Guarda-vidas alertam para perigos de afogamento na temporada

Guarda-vidas alertam para perigos de afogamento na temporada

Atualizado: Sexta-feira, 10 Dezembro de 2010 as 3:59

A temporada de férias está aí. Nesta época do ano, milhares de pessoas trocam a agitação da capital pelo sossego e beleza das praias do litoral paulista. Praia Grande, por exemplo, chega a receber mais de 1,2 milhões de turistas. Sol e mar para os visitantes. Preocupação para os guarda-vidas do 17º Grupamento de Corpo de Bombeiros "Salvamar Paulista" que atuam nas areias. No Estado, esta é a unidade responsável pelo patrulhamento, resgate, prevenção, busca e salvamento marítimo nos 650 quilômetros de costa e 392 quilômetros de praias, distribuídos em 14 municípios. Entre eles os da Baixada Santista, Ilha Comprida, São Sebastião, Ubatuba e Caraguatatuba.

A maior preocupação desses bombeiros é realizar um forte trabalho preventivo. Entretanto, mesmo com as campanhas educativas e a redução dos acidentes e mortes, o grande problema continua sendo os afogamentos. Segundo o último levantamento realizado 89% dos afogados são do sexo masculino, 73% solteiros, 59% turistas da grande São Paulo, 25% têm de 15 a 18 anos, 34% com primeiro grau incompleto, 44% são estudantes, 89% não sabem nadar, 66% são vítimas da correnteza e maioria dos afogamentos, 39%, ocorrem aos domingos.

Na tentativa de amenizar o problema, adotou-se, desde 2001, o projeto Operação Praia Segura, um plano de ação que envolve o aumento do número de guarda-vidas nas praias mais procuradas pelos turistas, reforço dos equipamentos utilizados para resgate e prevenção de acidentes e afogamentos, além do trabalho de conscientização. Segundo o Salvamar, a principal causa dos afogamentos é a imprudência dos banhistas que insistem em não obedecer às placas de advertência espalhadas pelos locais de risco. Todas as praias são perigosas. A redução no número de acidentes só vai depender da postura de seus freqüentadores, alertam os bombeiros.

Férias Seguras

Os procedimentos seguidos pelos Bombeiros no atendimento aos banhistas em situações de risco indicam que manter a tranqüilidade é fundamental para evitar o afogamento e possibilitar o resgate. Normalmente, esses acidentes ocorrem porque as pessoas nadam contra a correnteza e se desesperam. O corpo cansa e acaba afundando. Abaixo, algumas dicas:

As crianças se perdem com facilidade. Não as perca de vista e procure identificá-las; Afaste-se das costeiras e pedras. Você pode escorregar ou ser derrubado pelas ondas; Se você se sentir em perigo, não entre em pânico. Tente boiar; Se estiver sendo arrastado por uma corrente marítima, procure nadar paralelo à praia; Não abuse do álcool. A bebida faz você perder a noção do perigo; Se você não está acostumado com o mar, não confie em bóias, objetos flutuantes e pranchinhas. Esses equipamentos transmitem uma falsa segurança; E lembre-se: água no umbigo, sinal de perigo!

veja também