Dez dicas para se virar bem em Orlando

Dez dicas para se virar bem em Orlando

Atualizado: Segunda-feira, 29 Março de 2010 as 12

Orlando é um dos pontos turísticos americanos que mais atraem brasileiros. É relativamente perto (são oito horas de viagem), tem os famosos shoppings de outlets, onde coleções antigas são vendidas a preço de banana, e uma farta concentração de parques para todos os gostos. Eu e a jornalista Lika Rodrol passamos uma semana em Orlando para elencar as principais atrações do lugar.

Durante toda a semana, serão publicadas matérias para mostrar o que há de melhor em Orlando. Nesse primeito texto, juntamos algumas dicas para que sua viagem seja mais tranquila (ou pelo menos, com poucos imprevistos). Leia antes de se programar e boa viagem!

1 - Já saia do Brasil com a ideia de que vai esperar um bom tempo na imigração, uma vez que a cidade também é o paraíso de férias de ingleses e alemães e muitos aviões chegam ao mesmo tempo. Tenha cuidado ao preencher as fichas de imigração pois qualquer errinho pode fazer com que você volte para o balcão para fazer outra. E saiba que, para evitar caras feias dos agentes, somente famílias, casais casados e adultos com crianças podem ir em grupo a um balcão da imigração. Namorados, amigos ou amasiados devem ir um por vez.

2 - Se você quer ter liberdade em sua programação, alugue um carro. Para isso basta sua carteira de motorista brasileira e um cartão de crédito internacional. Os modelos mais simples saem em torno de US$700 a semana, mas não se esqueça de fazer seguro e alugar um GPS (este sai US$70). O estacionamento dos parques varia de US$12 a US$ 15. A parte divertida é tentar descobrir quando a conversão à direita é livre, e quando não é. Na dúvida, espere o carro de trás buzinar impacientemente quando você estiver parado.

3 - No aeroporto informe-se se seu hotel dispõe de transporte gratuito. Se não, pode utilizar um dos serviços disponíveis lá. É mais barato e confortável que um táxi.

4 - Quem prefere não ter dores de cabeça com estacionamento ou multas, pode utilizar um dos inúmeros transportes gratuitos para os parques, mas estes possuem horário certo para ir e voltar. Taxis também estão disponíveis, mas costumam sair caro. 5 - Não estranhe se você resolver caminhar até um destino e não ver ninguém nas calçadas. O americano não tem o hábito de andar, e dá a impressão que eles vão à casa do vizinho de carro.

6 - Em muitas lanchonetes e restaurantes, você deve aguardar para ser direcionado a uma mesa, portanto não dê o furo de entrar e se sentar, a não ser que alguém lhe avise que isso é permitido.

7 - Para quem está mais interessado em compras, existem alguns truques como ir com uma mala e comprar outra lá (de US$18 a US$40) ou levar roupas velhas (ou seja, você usa e deixa no hotel, abrindo espaço na bagagem). Só lembramos que no Brasil só é permitido que se traga US$500 em compras por pessoa. O excedente deve ser declarado e paga-se uma taxa de 50% do valor ultrapassado.

8 - Existem hotéis de todos os estilos em Orlando. Um quarto em um Confort In, por exemplo, pode sair a US$49 a diária sem café da manhã. Já o The Point Resort cobra US$69 o casal, mas os quartos possuem geladeira, microondas e cafeteira, ou seja, você prepara seu desjejum. Neste hotel também existem quartos duplos, ideais para famílias (comportam até seis pessoas), que além de uma cozinha completa, também há máquina de lavar e secadora de roupas. As diárias saem por US$179.

9 - Faça compras de comida e badulaques em um Wall-Mart ou na rede Wallgreens. São extremamente baratos e seguramente existirá um perto de você.

10 - Importante: não se esqueça de fazer um seguro-saúde internacional para o caso de algum acidente de percurso. Você vai pagar cerca de US$70 por pessoa para uma semana de cobertura, mas acredite quando dizemos que qualquer pequeno tratamento lá sai muito mais caro do que isso.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também