Desvendando as preciosidades do mar de Ubatuba

Desvendando as preciosidades do mar de Ubatuba

Atualizado: Sexta-feira, 16 Setembro de 2011 as 10:03

Com um dos pontos de mergulho mais concorridos do Brasil, cenário do fundo do mar ganha o colorido dos peixes, corais e estrelas.

O balanço do barco indica a qualidade do passeio embaixo d’água. Se for brando, graças às poucas ondas e vento fraquinho, o cenário lá no fundo do mar certamente se mostrará em detalhes. Em um dia chuvoso do verão passado, contei com a sorte da calmaria marítima e fui ao encontro da tão encantadora vida subaquática da região de Ubatuba.

O local escolhido para cair na água foi a Ilha da Rapada que, localizada ao norte do município, é apenas um dos pontos que compõem a ampla coleção de lugares ideais para mergulhar que Ubatuba tanto se orgulha em ter. Saindo do Píer do Alemão, na enseada do Itaguá, o barco navega uma hora até alcançar o destino.

A imensidão do mar é a paisagem que nos acompanha, enquanto a brisa bate no rosto. O guia aproveita a tranquilidade da viagem para relembrar as instruções básicas do mergulho e assegurar que, após esta primeira experiência, será difícil não querer repeti-la.

Com a ilha bem próxima, âncora na água e todos devidamente equipados comroupas de neoprene, nadadeiras, máscara e cilindro de ar comprimido, é hora de provar o mar.

A princípio, a descida parece ser a parte mais aflitiva do passeio. Pura impressão de iniciante. A presença constante do guia ali ao lado tranquiliza e, sem nos darmos conta, já estamos pertinho do chão arenoso, a uma profundidade de oito metros.

Naquela nova panorâmica que se abre ao redor, cada pontinho que colore a imensidão azul é uma agradável surpresa. A visibilidade privilegiada permite acompanhar o vai e vem de coloridoscardumes de peixes, o nado solitário de outros de maior porte e aqueles que parecem tentar se camuflar bem perto das pedras. Com um tanto de sorte, o mergulho pode ser acompanhado de presenças ainda mais notáveis, como arraias, tartarugas e o esquisito peixe-morcego.

De tons alaranjados, verdes e um amarelo-ouro que se destaca no ambiente azul, os corais se apoiam aqui e ali, e também escondem preciosidades só desvendadas por um olhar muito atento. Sabendo disso, a vontade é explorar cada canto, até se satisfazer diante de pequeninas estrelas do mar e esponjas das mais variadas espécies.

No universo do fundo do mar, o silêncio é rompido somente por um tilintar baixinho. São as próprias pedras e corais se movimentando devagar, se dilatando e lembrando aos mergulhadores que tudo ali é natureza viva. Neste mundo de calma e contemplação, onde o relógio deixa de fazer sentido, o tempo passa com lógica própria. E a vontade de retornar à rotina agitada que deixamos lá em cima custa a aparecer.

SAIBA MAIS

- Mergulho: em um mergulho inaugural, muita coisa antecede o momento de efetivamente cair na água. A preparação começa com uma aula teórica, formulário médico e vídeo que dá as primeiras orientações e regras fundamentais da prática. Logo, as instruções são treinadas no ambiente aquático - primeiro em uma piscina. É ali, com toda a segurança necessária, que o aluno se familiariza com máscara, cilindro e movimentos essenciais do mergulho. Iniciantes nunca exploram o fundo do mar sozinhos. Cada instrutor pode acompanhar somente um ou dois mergulhadores.

- Idade: crianças também podem se aventurar no passeio - a idade mínima é 10 anos.

- Quem leva: Omnimare Turismo. O mergulho custa desde R$ 225, com equipamentos incluídos.

- Caminhada: a Trilha das Sete Praias começa na Praia da Lagoinha (a 25 quilômetros do centro de Ubatuba) e segue margeando a costa sentido norte por 8 quilômetros. É considerada de nível difícil.

- Quem leva: Pisa Trekking. Custa a partir de R$ 195, com guia.

veja também