Conheça o Amazonas e suas belezas em passeio de barco

Conheça o Amazonas e suas belezas em passeio de barco

Atualizado: Terça-feira, 20 Dezembro de 2011 as 9:49

"Nas águas do rio Amazonas/O meu coração se banhou no fundo encantado/Do lado de lá, a voz da Iara chamou, ouvi chamar...".  

A música de Dori Caymmi, Rio Amazonas, faz uma homenagem à região considerada uma das Sete Novas Maravilhas Naturais do Mundo, em eleição realizada este ano. A ode é justa. O rio é um belo atrativo para turistas que gostam de natureza e tranquilidade. No caminho que pode te levar às cidades do interior do Estado, muitas belezas e surpresas a cada curva.

Saindo do píer de Ponta Negra, em Manaus, em uma embarcação, são 267 km até chegar em Maués, cidade do interior do Amazonas. No caminho, a mata amazônica, os animais e a tranquilidade do rio são convites para curtir a paisagem, refletir sobre a vida e descansar.

A via fluvial é a principal forma de comunicação dos moradores ribeirinhos com a capital Manaus e com outras cidades. Os moradores da região têm barcos que os levam para a escola, hospital etc. Vale a pena observar no caminho as casas e as formas de viver destas pessoas que estão tão afastadas das cidades. Quem vive em uma cidade grande percebe logo a diferença.

No caminho, é possível ver botos e jacarés se alimentando, além de outros animais que vivem às margens do rio.

Aproveite este momento para se desligar do mundo, já que são poucas as chances de ter conexão de internet ou sinal de telefone disponível. A sensação de estar "ilhado" é melhor do que se imagina quando você relaxa e aproveita a paisagem e o sossego.

Maués

Para chegar à Maués é preciso entrar no rio Maués-Açu. Diferentemente do Rio Amazonas, que é grande, sendo difícil ver as duas margens em alguns trechos, o rio que leva a Maués é pequeno, mas não menos belo.

A cidade é considerada uma das mais bonitas do Amazonas por conta de suas praias de águas límpidas. Para as festas locais, as margens do rio ficam lotadas de embarcações de turistas que vêm tanto de Manaus como de outras cidades amazonenses e Estados.

Conhecida como a "terra do guaraná", Maués tem uma das populações mais longevas do Brasil. A prefeitura atribui a isso às condições climáticas, alimentação (conhecida como dieta amazônica a base de peixes, legumes e verduras) e ao guaraná. Vale a pena viver este clima por alguns dias e adotar alguns hábitos em seu dia a dia. A alimentação leve e o calor da cidade - que extrapola os 30° - colaboram para uma vida mais saudável e mais ativa. Fora isso, os moradores de regiões afastadas das cidades se "exercitam" subindo os morros e em longas caminhadas pela mata.

Não deixe de levar protetor solar e repelente. Além disso, para visitar a região é recomendado ter as vacinas em dia, inclusive a que previne a febre amarela.

Atrativos naturais

- Pororoca: este fenômeno acontece quando há o encontro entre as águas de um rio e do oceano. No caso da Amazônia, é o encontro entre o Rio Amazonas e o Oceano Atlântico. Muitos turistas vêm de outros países só para ver o fenômeno e alguns surfistas até aproveitam a "onda" para se divertir. - Encontro das águas: as águas barrentas do Paraná do Uraria encontram-se com as águas escuras do rio Maués-Açu, formando um contraste muito bonito. Vale a pena conferir. - Praias: entre as praias de Maués, destaca-se a da Maresia, onde são realizadas as festas do guaraná e o festival de verão. Areia clara e águas límpidas e quentes são muito convidativas.

Tribo indígena

Sob forte influência indígena, as cidades da Amazônia carregam traços de tribos que estão em terra firme bem antes dos brancos. As lendas e os mitos permanecem como parte da cultura desta região.

Em Maués, a tribo de maior concentração é a Saterê-Mawé localizada no rio Marau com uma população de 4200 índios, de acordo com levantamento local.

Esta população é grande responsável por toda a cultura local que é sempre relembrada em festas, como a festa do guaraná que leva aos palcos as histórias indígenas que explicam, entre outras coisas, o surgimento do guaraná - fruto responsável pela economia local e que emprega grande parte da população.

Para visitar a tribo, porém, só com agendamento e autorização do pajé. Algumas agências organizam os passeios nas tribos, é preciso se informar. Um dos rituais mais expressivos deles é o da tucandeira, em que cerca de 200 formigas são colocadas dentro de uma luva de palha para vestir as mãos dos pequenos índios que estão passando da infância para a fase adulta e recebem as picadas por cerca de cinco minutos.

veja também