Conheça os maoris, a população aborígene da Nova Zelândia

Conheça os maoris, a população aborígene da Nova Zelândia

Atualizado: Quarta-feira, 3 Fevereiro de 2010 as 12

No title Maori significa "normal", "ordinário" em Reo M&>57;ori, língua mãe da população aborígene de Aotearoa - Nova Zelândia, em português. Extremamente amigáveis e vibrantes, falam alto, têm risada forte e um traço distintivo e notável são as suas tatuagens faciais (as tatuagens "moko"). E se maori lembra aquela assustadora saudação dos All Blacks (conhece? Eles batem no peito, fazem cara feia e gritam palavras que soam ameaçadoras, até o ponto de amedrontar os mais duros jogadores de rugby), é maori a voz de uma das grandes vozes da ópera: Kiri Te Kanawa.

A maori é uma das culturas mais fascinantes da terra, e um atrativo adicional para conhecer estas ilhas do sul do Pacífico. Hoje a população maori, originalmente da Polinésia, totaliza 15% da população neozelandesa. Nove de cada dez moram na Ilha Norte e um quarto fala a língua nativa. Muitos estão integrados às capitais, mas há ainda redutos onde a cultura original é preservada.

Diz a lenda que a criação da Tamaki Tours, dez anos atrás, foi fundada pela venda de uma Harley Davidson de um dos seus sócios, os imãos maoris Doug e Mike. Esta empresa propõe a experiência de uma visita ao povoado Tamaki, em Rotorua. Guias maoris falam sobre os tempos prévios à chegada dos europeus, e apresentam ao visitante os valores básicos da cultura, seu artesanato, sua música e sua comida.

Já na excursão ao povoado de Christchurch conhece-se o impacto da colonização na cultura local. O empreendimento é um sucesso: a Harley original foi substituída por uma nova, e o segundo irmão também ganhou uma.

O ecoturismo tem nos maoris aliados muito especiais: a relação de sua cultura com a natureza faz deles guias privilegiados para quem quer conhecer a floresta neozelandesa, uma das mais ricas do planeta. Empreendimentos familiares maories cuidam de avistagem de baleias (o caso da Whale Watch Kaikoura, na Ilha Sul) e de excursões a parques nacionais como o da Kapiti Island, onde é possível conhecer algumas das espécies ameaçadas mais raras, como a ave nacional, o kiwi.

veja também