Coreia do Sul aposta no turismo médico

Coreia do Sul aposta no turismo médico

Atualizado: Quarta-feira, 10 Fevereiro de 2010 as 12

No title A Coreia do Sul quer lucrar com o boom da cirurgia e dos tratamentos estéticos em seu país para atrair fortunas de países vizinhos como o Japão, China e Rússia, com estadias em hospitais luxuosos que investem no turismo médico. Sem clima atrativo, praias ou monumentos, o país aposta no turismo para quem está interessado em cirurgia plástica, mas não tem dinheiro para pagar operações feitas nos Estados Unidos e no Japão.

As centenas de clínicas estéticas da nação, que cresceram graças à preocupação da população com a imagem, investiram em melhorias e agora atraem um novo perfil de turista. Os tratamentos de estética para asiáticos, como o popular corte da pálpebra, são oferecidos por cerca de 630 euros (cerca de R$ 1.610), enquanto outras intervenções como de nariz têm um custo médio de 1,6 mil euros (cerca de R$ 4.089), metade do custo da mesma cirurgia nos Estados Unidos.

A Coreia do Sul aposta no turismo médico como motor de crescimento e espera atrair até 70 mil estrangeiros com seus tratamentos de estética e também odontologia. Uma endoscopia de estômago na Coreia do Sul, por exemplo, custa 17 euros (R$ 43), 50% menos do que o preço cobrado nos Estados Unidos e até 80% mais econômico do que no Japão, onde o sistema de saúde público não oferece cobertura tão abrangente como na Europa. Assim, tratamentos de luxo transcenderam o âmbito da estética e agora hospitais conhecidos, como o Samsung Medical Center em Seul, oferecem estada de duas noites para realizar a chamada "revisão CEO" por 10 milhões de wons (cerca de R$ 15,8 mil).

A Turismo da Coreia (KTO) espera duplicar o níumero de visitantes que buscam tratamento com estas ofertas e serviços exclusivos. Sob o lema de "Smart Care, Medical Korea)", o país estima atrair 200 mil pessoas até 2013, o que permitirá gerar mais de 16 mil postos de trabalho. Os japoneses aderem ao tratamento devido à força de sua moeda, o iene, frente à sul-coreana, e os chineses com maior poder aquisitivo buscam a qualidade dos serviços sul-coreanos. Segundo a KTO, a maioria dos asiáticos procura cirurgia plástica e tratamentos dentários, e os russos buscam o país para fazer tratamentos de doenças cardiovasculares.

- O governo sul-coreano impulsiona o turismo médico como o novo motor de crescimento e temos certeza de sua competitividade quanto à qualidade e ao preço, disse à agência EFE Jin Soo-nam, chefe do Departamento de Marketing do Turismo de Saúde da KTO. 

Nos últimos anos, a assistência sanitária sul-coreana ganhou competitividade, especialmente em cirurgia estética e odontológica. Além disso, o país tem altos índices de êxito em tratamento de doenças como câncer de estômago e de fígado.

veja também