Entidade chama atenção para acesso americano à Argentina

Entidade chama atenção para acesso americano à Argentina

Atualizado: Segunda-feira, 30 Maio de 2011 as 9:53

Leia abaixo, sobre a questão do visto brasileiro, trechos da entrevista concedida à Folha por Luiz de Moura Jr., vice-presidente da U.S. Travel Association of America, que reúne a indústria do turismo nos EUA.

Ele conversou com a reportagem durante o evento Pow Wow , que terminou nesta quarta-feira (25), em San Francisco.   "Sou totalmente a favor da dispensa de vistos para brasileiros que visitam os EUA --e vice-versa. Entendo que, hoje, o desgaste que existe para se obter um visto é enorme, pois só existem quatro consulados no Brasil, muitas pessoas que vivem em outras cidades precisam viajar dentro do país, gastar dinheiro e tempo, e isso inibe viagens.

Do lado americano acontece o mesmo. Nós temos dados de que os norte-americanos visitam mais a Argentina, país vizinho, do que o Brasil, pois os norte-americanos não precisam mais de visto para ir para lá.

E olha que coisa curiosa: a Argentina entrou no programa Visa Waver [que dispensa o visto para viajar aos EUA] em 1991, mas, em face da crise econômica, saiu em 2002. Ela saiu do programa, mas não retaliou, mantendo os EUA no "Visa Waiver" deles.

Resultado: 800 mil viajantes norte-americanos vão anualmente, a turismo, para a Argentina; já o Brasil recebe cerca de 650 mil viajantes norte-americanos ao ano, a maioria a negócios, quando quem paga o visto é a empresa.

Quando a Argentina voltou a precisar do visto, o número de argentinos que se destinam aos EUA, numa média de dez anos, caiu de 500 mil pessoas para 150 mil pessoas/ano.

Acho que, com a dispensa dos vistos, o Brasil receberá ainda mais americanos. O Brasil mandou, em 2010, 1,2 milhão de turistas aos EUA; já os argentinos somaram 330 mil viajantes.

Se haverá um deficit nessa conta, depois de uma virtual dispensa de visto entre o Brasil e o EUA, eu não sei, mas acho que cabe ao governo brasileiro e aos órgãos oficiais e entidades adequadas cuidar da promoção do país no exterior.

TERRORISMO X IMIGRAÇÃO

Não acho que a liberação de vistos não tem a ver com segurança na América Latina. A "questão latina" era muito mais uma questão de imigração, de a pessoa ir aos EUA e não voltar.

Mas isso mudou, até por uma questão de conjuntura econômica. Com o real forte, não faz mais sentido o sujeito ir para os EUA para fazer um "pé-de-cash", isso mudou. O crescimento do Brasil é grande, há desemprego nos EUA etc.

Obama comentou que pode rever a questão do visto durante sua visita em março ao Brasil e ao Chile. Obviamente, os dois governos, o brasileiro e o norte-americano, precisam abordar essa questão. A taxa de rejeição de visto --medidor importante--, caiu de 6% para 3%, para vistos solicitados por brasileiros."    

veja também