Entre MG e RJ, Visconde de Mauá é boa opção no inverno

Entre MG e RJ, Visconde de Mauá é boa opção no inverno

Atualizado: Sexta-feira, 13 Agosto de 2010 as 3:05

Escondida na Serra da Mantiqueira, bem na divisa entre os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, Visconde de Mauá é um dos mais concorridos redutos de inverno do Sudeste. A 1.300 metros de altitude, a vila e seus arredores reservam agradáveis surpresas aos visitantes que encaram a estrada de terra cheia de curvas sinuosas e muitos buracos para conhecer os encantos da região.

Lá em cima, os turistas - casais em sua maioria - encontram mais que um romântico friozinho e uma natureza exuberante. Deparam-se com uma gastronomia de primeira com pratos à base de truta, pinhão e fondues, sempre servidos ao lado da lareira em restaurantes charmosos; e pousadas aconchegantes, perfeitas para uma lua-de-mel.

O conforto e as mordomias, porém, não excluíram de Mauá seu jeitão hippie e, muito menos, seus cenários rústicos emoldurados por araucárias, vales, quedas d´água e corredeiras formadas pelo Rio Preto. Cachoeiras como a do Escorrega, do Poção da Maromba e de Santa Clara continuam limpas e caudalosas, assim como as do Vale do Alcantilado, as preferidas para quem viaja com os pequenos. Nas pracinhas e calçadas, alternativos oferecem artesanato e, mesmo nas noites frias, animadas rodas de violão seguem madrugada adentro.

Para melhor entender Mauá, saiba que a região é dividida em três vilas: Visconde de Mauá, a porta de entrada, com pousadas, restaurantes e serviços; Maringá, a mais agitada, reunindo transados estabelecimentos; e Maromba, fiel ao estilo riponga e freqüentada por jovens. Interligadas por estradinhas de terra e cercadas por uma infinidade de trilhas, fazem das caminhadas, cavalgadas e passeios de bicicleta as melhores maneiras para explorar seus recantos.

O que ver e fazer

Tomar banho de cachoeira

As águas geladas da serra não desanimam a turma que encara as trilhas para tomar revitalizantes banhos de cachoeira. Entre as mais concorridas estão a do Escorrega, com um tobogã natural; e a do Poção da Maromba, com piscina de águas cristalinas.

Comer bem

A fama da boa mesa de Mauá e suas vilas atrai chefs de diversos estados brasileiros durante o Festival do Pinhão. O fruto, ao lado dos peixes da região - em especial a truta -, é o destaque da cozinha local, repleta de restaurantes estrelados. A comida mineira também marca presença, sempre acompanhada pelas cachaças e doces caseiros.

Cavalgada

As cavalgadas pelas trilhas da região recortam rios e os vales das Antas e do Alcantilado, levando a cachoeiras, poços e picos, como o da Pedra Selada. Há roteiros diversos, que duram entre duas horas e dois dias - com pernoite em fazendas ou acampamento selvagem -, sempre com o acompanhamento de guias. No período da lua cheia há passeios noturnos.

Visitar o Vale do Alcantilado

Uma seqüência de nove cachoeiras - terminando em uma com 50 metros - é um dos destaques de Mauá. Uma das maneiras mais interessantes de chegar é enfrentando uma trilha íngreme de pouco mais de um quilômetro.

Conhecer o Museu Duas Rodas

O acervo é formado por mais de 90 peças restauradas, entre motos e bicicletas. Há modelos infantis, esportivos, agrícolas, militares, de competição, de carga... Os destaques são duas motocicletas raríssimas: a alemã Wanderer, fabricada em 1902; e a belga FN, de 1909 e um dos primeiros modelos industrializados do mundo.

veja também