Holambra, em SP, mistura o charme europeu com o clima brasileiro

Holambra, em SP, mistura o charme europeu com o clima brasileiro

Atualizado: Terça-feira, 8 Fevereiro de 2011 as 1:17

Conhecida pela produção de flores, Holambra reúne o requinte europeu com o clima tropical brasileiro. Localizada a 120 km da capital paulista e a 35 km de Campinas, a cidade mantém as origens holandesas e oferece uma verdadeira viagem ao tempo.

Por influência cultural, o forte econômico da cidade é a produção agrícola e o turismo. Holambra conta com aproximadamente 10 mil habitantes e começou a ser povoada após a Segunda Guerra Mundial, quando a Associação dos Lavradores e Horticultores Católicos da Holanda (Katholieke Nederlandse Boer en Tuinders Bonde - KNBTB) enviou para o Brasil uma comissão para viabilizar o projeto de imigração e firmar um acordo com o governo brasileiro.

Entre um moinho e outro, o visitante descobre porque o município é conhecido como a Cidade das Flores. Além da colorida decoração, por lá é possível encontrar mais de dois mil tipos de plantas. Não é à toa que Holambra é a maior produtora e centro de comercialização floral do país e abriga, no mês de setembro, a maior festa de flores de América Latina, a Expoflora.

Considerado o sétimo melhor lugar do país para morar, Holambra também encanta pela arquitetura. As construções típicas estão por toda a cidade, a começar pela fachada da comarca. Em 2008, foi inaugurado o Moinho Povos Unidos - a cópia fiel do modelo holandês é parada obrigatória para os turistas.

Vale conhecer o Museu Histórico e Cultural de Holambra. Localizado na Avenida Mauricio de Nassau, o local abriga fotos da colonização na cidade, réplicas de casas da época, maquinário e objetos usados pelos imigrantes.

Na Cidade das Flores, é possível ainda acompanhar a produção da cachaça artesanal, fazer passeios equestres, conhecer estufas de flores e caminhar ao redor de lindos lagos.

Holanda, América, Brasil

A povoação de Holambra começou logo após a Segunda Guerra Mundial, quando o governo holandês incentivou a imigração para países como Canadá, Austrália, França e Brasil.

Por ser o único país a aceitar a imigração de grandes grupos, a KNBTB enviou para o Brasil uma comissão para viabilizar o projeto de imigração e firmar um acordo com o governo.

Em 1948, o líder e idealizador do projeto de imigração, J. Gerrt Heymeyer, oficializou as atividades de exploração e colonização. Na ocasião, formou-se a Cooperativa Agro Pecuária Holambra, cujo nome originou das iniciais Holanda, América, Brasil.

A princípio a comunidade teria como principal atividade econômica o gado, mas devido à longa viagem, a falta de vacinação e a doenças, como a febre aftosa, o projeto não deu certo. Muitos imigrantes desistiram e retornaram para a Holanda, outros foram tentar a sorte mais ao sul do Brasil.

Os imigrantes que permaneceram no Brasil se uniram aos nativos e em 1951 iniciaram a produção de gladíolos (palma de santa rita). Entre 1958 e 1965 a cultura se expandiu e em 72 foi criado o departamento de floricultura, dentro da cooperativa Agro Pecuária Holambra para a venda de grande variedades de flores e plantas ornamentais.

Até os anos 80, Holambra era uma pequena comunidade que pertencia a Jaguariúna. Foi apenas em 1991 que a Cidade das Flores ganhou o título de município e em 1998 tornou-se uma Estância Turística.

veja também