Holanda proíbe turistas de frequentar cafés para comprar maconha

Holanda proíbe turistas de frequentar cafés para comprar maconha

Atualizado: Segunda-feira, 30 Maio de 2011 as 10:13

O governo holandês afirmou nesta sexta-feira (27) que vai começar a proibir turistas de ter acesso aos seus cafés --ou coffee shops-- para comprar maconha, além de impor restrições aos próprios clientes holandeses até o fim do ano.

A Holanda é muito conhecida por ter uma das políticas mais liberais para drogas leves, o que fez de seus cafés com venda e uso tolerados de maconha uma popular atração turística, particularmente em Amsterdam.   Apoiada pelo partido de extrema direita do político anti-imigrantes Geert Wilders, a coalisão do governo que chegou ao poder no ano passado anunciou planos para frear o "turismo de drogas", como parte de um programa nacional para promover saúde e combater o crime.

"Para atacar a criminalidade associada com os cafés e o tráfico de drogas, a política de portas abertas desses estabelecimentos vai terminar", disseram os ministros holandeses da Justiça e Saúde em uma carta para o Parlamento nesta sexta-feira.

Sob as novas regras, apenas residentes holandeses serão permitidos a se inscrever como membros destes cafés para uso de maconha.

Clientes holandeses terão que se inscrever por períodos de no mínimo um ano e cada loja poderá ter no máximo 1.500 membros, disse um porta-voz do ministro da Justiça.

A nova política será aplicada nas províncias do Sul, em Limburgo, Noord Brabant e Zeeland, até o fim do ano. Mas o restantes do país também estará incluso no ano seguinte, ainda segundo o porta-voz.

Amsterdam, onde há cerca de 220 coffe-shops, já está no processo de fechar alguns deles. Há oficiais que se opõem às medidas, dizendo que vão impulsionar um mercado negro das drogas leves.

Algumas cidades holandesas de fronteira, incluindo Maastricht e Terneuzen, já bloquearam a venda da maconha aos estrangeiros.    

veja também