Instituto Baleia Franca comemora uma década com lançamento de catálogo sobre a espécie

Instituto Baleia Franca comemora uma década com lançamento de catálogo sobre a espécie

Atualizado: Quinta-feira, 30 Setembro de 2010 as 1:52

Publicação traz informações sobre comportamento e distribuição geográfica dos cetáceos

Uma das visitantes mais ilustres de Santa Catarina receberá um publicação completa. Será lançado nesta quinta-feira, em Florianópolis, o Catálogo Baleia Franca Austral, que marca as comemorações dos 10 anos do Instituto Baleia Franca (IBF).

O material foi criado pelo empresário Enrique Litman, presidente do IBF e proprietário do Grupo Vida Sol e Mar, em conjunto com a bióloga do IBF Mônica Pontalti.

A publicação traz informações como as características da espécie, comportamento e distribuição geográfica dos cetáceos, história da caça às baleias e definição da Área de Proteção Ambiental (APA) da baleia-franca. Turismo de observação de baleias, pesquisas e projetos educacionais também fazem parte da publicação.

Histórico

Com sede na Praia do Rosa, em Imbituba, o Instituto Baleia Franca foi fundado em outubro de 2001 e tem como missão fortalecer as políticas públicas ambientais voltadas à preservação da baleia-franca e do ecossistema local.

O trabalho do IBF é direcionado a pesquisas científicas, projetos de educação ambiental, turismo de observação de baleias, entre outras ações. O turismo de observação no Brasil recebe em média 10 mil turistas por ano, e Santa Catarina é considerado um dos pólos mais importantes do país para a prática.

— A atividade é um dos grandes atrativos do ecoturismo e proporciona às pessoas a interagirem com o que o destino oferece — ressalta o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Valdir Walendowsky.

Publicação traz informações sobre comportamento e distribuição geográfica dos cetáceos

Uma das visitantes mais ilustres de Santa Catarina receberá um publicação completa. Será lançado nesta quinta-feira, em Florianópolis, o Catálogo Baleia Franca Austral, que marca as comemorações dos 10 anos do Instituto Baleia Franca (IBF).

O material foi criado pelo empresário Enrique Litman, presidente do IBF e proprietário do Grupo Vida Sol e Mar, em conjunto com a bióloga do IBF Mônica Pontalti.

A publicação traz informações como as características da espécie, comportamento e distribuição geográfica dos cetáceos, história da caça às baleias e definição da Área de Proteção Ambiental (APA) da baleia-franca. Turismo de observação de baleias, pesquisas e projetos educacionais também fazem parte da publicação.

Histórico

Com sede na Praia do Rosa, em Imbituba, o Instituto Baleia Franca foi fundado em outubro de 2001 e tem como missão fortalecer as políticas públicas ambientais voltadas à preservação da baleia-franca e do ecossistema local.

O trabalho do IBF é direcionado a pesquisas científicas, projetos de educação ambiental, turismo de observação de baleias, entre outras ações. O turismo de observação no Brasil recebe em média 10 mil turistas por ano, e Santa Catarina é considerado um dos pólos mais importantes do país para a prática.

— A atividade é um dos grandes atrativos do ecoturismo e proporciona às pessoas a interagirem com o que o destino oferece — ressalta o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Valdir Walendowsky.

Publicação traz informações sobre comportamento e distribuição geográfica dos cetáceos

Uma das visitantes mais ilustres de Santa Catarina receberá um publicação completa. Será lançado nesta quinta-feira, em Florianópolis, o Catálogo Baleia Franca Austral, que marca as comemorações dos 10 anos do Instituto Baleia Franca (IBF).

O material foi criado pelo empresário Enrique Litman, presidente do IBF e proprietário do Grupo Vida Sol e Mar, em conjunto com a bióloga do IBF Mônica Pontalti.

A publicação traz informações como as características da espécie, comportamento e distribuição geográfica dos cetáceos, história da caça às baleias e definição da Área de Proteção Ambiental (APA) da baleia-franca. Turismo de observação de baleias, pesquisas e projetos educacionais também fazem parte da publicação.

Histórico

Com sede na Praia do Rosa, em Imbituba, o Instituto Baleia Franca foi fundado em outubro de 2001 e tem como missão fortalecer as políticas públicas ambientais voltadas à preservação da baleia-franca e do ecossistema local.

O trabalho do IBF é direcionado a pesquisas científicas, projetos de educação ambiental, turismo de observação de baleias, entre outras ações. O turismo de observação no Brasil recebe em média 10 mil turistas por ano, e Santa Catarina é considerado um dos pólos mais importantes do país para a prática.

— A atividade é um dos grandes atrativos do ecoturismo e proporciona às pessoas a interagirem com o que o destino oferece — ressalta o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Valdir Walendowsky.

Publicação traz informações sobre comportamento e distribuição geográfica dos cetáceos

Uma das visitantes mais ilustres de Santa Catarina receberá um publicação completa. Será lançado nesta quinta-feira, em Florianópolis, o Catálogo Baleia Franca Austral, que marca as comemorações dos 10 anos do Instituto Baleia Franca (IBF).

O material foi criado pelo empresário Enrique Litman, presidente do IBF e proprietário do Grupo Vida Sol e Mar, em conjunto com a bióloga do IBF Mônica Pontalti.

A publicação traz informações como as características da espécie, comportamento e distribuição geográfica dos cetáceos, história da caça às baleias e definição da Área de Proteção Ambiental (APA) da baleia-franca. Turismo de observação de baleias, pesquisas e projetos educacionais também fazem parte da publicação.

Histórico

Com sede na Praia do Rosa, em Imbituba, o Instituto Baleia Franca foi fundado em outubro de 2001 e tem como missão fortalecer as políticas públicas ambientais voltadas à preservação da baleia-franca e do ecossistema local.

O trabalho do IBF é direcionado a pesquisas científicas, projetos de educação ambiental, turismo de observação de baleias, entre outras ações. O turismo de observação no Brasil recebe em média 10 mil turistas por ano, e Santa Catarina é considerado um dos pólos mais importantes do país para a prática.

— A atividade é um dos grandes atrativos do ecoturismo e proporciona às pessoas a interagirem com o que o destino oferece — ressalta o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Valdir Walendowsky.

veja também