Conheça as cidades mais caras para o turista

Confira os destinos mais caros

Atualizado: Terça-feira, 31 Janeiro de 2012 as 10:03

De três em três anos, os economistas da empresa de finanças suíça UBSpublica um estudo sobre preços e salários em diferentes cidades do planeta.

No final de 2011, a última edição de 2009 foi atualizada com informações sobre 73 cidades. Baseado em diferentes indicadores, como o câmbio, o preço de restaurantes e quartos de hotéis, o estudo traz, entre outras informações, a lista das cidades mais caras para os turistas que as visitam.

Veja a seguir uma lista das quinze cidades mais caras do informe da UBS.

Oslo, Noruega: os preços da capital da Noruega são altos mas, pelo menos, consistentes. Desde 2006, Oslo ocupa o primeiro lugar na lista de cidades mais caras para turistas. O preço médio de um quarto de hotel chega a R$ 294 noite. E não é apenas o alojamento que pode pesar no bolso: uma garrafa de água mineral, por exemplo, custa frequentemente 6 dólares.

Zurique, Suíça: os suíços têm a sorte de ganhar bons salários que permitem viver confortavelmente em cidades tão caras quanto Zurique. Mas para os estrangeiros, o ritmo fica difícil de aguentar. Durante o verão, turistas visitam a cidade para aproveitar o Lago Zurique sob o sol. Durante o inverno, claro, a cidade é tomada por esquiadores em busca das belas pistas dos Alpes suíços. Na primavera e no outono, os preços caem um pouco, mas continuam salgados, e o preço médio de uma diária de hotel na cidade é de R$ 390.

Genebra, Suíça: apesar de não ter obtido o primeiro lugar, a Suíça conseguiu posicionar duas de suas principais cidades no pódio das cidades mais caras para turistas. Depois de Zurique, na segunda posição, é a vez de Genebra arrebatar o terceiro lugar, ultrapassando Copenhague. O valor do franco suíço é um dos principais motivos dos preços altos no país e, em Genebra, outra razão é o alto poder aquisitivo dos habitantes da cidade. O preço médio de uma noite de hotel em Genebra é de R$ 467.

Copenhague, Dinamarca: a capital da Dinamarca caiu apenas uma posição passando do terceiro ao quarto lugar na lista de cidades mais caras para se visitar. Na hora de passear pela capital, cheia de lojas de design, restaurantes gastronômicos e cafés aconchegantes, é preciso tomar cuidado para que o seu bolso não sofra demais. O preço médio para passar uma noite em um hotel de Copenhague é de R$ 303.

Estocolmo, Suécia: num contexto difícil para o velho continente, a Suécia conseguiu amenizar os efeitos da crise econômica europeia. A forte economia do país fez com que sua capital, Estocolmo, passasse do 16º lugar em 2009 ao 5º lugar em 2011. Em média, uma noite de hotel na capital sueca custa R$ 330.

Tóquio, Japão: a imensidão de Tóquio vem acompanhada de uma característica que não escapa aos olhos (e bolsos) dos visitantes. Tóquio é uma cidade muito cara: apesar de ser possível alimentar-se e passear sem gastar demais, conseguir um hotel razoável acaba pesando bastante no bolso. Um quarto de hotel na capital japonesa custa, em média, R$ 284 por noite. Em 2012, em consequencia do violento terremoto que abalou o país em 2011, os preços devem cair.

Sydney, Austrália: em 2009, Sydney ocupava a 36ª posição do ranking das cidades mais caras para visitar. Desde então, a cidade subiu de maneira notável, atingindo atualmente o sétimo lugar. O principal motivo foi a valorização do dólar australiano, que levou ao aumento de preços como os de restaurantes e hotéis, com quartos que atingem, em média, R$ 300 por noite.

Helsinque, Finlândia: até agora, a Finlândia se manteve relativamente protegida da crise econômica europeia, e sua capital, Helsinque, encontra-se na oitava posição na lista dos países mais caros para turistas. Mas alguns relatórios recentes mostraram que a recessão pode estar atingindo o país, o que pode fazer de Helsinque uma cidade mais acessível nos próximos meses. O preço médio de um quarto de hotel é de R$ 284 por noite.

Toronto, Canadá: houve uma época na qual americanos vivendo perto do Canadá cruzavam a fronteira para aproveitar os preços baixos devidos ao câmbio favorável entre o dólar americano e o dólar canadense. Mas hoje as coisas mudaram: o dólar canadense se valorizou e os preços subiram. Toronto, maior cidade do Canadá, passou do número 31 ao número 9 entre 2009 e 2011 no ranking de cidades mais caras. Um quarto de hotel em Toronto custa, em média, R$ 230.

Cingapura: enquanto a Europa e os Estados Unidos lutam contra a crise, Cingapura não tem do que reclamar. A moeda do micro estado, o dólar de Cingapura, ganhou força nos últimos anos, o que fez com que os preços aumentassem. Cingapura ganhou quatorze posições desde 2009 na lista de cidades mais caras para os turistas. Apesar de ainda existirem alguns pequenos hotéis relativamente baratos, o preço médio de uma diária de hotel é de R$ 355.

Viena, Áustria: Viena é uma das capitais mais belas da Europa, mas também uma das mais caras. Apesar de ter caído algumas posições em relação a 2009 na lista das cidades mais caras, a capital austríaca tem preços altos para turistas, e é difícil encontrar pechinchas na hora de alugar um quarto de hotel. A média do preço das diárias de Viena é de R$ 212, e muitos habitantes locais recomendam a alternativa de alugar um apartamento.

Paris, França: nos últimos anos, Paris viu uma queda em seus preços, devido principalmente à crise que afeta também a França. Mas a capital francesa não deixa de ter preços salgados, e o euro ainda está muito valorizado, afetando sempre os bolsos dos turistas de passagem no local. A média para passar uma noite em um hotel da Cidade Luz é de R$ 330.

Luxemburgo: pequeno país situado entre a França, a Bélgica e a Alemanha, Luxemburgo tem belos castelos e vinhedos. Mas o país é também um dos mais caros da União Europeia e, apesar de ter alguns albergues que permitem economizar alguns euros, a média do preço das diárias de Luxemburgo é de R$ 435.

Nova York, Estados Unidos: Nova York é conhecida por seus arranha-céus, suas incontáveis lojas e seu estilo descolado e inconfundível. Mas, apesar de seus preços terem baixado por conta da crise, e de a cidade ter caído do 6º ao 14º lugar na lista, Nova York ainda é a cidade mais cara dos Estados Unidos, e a média diária para passar uma noite num hotel nova-iorquino é de R$ 430.

Londres, Inglaterra: há poucos anos, Londres assustava os turistas com seus preços altos, com a libra que era muito forte frente às outras moedas. Mas apesar de a moeda inglesa ter perdido bastante valor e os preços terem caído, Londres é uma cidade cara, com um câmbio desfavorável para os turistas. Um quarto de hotel na capital inglesa sai, em média, R$ 308.

veja também