Islândia)

Jokulsarlon é uma bacia glacial de 18 quilômetros quadrados, cheia de icebergs, localizada no sul da Islândia. Os icebergs quebram e são levados pela água aparentemente congelada do lago até o oceano, o que faz com que a paisagem nunca seja a mesma. Estima-se que a bacia tenha cerca de 200 metros de profundidade. É possível fazer excursão com veículos anfíbios por parte da bacia.

veja também