Destinos do Brasil: Lençois Maranhenses

Destinos do Brasil: Lençois Maranhenses

Atualizado: Quinta-feira, 28 Abril de 2011 as 9:06

Parece incrível que em um país tropical como o Brasil, conhecido pelas belas praias e florestas, haja um deserto. Pois é no litoral do Estado do Maranhão que se encontram os Lençóis Maranheneses, o deserto brasileiro. Porém, ele é diferente. Entre as vastas dunas de areia estão lagoas verdes e azuis, formando a verdadeira visão do oásis. Esse espetáculo da natureza só é possível graças às chuvas que caem sobre a região no primeiro semestre do ano e que alimentam as lagoas do vasto deserto dos Lençóis, que se estende por uma área equivalente ao município de São Paulo. Os habitantes do parque vivem da pesca no período de chuvas. Durante a seca, muitos partem para regiões vizinhas para trabalhar na roça. Para proteger esses 155 mil hectares que guardam um ecossistema tão particular, foi criado, em 1981, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhense

Vôo Panorâmico - Sobrevoar a região proporciona um dos mais belos ângulos de visão. Do alto, vê-se a imensidão de dunas brancas entrecortadas pelas lagoas coloridas. O vôo acompanha o leito do Rio Preguiças. Rio Preguiças - É o rio que atravessa os Lençóis. Esse nome deve-se à calmaria de suas águas. O rio deságua em Atins, uma grande colônia de pescadores, onde é possível encontrar pescado e camarão. É rodeado por vegetação nativa, especialmente de palmeiras. Vilarejo de Caburé - Nesta prainha, os pescadores montam cabanas no período chuvoso para pescar. É ideal para acampar, pois é banhado pelo Rio Preguiças. Também possui pousadas e restaurantes simples. Praia de Vassouras - Praia com 5 km de dunas, entre o mar e o Rio Preguiças. Farol de Mandacaru - Do farol, é possível avistar as dunas margeando o mar do Maranhão. Localiza-se na cidade de Mandacaru, nos limites do parque. O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é bastante extenso e sem estradas de acesso. Para conhecê-lo é preciso enfrentar as dunas e o forte calor, sempre em companhia de um guia local. Pequenas caminhadas podem ser feitas a pé. Para caminhadas mais longas, é preciso um veículo 4X4 ou até um tradicional jegue. O forte calor é recompensado pelo banho refrescante nas lagoas cristalinas e nas praias desertas, que ocupam cerca de 70 km. A lagoa mais famosa, por sua beleza, é a Azul. No interior do parque há dois oásis, o Queimada e o Baixada Grande. Nas bordas do parque existem grandes manguezais. Nas praias, pode-se encontrar carangueijos e tartarugas marinhas. Já as lagoas recebem a visita de aves migratórias, como o maçarico, a marreca-de-asa-azul e o trinta-réis, que param para descansar e se alimentar. Compras: Artesanato - de palha de buriti - chapéus (R$ 5 a R$ 15), toalhas de mesa (R$ 20 a R$ 50), sacolas (R$ 5 a R$ 15), bolsas e mochilas (R$ 5 a R$ 20). Artesanato London - R. Inácio Lins, tel. 9617-7627, 7h30 às 22h. Buriti - R. Inácio Lins, tel. 349-1614, 8h às 12h, 14h às 18h. Kanto da Praça - Praça do Trabalhador, 8h às 12h, 15h às 20h. Artesanato Rodrigues, R. Domingos Carvalho, 7h às 19h

Está localizado no litoral do Estado do Maranhão, a 272 km de São Luís. A melhor época para visitar a região é no período chuvoso, de dezembro a julho, quando as lagoas estão mais cheias e menos quentes. Como chegar: Rodoviário - Pela BR-402 são 472 km até a capital do Estado de São Luís.  

veja também