Governo do RJ anuncia plano de reconstrução de Nova Friburgo

Governo do RJ anuncia plano de reconstrução de Nova Friburgo

Atualizado: Quarta-feira, 26 Janeiro de 2011 as 12:44

O vice-governador e secretário de Estado de Obras do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, reuniu-se com representantes de construtoras de pequeno e médio porte de Nova Friburgo, para solicitar o empenho de todos em um mutirão de reconstrução do município. Ao destacar que o governo estadual já dispõe de recursos para a execução de obras, Pezão pediu aos construtores que apresentem projetos, ate a próxima quarta-feira, para a elaboração de um plano diretor para a cidade mais atingida pela enxurrada.

Pezão lembrou o grande momento de união que a Região Serrana está vivendo, inclusive com a participação de 30 geólogos e mais de 200 engenheiros colaborando com os estudos de reconstrução."É fundamental a utilização dos 180 dias em que a cidade está sob o regime de calamidade pública, para o emprego de tudo que for necessário para as obras emergenciais", ressaltou o vice-governador.

Pezão também anunciou a decisão do Estado de construir um grande parque ecológico, de 20 quilômetros de extensão, em Córrego Dantas, uma das áreas mais duramente castigadas.De acordo com o presidente da Empresa de Obras Publicas do Estado (Emop), vinculada a Secretaria de Obras, Ícaro Moreno Junior, o parque terá áreas de lazer, ciclovia, quadras esportivas, entre outros, e ocupara a área entre a queijaria-escola e o bairro Campo do Coelho.

Para agilizar os recursos necessários, o presidente da Emop informou já dispor de modalidades de contrato emergenciais, baseados nos que são empregados pela empresa no programa Preservando Escolas.

Além disso, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) estuda transformar áreas cuja configuração geográfica e os cursos dos rios foram modificados pela catástrofe climática na Região Serrana do Rio em unidades de proteção, como parques fluviais. Segundo a presidente do Inea, Marilene Ramos, a primeira etapa do projeto já foi iniciada com o mapeamento por satélite e por terra dos municípios atingidos. O Vale do Cuiabá, em Teresópolis, por exemplo, antes ocupado por condomínios de luxo, deve se tornar uma unidade de conservação.

Além disso, a criação dos parques fluviais tem por objetivo inibir as construções irregulares. Conforme avaliações preliminares, o Vale do Cuiabá pode ter algumas ruas e acessos fechados para que seja possível a recomposição natural da área.

veja também