Ilha de Formentera é um destino paradisíaco

Ilha de Formentera é um destino paradisíaco

Atualizado: Segunda-feira, 26 Setembro de 2011 as 8:17

A meia hora de barco da mítica e amalucada Ibiza, a ilha de Formentera (Ilhas Baleares, Espanha) se gaba de proteger a intimidade de seus visitantes e de saber conjugar o turismo com a proteção ao meio ambiente. Sem aeroporto onde aterrissar, sua chegada por mar desanima o tradicional turista, mas estimula quem sabe que o esforço vale a pena.

Apesar de se tratar de uma pequena ilha de 9.500 habitantes, com 25 quilômetros de comprimento e 14 de largura, sua forma recortada faz com que conte com 82 quilômetros de costa. O visitante pode degustar de pequenas e recônditas ¿calas¿ (locais para pescar) ou de extensas praias de areia, rochas e dunas, todas elas limitadas com água de uma transparência infinita.

Poseidônia, patrimônio da humanidade.

O segredo das nítidas águas de Formentera está em uma imensa pradaria de poseidônia de oito quilômetros de extensão que rodeia a ilha, uma planta que vive sob o mar e que é considerado o organismo vivo mais velho que existe, com cem mil anos de existência.

A poseidônia, uma autêntica floresta marinha, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1999 por atuar como depuradora natural para limpar a água e permitir a sedimentação de areia no litoral, proteger as espécies marinhas e propiciar a existência de aves, atraídas por causa do bom ambiente.

Embora o visitante seja alheio à existência desta verdadeira ecologista, aprecia a energia positiva que o ambiente lhe proporciona quando decide alugar uma bicicleta para visitar a ilha e contemplar sobre duas rodas suas paragens mais ocultas, ir a seus mercadinhos artesanais ou degustar a gastronomia da região, baseada prioritariamente no pescado.

Uma ilha acessível e agradável, de caminhos verdes, florestas de pinheiros e sabinas, em contraste com suas zonas rurais, muito mais agrestes, com várias figueiras, para que o visitante possa fazer uma parada no caminho e degustar os figos enquanto descansa de sua caminhada em qualquer sombra de sua rota.

A ausência de construções na maior parte de seu litoral e a aposta há décadas em um turismo sustentável alheio às massificações urbanísticas, fazem deste cantinho do Mediterrâneo, com uma temperatura média de 18,6 graus centígrados, um dos últimos paraísos perdidos, refúgio e fonte de inspiração de grande quantidade de artistas e artesãos.

Por lá também passaram lendários músicos como Robert Fripp, The King Crimson, Syd Barret, Roger Waters e Rick Wright, da banda Pink Floyd, e até o próprio Bob Dylan. Inclusive se comenta que alguns planos do filme "More", com trilha sonora de Pink Foyd, como o que inclui as pás de um moinho, foram rodadas na ilha.

veja também