Faça uma viagem a bordo do maior navio do mundo

Faça uma viagem a bordo do maior navio do mundo

Atualizado: Segunda-feira, 30 Novembro de 2009 as 12

O Fantástico convida você a embarcar em uma viagem pioneira. Estamos abordo do maior navio de passageiros do mundo. Um lugar onde tudo é confortável, divertido e com uma mega tecnologia.

A calmaria dos mares do planeta foi subitamente interrompida pela aparição de um gigante, impressionante desde a construção no estaleiro da Finlândia e com peças tão grandes que fizeram os operários parecer miniaturas.

O Oasis of The Seas tem tamanho de trem, ou melhor, de trens: o equivalente a três composições de metrô e com 65 metros, a altura de um prédio de 20 andares.

O Fantástico faz uma viagem inédita pelo mar do Caribe abordo do maior navio de passageiros do mundo. São 2,2 mil quartos, inúmeros corredores, 24 elevadores e 21 piscinas.

Para acomodar os mais de seis mil passageiros, o gigante dos mares teve que ser dividido em bairros. Um dos mais disputados fica no oitavo andar, é o Central Park. O que é mais impressionante, primeiro, é que ele é a céu aberto e, depois, que tem árvores verdadeiras. São mais de mil espécies de plantas.

Nele tem restaurante italiano, café, loja de tudo o que é tipo, uma espécie de barzinho em praça pública, na área que já é considerada a mais chique do navio. Agora, como o navio é um lugar que tem 16 andares, os bairros ficam uns em cima dos outros.

Um pouco mais embaixo está a chamada Promenade, um luxuoso shopping center.

A operadora de turismo Márcia Rushansky vai trazer um batalhão de brasileiros para o carnaval. "Só no carnaval, nós temos a previsão de quase 400 pessoas de um grupo nosso de Recife. Nós conseguimos inclusive fretar um avião. Nós fretamos um avião, porque não deu conta?, conta.

Os valores ainda não estão fechados, mas o custo estimado para uma semana de estadia é de quase R$ 3 mil ou R$ 50 mil, se for na suíte mais luxuosa da história da navegação. Ele é o primeiro apartamento de dois andares, tipo loft, em um cruzeiro marítimo.

A varanda é tão grande que parece uma pista de corrida. Ela é menor que a do lado de fora, é verdade. Mas a do corredor bate outro recorde em alto mar: são quase 700 metros.

"É coisa de profissional, acho que eu vou mudar de profissão", diz a gerente de vendas Alessandra Maia que praticou aula de surfe no barco em uma piscina artificial.

Daria ainda para se atirar na tirolesa, fazer escalada nas montanhas artificiais, jogar golfe, basquete: tanta coisa que você até se esquece que é um navio.

O capitão explica que a tecnologia usada para comandar o navio é a mais moderna que existe, a mesma usada pela marinha americana.

Quem senta na cadeira de comandante tem uma enorme responsabilidade. Se aparece, digamos, um iceberg pela frente, o marinheiro tem que mudar manualmente os rumos do navio.

O capitão explica é que, hoje em dia, o navio não precisa de âncora. Ele até tem uma âncora, que é uma reserva, mas ele mantém o navio parado apenas com os propulsores que ele controla nos comandos.

"É do mesmo jeito com tudo aqui. Temos a reserva da reserva da reserva da reserva", diz o marinheiro. "Se isso falha, então, temos outro, se esse outro também falha, temos outro. Tudo é assim, porque esses computadores é claro que eles falham".

Então, quer dizer que a gente pode ser obrigado a usar botes pra abandonar o navio? "Não", ele responde, "Só para fazer simulações".

Em todo caso, o navio que é cinco vezes maior do que o Titanic tem barcos salva-vidas suficiente para todo mundo.

Se depender das gargalhadas ou da paz no clube de jazz, nós vamos com toda a segurança do mundo.

É tanta informação, são tantas lojas, cinemas, teatros, restaurantes, não sei quantos quilômetros, 16 andares: é tanta coisa na cabeça que chega um momento em que a gente para e se pergunta: o que é que eu vou fazer agora?

Eles também pensaram nisso e, em todos os andares, tem um computador respondendo exatamente a essa pergunta: o que fazer agora?

Pela primeira vez em alto mar, está uma versão completa de um espetáculo da Broadway, mas, se você não gosta de musical, no anfiteatro, na popa do navio, acontece um espetáculo de circo.

O palco se transforma em uma piscina, e o todo mundo para e assiste ao espetáculo mais impressionante que já se viu em alto-mar. Pela tecnologia, pela ousadia, pela delicadeza dos bailarinos, foi uma estreia à altura, um belíssimo batismo para esse fantástico gigante dos oceanos.

veja também