Etosha National Park mostra o lado verde da Namíbia

Etosha National Park mostra o lado verde da Namíbia

Atualizado: Quarta-feira, 10 Novembro de 2010 as 1:47

A Namíbia ganhou o mundo com seus cenários áridos de curvas bem desenhadas e tons alaranjados de Sossusvlei, o deserto que abriga as dunas mais altas do planeta e uma das principais razões que atraem visitantes estrangeiros a esse país em que 15% de sua superfície total é formada por parques nacionais e áreas preservadas.

No entanto, o norte dessa nação vizinha à África do Sul guarda uma das maiores (e esverdeadas) surpresas da região oeste do continente africano: o Etosha National Park., santuário selvagem com mais de 22 mil km² de área verde, a 6 horas da capital Windhoek, e moradia de mais de 100 espécies de mamíferos, como rinocerontes, impalas, elefantes, girafas e leões.

Por pouco essa variada vida animal não foi dizimada durante o período em que o território da atual Namíbia esteve sob a administração dos alemães e atendia pelo nome de Sudoeste Africano Alemão. Graças ao governador Von Lindequist, a região foi declarada reserva protegida em 1907 e o que era uma imensa área selvagem utilizada para caça desenfreada tornou-se um dos maiores parques naturais do mundo.

Porém, títulos e adjetivos serão sempre insuficientes para descrever a sensação de ter o caminho cruzado por centenas de zebras e outros bichos africanos. Por isso o melhor ainda é subir em um carro 4x4 e ver de perto, a uma distância quase improvável em outras partes do país, a paisagem que um dia arrancou depoimentos deslumbrados dos primeiros aventureiros vindos da Europa, na segunda metade do século 19.

O motorista responsável pelos safáris, conhecido como 'ranger', não tem pressa. Se for preciso, para o carro, desliga o motor e passa alguns minutos dando longas e curiosas explicações sobre o que os olhos estrangeiros - tão deslumbrados quanto os daqueles viajantes europeus - acabam de ver. Mais do que um safári, é uma aula multidisciplinar com informações sobre alimentação e outros hábitos dos animais encontrados.

Onde se veem apenas árvores, pedras e areias, o olhar viciado daquele experiente homem da selva consegue enxergar pegadas recentes e pistas sobre os ilustres (e cobiçados) habitantes do parque.

Aquela imensa planície verde costuma ser frequentada por rebanhos que são atraídos pelas poças d'água situadas, estrategicamente, à beira dos caminhos de terra e rípio. Acredita-se que 45 mil zebras e 3 mil elefantes vivam na região de Etosha.

Por isso, a melhor época ainda são os meses de seca, entre maio e setembro, quando centenas de animais cruzam o território em busca de água e se aproximam das estradas. É garantia de vida para eles e de emoção para os que visitam a região.

E quando os olhos parecem satisfeitos diante daquela variedade animal, que inclui também aves de beleza rara encontradas apenas no sul do continente africano, outro cenário rouba a cena e o que era o verde de Etosha se transforma em um terreno plano de tons claros, conhecido como Etosha Pan.

Esse impressionante salar de quase 5 mil km², no extremo norte da Namíbia, permanece seco durante quase todo o ano. Mas após breves temporadas de chuvas fortes, atrai grupos de flamingos que se alimentam das algas que crescem nas lagoas que se formam em toda a sua extensão e que, pela falta da impermeabilidade do solo de argila, podem permanecer por ali por um longo tempo.

De norte a sul e do laranja ao verde, a Namíbia parece mesmo uma grande miragem que nem seus habitantes mais selvagens se cansam de voltar para ver.

Serviço

Etosha National Park

www.etoshanationalpark.co.za

Informações turísticas

Namibia Tourism Board

www.namibiatourism.com.na

Wilderness Safaris Camps

www.wilderness-safaris.com

veja também