Em Nápoles, tudo acaba em pizza

Em Nápoles, tudo acaba em pizza

Atualizado: Quinta-feira, 27 Agosto de 2009 as 12

Visitar Nápoles, na região italiana de Campania, pode trazer um enorme problema: toda vez que você colocar um pedaço de pizza na boca, vai ter a recordação do delicioso sabor de onde ela veio e vai saber que nada é comparável.  

Por lá não se dividem pizzas. Elas são tão gostosas que vêm individuais - e do tamanho das que cortamos em oito.

A aventura gastronômica começa com um mapa na mão e as confusas ruas de Nápoles. Vá a pé. Só assim você constata a enorme quantidade de pizzarias que se espalham pela cidade de onde a receita ganhou o mundo.

E quando você pensa que as mais famosas são verdadeiros templos da massa italiana, se depara com portinhas que mal acomodam cinquenta pessoas.

Qualquer guia que você tiver em mãos indica as mais tradicionais e concorridas. Pizzeria La Notizia, Brandi, Il Pizzaiolo del Presidente, Leopoldo e Da Michelle sempre estão entre as cotadas - e a disputa para conseguir um lugar tabém é uma constante.

Não se apresse. Enquanto estiver esperando aprecie as ruas apertadas e bagunçadas. A cidade pode chocar quem vem da bem apresentada Roma ou de qualquer outra capital européia. Nápoles tem aspecto sujo e apressado, mas é exatamente isso que dá charme à cidade.

A Da Michelle está entre as mais interessantes. O lugar é pequeno. Muitas vezes, e principalmente se você estiver em dois, as mesas são compartilhadas. As pizzas vêm em dois sabores: margherita (azeite, tomate, queijo e uma folha de manjericão) e marinara (azeite, tomate, orégano e alho).  E só. Colocar "junk food" sobre a massa, como eles dizem por lá, é um sacrilégio.

As redondas, que acompanham perfeitamente uma cerveja italiana, são servidas desde 1870. O sabor é único - e difícil de descrever. A massa, fina, tem uma saborosa elasticidade e vem com bolhas queimadas que dão um crocante único.

O molho, de tomate puro, e o queijo mozarela fior de latte (de búfala) casam graciosamente com o azeite. Feita em questões de minutos tem um cheiro que enche a boca de água.

E não pense que ela é grande o bastante. Enquanto turistas se impressionam com o tamanho, italianas magérrimas devoram com maestria - e sozinhas - uma inteira.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também