Conheça Salvador gastando pouco

Conheça Salvador gastando pouco

Atualizado: Terça-feira, 6 Abril de 2010 as 12

Depois do verão, a grana fica mais curta e viagens acabam em segundo plano. Mas é exatamente nesse período que os preços caem. Vale a pena tirar uns dias de folga e aproveitar os preços da baixa estação. Há sempre opções legais de programas bem em conta para quem não pode gastar muito, mas não abre mão de uma viagem. Salvador é um desses destinos. Mistura de som, cores e cultura, a cidade tem atrativos para todos os gostos. E tudo isso pode ser curtido sem deixar as contas no vermelho.

O Guia do Litoral preparou uma lista de programas legais com preços acessíveis para quem quer conhecer Salvador. Faça as contas e escolha os programas que cabem no seu bolso.

Farol da Barra: bela paisagem, pôr do sol e história. Foto: Sérgio Pedreira

Praia do Porto da Barra é point de todas as tribos. Crédito: Marina Silva

Barra: lá se encontra um dos pontos turísticos mais famosos da cidade: o Farol do Barra. Aproveite para admirar a vista maravilhosa da Baía de Todos os Santos, curtir apresentação de grupos de capoeira e visitar o Museu Náutico da Bahia, que fica dentro da fortificação (entrada R$6 e R$3 para estudantes. Contato: (71) 3264-3296.

Vale um passeio pela orla até a Praia do Porto, bem perto do Farol. Essa é uma das praias mais frequentadas dentro da cidade. Com mar calmo de água transparente, é perfeita para banho. No verão, a pequena faixa de areia da praia fica bem disputada, principalmente nos finais de semana. Mas fora da alta estação, os preços de aluguel de cadeira caem e há mais espaço livre. Experimente o famoso espetinho de camarão do João a partir de R$3.

Casas coloridas, lojinhas e ladeiras no Pelourinho. Foto: Marina Silva

Igreja de São Francisco é um dos pontos turísticos do centro histórico. Foto: Marina Silva

Centro Histórico: pode-se separar uma tarde inteira para curtir o centro histórico de Salvador. Nosso passeio começa no Pelourinho. O local mais famoso da cidade, com suas ladeiras inclinadas e casas coloridas, é programa para quem gosta de caminhar, visitar museus e olhar lojinhas. Há várias salas de exposição, como a galeria Solar do Ferrão, Casa do Benin, Fundação Casa Jorge Amado, todos com entrada gratuita. Mas atenção, muitos dos museus só funcionam pela tarde, quando o Pelourinho está mais movimentado. Quem gosta de arte sacra não pode deixar de visitar a Igreja de São Francisco, coberta de ouro, a Catedral Basílica e a Igreja do Rosário dos Pretos.

Do Pelourinho, seguimos para o Elevador Larceda, que liga a cidade alta a cidade baixa. A vista de lá é imperdível. Desça o Elevador (R$0,15) e visite o Mercado Modelo. Local de venda de artesanato, é o lugar ideal para comprar lembrancinhas para amigos e família.

Quem gosta de agito, vale um passeio pelas praças do Pelourinho à noite, onde há música ao vivo. Mas não se arrisque pelos becos e ruelas menos movimentados. Às terças-feiras acontecem shows no Terreiro de Jesus, na Terça da Benção. Termine a noite no Santo Antônio Além do Carmo, em algum dos barzinhos com vista para o mar. 

Mercado Modelo é o local ideal para comprar lembrancinhas. Foto: Emtursa

Rio Vermelho: um dos bairros mais movimentados da capital baiana à noite, é reduto de restaurantes (japonês, árabe, pizzaria, cozinha contemporânea...), bares (de cachaçaria a champanheria) e danceterias para todos os gostos. Quem quiser provar um acarajé, esse é o lugar ideal. É no Largo de Santana, no Rio Vermelho, que se encontra a iguaria mais famosa da Bahia. Forma-se fila para comer o Acarajé da Dinha (a partir de R$3,50). Depois, basta escolher alguns dos barzinhos para beber, comer ou dançar. Na hora da dança, música alternativa é na Borracharia. O local, que de dia funciona para conserto de carros, se transforma com som de dj nas noites de sextas-feiras e sábados. A entrada custa R$ 15 (mulher) e R$20 (homem). Local menos alternativo, o pequeno Twist Pub (71) 3334-1520 é bom para dançar e paquerar, mas com preço mais salgado (quarta-feira tem banda em festa open bar - entradas: R$30, mulher, e R$40, homem, mais couvert R$5. Os preços variam conforme o dia).

Forte São Marcelo fica no meio do mar. Foto: Jotafreitas

Vista privilegiada da cidade a partir do Forte São Marcelo. Foto: Emtursa

Forte São Marcelo: localizado no meio do mar, o acesso se dá através de um curto passeio de barco de apenas 5 minutos. Do Forte (71) 3525-7142 é possível admirar um belo pôr do sol e uma das mais incríveis vista da cidade, além de conhecer o museu sobre a história de Salvador. O forte abre todos os dias, das 9h às 18h. (Entrada: R$ 12, inclui a travessia e a visita guiada ao museu).

Solar do Unhão é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional . Foto: Robson Mendes

Solar do Unhão: o pôr do sol também é uma das atrações do Solar do Unhão (71) 3117- 6132. O antigo casarão do século XVIII abriga o Museu de Arte Moderna da Bahia. Vale uma visita pelas salas de exposição e pelo jardim com esculturas. A entrada é gratuita. Aproveite para curtir o Jazz no MAM. O som agita todos os sábados a partir das 18h, com entrada a R$5 e R$2,50 (estudantes). O museu funciona de terça a domingo, das 13h às 19h, exceto sábado que encerra às 21h.

Aos sábados, o jazz agita o Solar do Unhão. Foto: Luciano Oliveira

Praias: com 50km de litoral, o que não falta é opção de praia para escolher. As mais distantes ficam movimentadas nos finais de semana. As mais badaladas são Stella Maris, Praia do Flamengo e Ipitanga, onde há barracas com conforto, variedade no cardápio e música. Os preços não são os mais atrativos da cidade, mas vale a pena conferir pelo menos uma delas e consumir o que couber no bolso. A mais conhecida é a Barraca do Lôro (71), na Praia do Flamengo, mas há muitas opções legais. Basta uma caminhada para escolher a que mais te agradar.

Passeio por Itapuã: na volta da praia, dê uma paradinha no Farol de Itapuã. O local tranquilo, não é o mesmo cantado por Dorival Caymmi, mas ainda vale uma visita. De lá, tome uma água de coco na Lagoa do Abaeté, conhecida pela bela paisagem formada pelo contraste entre a areia branca e as águas escuras. O lugar já foi mais preservado, muito freqüentado nos anos 70 e 80 por grupos que tocavam violão sob a luz das estralas. Hoje, é preciso um pouco mais de cautela. Não se arrisque sozinho no meio das dunas mais distantes.

Na Ponta de Humaitá os atrativos ficam por conta da paisagem e do pôr do sol. Pouco frequentado por turistas, o local fica próximo à Igreja do Bonfim e vale uma visita no final de tarde. Se a fome apertar, dê uma paradinha em algum dos restaurantes no Mont Serrat, mais especificamente na Pedra Furada. O mais conhecido é o Recanto da Lua Cheia (71) 3316-3986.

Hora do rango: Deu fome? Há algumas opções de lugares para comer. A escolha depende do bolso e do gosto de cada um. Perto do Solar do Unhão, na Avenida Contorno, fica a Marina, onde há opções de restaurante que variam entre o japonês, italiano, francês, crepes... Os preços não são dos mais convidativos da cidade, mas os ambientes são super elegantes e aconchegantes. O Acqua Café (www.ouirestaurante.com.br), conhecido pelos deliciosos crepes e o ambiente mais descontraído, por exemplo, tem píer sobre o mar.

Quem preferir opções mais em conta, o Aconchego da Zuzu (71) 33315074 é uma boa pedida. Localizado no Garcia, o lugar é bem simples, mas super aconchegante: funciona na varanda de uma velha casa e é assim que nos sentimos, em casa. A comida caseira é espetacular e o preço bem atrativo. Experimente o abará (R$3,80), premiado pelo concurso dos botecos. No cardápio há também feijoada (R$22 para dois), a típica carne do sol com aimpim, entre outros. Todas as sextas-feiras, sábados e domingos tem música ao vivo, com couvert de R$5.

Quem visita Salvador, não pode deixar de provar uma moqueca. O restaurante Iemanjá (www.restauranteyemanja.com.br) ficou bem conhecido pela comida baiana. A moqueca da Donana (71) 3351-8216 não fica atrás, mas o ambiente é mais simples. No centro histórico, há vários restaurantes para escolher. O Restaurante do Sesc (71) 3324-4550, no Pelourinho é uma boa dica: preço bom, com comida de qualidade.

Hora de dormir: O que não falta é hotel, pousada e albergue em Salvador. Os preços variam muito, a depender da categoria da hospedagem. Para quem quer economizar, o ideal é ficar por um albergue ou escolher uma pousada aconchegante, mas sem muito luxo. A dormida pode sair a partir de R$20.

Albergue do Porto: www.alberguedoporto.com.br

Albergue da Barra: www.alberguebarra.com.br

Albergue das Laranjeiras: www.laranjeirashostel.com.br

Albergue do Pelô: www.alberguedopelo.com.br

Pousada Pedra da Concha: www.pousadapedradaconcha.com.br

Pousada Noa Noa: www.pousadanoanoa.com

Hotel Ibis: www.accorhotels.com/pt/hotel-5173-ibis-salvador-rio-vermelho/index.shtml

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também