Economize em sua viagem sem deixar de aproveitar

Saiba como economizar em sua viagem sem deixar de aproveitar

Atualizado: Quarta-feira, 15 Fevereiro de 2012 as 11:47

Viajar lembra descanso, lazer e sossego. Mas também lembra que será preciso de certo aporte financeiro para pagar a passagem, o hotel, a alimentação, os passeios e as lembrancinhas. Observar alguns fatores, porém, pode ajudar a reduzir esses gastos.

Veja a lista de dicas elaborada pelo Guidu, guia on-line, para aproveitar uma viagem sem gastar muito: 

1. O planejamento – quanto mais cedo você planejar a viagem, mais vantagens terá. As passagens aéreas, por exemplo, podem sair mais baratas, se compradas com antecedência. Além disso, ao se planejar, você evita viajar em meses como dezembro, janeiro, junho e julho, que são períodos de alta temporada e os valores ficam mais salgados. 

2. Carona amiga – evite deixar seu carro no estacionamento do aeroporto, pois contar com este facilitador costuma sair muito caro. Se não puder bancar um táxi, peça para algum familiar ou amigo levá-lo. 

3. Arrumando a nécessaire – para viagens internacionais, recomenda-se levar uma nécessaire com itens como xampu, condicionador, sabonete, aparelho de barbear/depilar, escova e pasta de dente, pente para cabelos, cortador de unhas, cotonetes e os demais produtos para higiene pessoal que julgar necessário. É claro que quase tudo citado acima pode ser oferecido pelo hotel, mas, dependendo de onde você se hospedar, esses artigos serão considerados de luxo e, portanto, podem sair bem caros. 

4. Alternativa para hospedagem – em vez de se hospedar em hotéis, vale a pena considerar ficar em um hostel. É um tipo de albergue frequentado principalmente por jovens dispostos a dividir o quarto com desconhecidos. Em alguns hostels você pode escolher um quarto mais reservado, para duas ou três pessoas. Tudo vai depender do quanto estiver disposto a pagar: quanto mais pessoas, mais barata a hospedagem.

 5. Faça o habitual – outro conselho é evitar ao máximo transparecer que você é turista, pois isso pode atrair a atenção de pessoas mal intencionadas. Caminhar pelas ruas com um mapa aberto, máquina fotográfica no pescoço e a carteira cheia de dinheiro não é seguro em parte alguma do mundo. 

6. Planeje sua rota – veja na internet qual o melhor caminho para os passeios que você deseja fazer. Deixar uma corrida nas mãos de um taxista provavelmente lhe custará mais caro. Arrisque-se também a usar o transporte público; em algumas capitais internacionais, eles funcionam 24h por dia e oferecem bastante conforto. Além dos ônibus, metrôs e trens, andar a pé ou alugar uma bicicleta pode ser um programa bem saudável e divertido. 

7. Os cardápios – alguns lugares costumam ter preços diferentes para residentes e turistas. Em Buenos Aires, por exemplo, diz o guia, a cerveja Quilmes pode custar 15 pesos para um argentino e 30 pesos para um turista. 

8. Roupa suja - para economizar durante a viagem, prefira lavar sua própria roupa, nos banheiros dos hotéis, por exemplo, do que contar com os serviços de lavanderia. Compre você mesmo um sabão próprio para isto e lave tudo que for possível na banheira ou pia; caso sejam peças pequenas, melhor ainda. 

9. Moedinhas - só troque dinheiro em casas de câmbio; nunca confie em pessoas que anunciam este tipo de serviço pelas ruas da cidade. Evite também usar apenas notas de valores altos e prefira sempre ter dinheiro trocado no bolso. É bom também ficar sempre atento ao troco que receber e informar o valor da nota antes de entregá-la nas mãos de alguém. Isso evitará que tentem tirar proveito da situação ou apliquem golpes.

 

veja também