Estado do Rio ganhará 36 novos hotéis ate 2014

Estado do Rio ganhará 36 novos hotéis ate 2014

Atualizado: Quarta-feira, 4 Maio de 2011 as 10:16

Trinta e seis novos hotéis serão construídos no Estado do Rio até 2014, totalizando investimentos de R$ 1,4 bilhão, de acordo com levantamento realizado pela empresa paulista de consultoria BSH Internacional. A pesquisa revelou que não somente a capital – maior destino de lazer do país – receberá os novos empreendimentos. Dezenove serão erguidos em cidades da Região Metropolitana e do interior.

Os grandes eventos esportivos que o estado irá sediar nos próximos anos, além do desenvolvimento econômico representado pelos grandes investimentos nas áreas de infraestrutura, petróleo e gás e indústria naval, impulsionam o setor hoteleiro, que vai disponibilizar 7,5 mil novos quartos de olho na grande demanda de visitantes que desembarcarão no Rio para lazer e turismo de negócios.

- Nossa demanda para o turismo estava represada. O crescimento do número de hotéis no estado acontece quando o governador passa a mostrar o Rio de Janeiro ao mundo. A capital é a grande alavanca, mas vemos um aumento do número de visitantes no interior – afirmou o secretário de Turismo, Ronald Ázaro.

Na cidade do Rio, 17 hotéis serão construídos em bairros como Copacabana e Barra da Tijuca. No restante do estado, serão inaugurados novos pontos de hospedagem no municípios de Itaboraí (3), em Campos (4), em Itaguaí (2), em Duque de Caxias (2), em Macaé (2), em São João de Meriti (1), em Niterói (1), em Angra dos Reis (1), em Nova Iguaçu (1), em Petrópolis (1), em Cabo Frio (1).

Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ), Alfredo Lopes, o momento é de exposição positiva, com reflexos importantes na procura por acomodações. De acordo com Lopes, hotéis estrangeiros como Hilton e Four Seasons estão interessados em investir no Rio de Janeiro e no Brasil, e há redes de renome que pretendem ampliar seus negócios no Estado do Rio.

- Temos um calendário forte, estamos recebendo shows importantes de artistas como Paul McCartney, teremos o Rock In Rio, há uma série de feiras de negócios sendo realizadas em todo o estado, há os grandes eventos esportivos. Isso prova a pujança do mercado – disse.

Economia aquece demanda por hospedagem

Segundo José Ernesto Marino Neto, presidente da consultoria BSH International, não são apenas os grandes eventos esportivos que serão realizados no Rio de Janeiro que estão atraindo redes nacionais e internacionais. O desenvolvimento do setor de petróleo e gás também está chamando a atenção do setor.

- O volume de recursos que estão sendo carreados ao setor hoteleiro no Estado do Rio chamou nossa atenção e por isso resolvemos fazer um levantamento específico. Todas as cidades da rota do petróleo estão se beneficiando e isso está demandando novas acomodações hoteleiras – afirmou.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento, Julio Bueno, as atividades de exploração e produção estão se destacando e o Rio já começa a abrigar centros de pesquisa como o Parque Tecnológico do Fundão, por exemplo. Há ainda o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), que já está revitalizando cidades da Região Metropolitana, como Itaboraí, e municípios vizinhos.

- O Rio tornou-se foco dos investimentos em pesquisa com o Parque Tecnológico do Fundão. Em 12 meses, seis grupos anunciaram projetos para a área totalizando cerca de R$ 700 milhões e gerando 1.400 empregos. Na seqüência da cadeia do petróleo, a economia de Itaboraí e das cidades vizinhas começam a sentir o impacto das obras para construção do Comperj – disse.

O secretário de Turismo, Ronald Ázaro, constatou o crescimento da demanda no interior do estado. Convidado a participar da Feira Brasil Off-Shore e da Conferência Internacional da Indústria de Petróleo e Gás de Macaé, ele ficou impressionado com a procura por acomodações na região.

- Em Macaé, 100% dos hotéis estavam ocupados. Acho que isto é uma fotografia da necessidade de se construir mais hotéis no Rio de Janeiro. Hoje o estado não tem baixa temporada. Além dos grandes eventos na capital, o interior também tem uma agenda movimentada, com eventos importantes acontecendo em Macaé, Búzios, Paraty, Angra dos Reis e que atraem o público estrangeiro e muitos brasileiros da capital e das cidades adjacentes – disse.

veja também