Ilha baiana é reduto de turismo ecológico

Ilha baiana é reduto de turismo ecológico

Atualizado: Segunda-feira, 15 Março de 2010 as 12

Boipeba foi descoberta há poucos anos pelo turismo. Mas ainda hoje permanece como uma pequena vila rústica frequentada pelos amantes da natureza. Casas simples, pequenos restaurantes, ruas de terra e areia onde não circulam carros, barracas de praia com sombreiros de piaçava. Falando assim parece até um lugar remoto, um tanto primitivo. Mas são exatamente essas características que fazem de Boipeba um lugar especial, extremamente aconchegante.

Apesar de o turismo na região ter crescido muito na última década, Boipeba ainda é uma calmaria. Mais frequentada por jovens mochileiros, o local é ideal para quem quer somente relaxar, longe do burburinho das grandes cidades. É bem verdade que no verão é difícil achar quartos nas melhores pousadas. Mas é só passar o carnaval que as praias voltam a ficar quase desertas. O movimento se concentra na Praia Boca da Barra, em frente à vila. Basta andar um pouquinho que já é possível ficar isolado novamente.

Aliás, o que não falta é praia semi-virgem nessa ilha. Situada no baixo sul da Bahia, a ilha de Boipeba é cercada pelo oceano por um lado, e pelo estuário do Rio do Inferno no outro extremo. São 20km de um litoral quase deserto, com áreas de mar aberto e outras protegidas por grandes arrecifes que formam piscinas naturais. Em frente à vila, a Praia Boca da Barra é a mais movimentada da ilha. É aí que estão o atracadouro e a maioria das barracas. Entretanto esse também é um dos pontos mais belos da Velha Boipeba, com paisagens formada pelo encontro do rio com o mar, barquinhos coloridos que salpicam a água azul, coqueirais que invadem a areia branca de um lado e manguezais do outro.

Logo a seguir, ainda bem próxima à vila, a Praia do Outeiro ainda tem certo movimento de pessoas que saem para caminhadas ou para um gostoso banho de sol e mar. Mais ao sul, a pequenina Praia das Pedras é apenas ponto de passagem para quem visita Tassimirim, uma enseada praticamente desabitada. Caminhando um pouco mais, chega-se a Coeira. Com uma extensa faixa de areia, a praia tem mar levemente agitado, com pequenas ondas. Ali também há uma barraca rústica, feita de madeira com palhas de coqueiro, ótima lugar para descansar e saborear petiscos.

Moreré é um dos paraísos da ilha. Formada por piscinas naturais, o mar de água morna é ótimo para relaxar. Esse é também um dos melhores lugares da ilha para a prática do mergulho. A seguir, fica a Praia de Bainema, com acesso por uma trilha de areia quente. O mar não é o mais bonito da região, mas o local é garantia de sossego total, inclusive no verão. A Cova da Onça e a Ponta dos Castelhanos, que é acessível apenas de barco, são as últimas praias da ilha.

Barcos partem da vila de Boipeba para qualquer uma dessas praias. Os passeios mais procurados levam até Moreré, que sai por cerca de R$30 por pessoa. Para quem tem pouco tempo, pode aproveitar e conhecer todas as praias de uma só vez em excursões que dão a volta na ilha.

Um passeio imperdível é a caminhada da vila de Boipeba até Moreré. Assim é possível conhecer várias dessas praias, com direito à parada para banho de rio na divisa entre Coeira e Moreré. A caminhada dura entre 1he30 3h, a depender do ritmo e das paradas para curtir as praias. Chegando a Moreré, aproveite para experimentar a moqueca com banana-da-terra servida em algumas das barracas de praia. Na volta, pegue um trator até Boipeba por R$5

Hospedagem e alimentaçã em Boipeba

A Velha Boipeba, como é conhecido o trecho mais habitado da ilha, abriga várias pousadas e alguns restaurantes que servem a tradicional comida baiana. Para quem quer fugir da moqueca ou dos pratos à base de frutos do mar, há poucas opções. A Taberna de La Isla serve um cardápio diferenciado, com entrada, salada, duas opções de prato principal - que variam diariamente - e sobremesa por cerca de R$28, muito bem servido. O Chez Iris & Igor serve petiscos e crepes. Já o Lancora Restaurante, na Marina de Boipeba, serve o melhor das massas italianas. O destaque da comida da terra fica por conta do Panela de Barro, na vila, e do Mar e Coco, em Moreré. Quem gosta de comer tarde, aqui vai uma dica: é bom reservar uma refeição mais cedo, porque muitas vezes a comida acaba em muitos restaurantes.

Muitas pousadas de Boipeba são bem pequenas, com apenas quatro ou seis quartos, perfeitas para quem quer privacidade. Outras pousadas prezam pelo charme que o toque rústico oferece, sem abrir mão do conforto. Seja qual for a sua preferência, fora da alta estação, a garantia de apartamentos vagos é quase certa na maioria das pousadas.

Para quem quer ficar em frente ao mar, há diversas opções, como a Marina de Boipeba (75 3653-6068), a Pérola Beach (71 9601-8767), a Boipeba Eco Louge (75 9979-3077), a Luar das Águas (75 3653-6015) e a Pouso da Maré (75 3653-6969). Quem prefere ficar em um local mais reservado, com bela vista, vale conferir a Mangabeiras (75 3653-6153 / 3653-6182) e a Casa de Irene (75 3653-6338). No centro da vila há algumas opções, normalmente mais simples e mais em conta, como a Pousada do Sossego (75 36536219) e a Pousada Caminho das Pedras (75 3653-6168) O site www.ilhaboipeba.org.br/pousadas.html tem várias dicas de hospedagem.

Na ilha ainda não há bancos nem casas de câmbio. Hoje, vários locais aceitam cartões, mesmo assim é bom ir preparado e levar dinheiro em espécie para não ter surpresas. Passeios de barcos, muitos restaurantes e barracas de praia, mercadinhos e bares ainda trabalham somente com dinheiro. O sistema de comunicação também não é dos melhores. Celulares funcionam em alguns pontos da ilha, principalmente na praia. Mas há telefones públicos e cyber-café.

Como chegar em Boipeba

H á várias maneiras de para chegar a Boipeba. A mais rápida é a via aérea. Bimotores voam do aeroporto de Salvador para o extremo sul da ilha de Tinharé, (R$340) de onde partem barcos até Boipeba (R$10). Outra opção é a viagem de catamarã (R$75), de Salvador a Morro de São Paulo. Daí é possível ir de trator e barco até Boipeba. Porém quem prefere uma viagem de carro terá que ir até Valença. Daí, lanchas vão até Boipeba (R$35) ou barcos em viagem de 4h (R$12). Há opções de travessia também por Torrinhas (R$25), na ilha de Cairu.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também