Conhecer Machu Picchu vale mais que terapia

Conhecer Machu Picchu vale mais que terapia

Atualizado: Quarta-feira, 24 Agosto de 2011 as 8:29

  É praticamente impossível ficar indiferente a Machu Picchu. A grandiosidade do local faz surgir uma energia diferente em cada pessoa. Muitos dizem que uma visita vale mais do que qualquer terapia. Faz sentido. Além da impressionante beleza natural da região, é difícil imaginar como uma civilização conseguiu erguer a cidade em uma época que não existia cimento ou argamassa - apenas encaixando pedras do rio Urubamba trazidas montanha acima.

Há 100 anos, a cidade perdida da civilização inca, que serviu como o último refúgio contra a colonização espanhola, era apresentada ao mundo pelo explorador americano Hiram Bingham. E segue com um ar de mistério, escondida no meio das montanhas, a 2.400 metros de altitude. Vários enigmas continuam tirando o sono dos historiadores. Não se sabe ao certo quando Machu Picchu foi construída. Muito menos por que foi abandonada, já que os colonizadores europeus nunca souberam da sua existência, por exemplo.

O acesso ao santuário, apesar de cansativo, ficou bem menos complicado. Não é preciso mais caminhar por pequenas trilhas cercadas de perigosos desfiladeiros, que protegeram a cidade dos invasores no passado. Três linhas de trem fazem boa parte do trajeto e levam até Águas Calientes, último vilarejo antes da entrada das ruínas.

Machu Picchu é considerada Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade desde 1983, além de ter sido eleita uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno em 2007. O fato de nunca terem construído uma rodovia direta tem explicação: é para controlar o fluxo de visitantes e preservar o santuário. Mesmo assim, o crescimento desordenado do turismo obrigou a Unesco a uma medida mais rígida, limitando a venda de 2.500 ingressos por dia, que só podem ser comprados pela internet. Com isso, a cada ano, no máximo, 915 mil visitantes vão admirar as ruínas.

Em Machu Picchu tudo é muito caro e as opções de alimentação são bem limitadas. Por isso, levar mochila com garrafa de água, sanduíches, biscoitos e chocolates é imprescindível. Um almoço pode custar o mesmo que uma diária de hotel em Águas Calientes. No único restaurante do parque, o bufê sai a US$ 45 por pessoa (cerca de R$ 72). Mas tome cuidado, não carregue mochila muito grande, já que o dia será de caminhadas, subidas e descidas. Ah... e não esqueça de pedir para carimbarem seu passaporte antes de sair do parque: é uma grande recordação para quem chegou até lá.

Beleza vale a subida

"Fiz a trilha Salkantay, uma alternativa porque não consegui vaga para a Trilha Inca. Caminhei cinco dias e quatro noites. A beleza do lugar é indescritível e o cenário vai mudando conforme a caminhada, até a impressionante Machu Picchu. Considerado também um lugar místico, Machu Picchu é admirável e harmonioso, mistura de história e beleza natural", contou Jessika Goulart, 28 anos, psicóloga.

Trilha para 500 turistas

Machu Picchu guarda outro tesouro para os turistas. A Trilha Inca é uma das aventuras mais procuradas pelos mochileiros de todo o mundo. O trajeto requer boa forma física: são 42 km de caminhadas. Para controlar o número de pessoas que se arriscava na trilha por conta própria, o governo peruano estabeleceu que 500 turistas podem iniciar o trajeto diariamente. Todos são obrigados a contratar guias e carregadores.

SERVIÇO

VACINA

Antes de viajar para o Peru é obrigatório tomar a vacina contra a febre amarela pelo menos dez dias antes do embarque. Caso contrário, a companhia aérea não permitirá o check-in.

INGRESSO

Para comprar ingressos para a reserva ambiental de Machu Picchu, acesse o site do santuário. Há um limite de 2.500 visitantes por dia imposto pela Unesco. Só é permitida a entrada no parque para quem comprar pela internet os tíquetes. Por dia é cobrado 148 soles (cerca de R$ 85). Por isso, antes de sair marcando a viagem, garanta o ingresso primeiro!

COMO CHEGAR

Machu Picchu fica ao sudoeste do Peru, a 112km de Cuco. A maneira mais fácil de se chegar ao local é embarcando até a capital, Lima. De lá, pega-se um voo até Cusco. Depois, a viagem é de trem por cerca de 3h30 até o vilarejo de Águas Calientes. Por fim, mais 8km de ônibus até Machu Picchu.

MOEDA

A moeda oficial de Peru é o Nuevo Sol.

veja também