Egito restringe nado no mar Vermelho após ataques de tubarão

Egito restringe nado no mar Vermelho após ataques de tubarão

Atualizado: Quarta-feira, 8 Dezembro de 2010 as 2:05

O Egito vetou o acesso de turistas à maior parte dos 55 quilômetros de costa do mar Vermelho, no famoso resort de Sharm El-Sheikh, depois de uma série de ataques de tubarão na semana passada que deixou um morto e quatro feridos.

As autoridades pediram para os mergulhadores iniciantes que fossem a Dahab, cerca de 80 km ao norte de Sharm.

As águas do resort foram reabertas apenas para os mergulhadores mais experientes --com exceção de uma faixa de cerca de 3 quilômetros onde os ataques ocorreram.

Uma equipe de especialistas americanos chegou nesta terça-feira ao país para ajudar investigar a incomum série de ataques em um dos maiores destinos do mundo para mergulhadores. As possíveis causas variam desde a pesca exagerada até uma conspiração israelense para prejudicar o turismo egípcio.

O corpo de uma alemã de 70 anos foi encontrado na praia que beira o mar Vermelho em Sharm el-Sheikh, depois de um ataque no último domingo (5). Autoridades disseram que o tubarão havia arrancado um pedaço de sua coxa direita. Dias antes, três russos e um ucraniano foram feridos em ataques de tubarões na mesma região.

Sharm el-Sheikh é uma grande atração turística egípcia, com cerca de cem hotéis, longos trechos de praias de areia branca, excursões de safari no deserto e uma vida noturna vibrante.

Os mergulhadores são atraídos pelos íngremes declives dos recifes de coral perto da praia que oferecem paredes profundas e uma vida marinha rica e colorida. Há também um mirante para ver tubarões selvagens.

Os ataques de tubarão na área são raros e as autoridades estão lutando para impedir que as medidas afetem a receitas do turismo.

Ahmed Salah al-Idkawi, vice-governador do Sinai do Sul, disse não haver informações sobre cancelamentos de viagens até agora.

veja também