Jantar lírico ou com cara de F1: descubra onde encontrá-los em Paris

Jantar lírico ou com cara de F1: descubra onde encontrá-los em Paris

Atualizado: Terça-feira, 1 Março de 2011 as 3:24

A capital mundial da alta gastronomia não é feita apenas de restaurantes chiques, bistrôs descolados ou cafés tradicionais. Tão criativa quanto na invenção de pratos, Paris também oferece lugares insólitos para fazer uma refeição. O Terra visitou dois deles: os restaurantes Bel Canto - onde os garçons subitamente se transformam em cantores de ópera - e o Auto Passion - o "pit stop" obrigatório dos apaixonados por carros.

Veja mais fotos  

À primeira vista, o Bel Canto - instalado nas margens do Rio Sena, a poucos metros do badalado bairro do Marais - parece um restaurante fino como tantos outros que embelezam a capital francesa. Decoração requintada, ambiente elegante, cardápio de primeira, onde os pratos tradicionais franceses se misturam com os italianos. O preço é único: 76 euros, com direito a entrada, prato principal e sobremesa. Valor salgado se comparado à média dos restaurantes franceses - mas o tal do "jantar lírico" anunciado no menu é bem mais do que uma refeição ao som ao vivo de um pianista, que se instala no canto da sala e se põe a tocar música clássica.

Tão logo os aperitivos começam a ser servidos, uma surpresa se desvenda: entre um prato e outro, e de uma hora para a outra, a voz dos garçons se sobressalta. Estão abertas as cortinas (invisíveis) para o início da primeira esquete da noite. Ao longo do jantar, serão pelo menos 10 momentos como este, repetidos a cada 10 minutos, em média.

Em apresentações que podem ser individuais ou com até quatro participantes, os garçons circulam entre as mesas enquanto interpretam Rigoletto, Don Pasquale ou a alegre La Traviata, o apogeu da noite, quando os clientes são convidados a cantarolar em troca de uma taça de champanhe oferecida pela casa. A toda a vez que os garçons-cantores se revelam, o ambiente fica um pouco mais descontraído, para culminar com os clientes interagindo entre si e criando uma atmosfera de "cantina da nona" bastante pitoresca.

Ao final de cada encenação, a transformação ao inverso é imediata: como se nada tivesse acontecido, os cantores voltam a servir pratos e bebidas. Para quem jamais pôs os pés em uma ópera, a experiência é encantadora, um convite para conhecer melhor este gênero; para os experimentados, o diferencial das apresentações é o improviso, realizado por verdadeiros artistas que fazem as vezes de garçons por não mais que algumas noites por mês. Os homens e mulheres que servem os clientes são, na realidade, cantores profissionais, que veem no Bel Canto uma oportunidade de se promover e, sobretudo, se divertir.

Desta forma, em seus dois restaurantes em Paris - o segundo fica em Neuilly, a periferia rica da capital -, o Bel Canto emprega cerca de 100 cantores líricos e 20 pianistas, que raramente entram em cena em um grupo idêntico, explica o diretor do restaurante em Hôtel de Ville, Antonio Marcelo. "A espontaneidade dos encontros de artistas que não necessariamente se conhecem dá um toque todo especial à interpretação de óperas tão conhecidas", afirma. As palmas entusiasmadas dos clientes não deixam dúvidas.

No Auto Passion, prepare-se para beber gasolina

Calma, internauta: a ideia do Auto Passion não é intoxicar ninguém - este é apenas o nome que o bar-restaurante dá para os vinhos tintos na carta, seguidos por "diesel", para os rosés, e "álcool", para os brancos. Da mesma forma, as entradas são chamadas de "largada", os pratos principais, de "pit stop" e as sobremesas, é claro, são a "linha de chegada". Na mesma linha, os drinks chamam-se "Imola", "embreagem" ou "ABS", dependendo da força alcoólica da bebida. O cardápio é variado e oferece desde opções básicas, como um filé com fritas, até uma gastronomia mais elaborada, a 28 euros o menu com três pratos.

Nas paredes do local, ferramentas, motores, pneus e peças de carros se misturam a troféus, fotos e reportagens sobre Fórmula 1, Kart, Stock Car e outras modalidades do automobilismo. Nos telões, experts no assunto dão dicas de como melhorar a performance de um carro ou transformá-lo em um modelo de competição. Sem surpresa, corridas automotivas também passam a todo o instante.

Neste estabelecimento para lá de original, absolutamente tudo faz referência ao automobilismo. Nem pense em entrar no toalete sem antes conferir se o semáforo dá sinal verde e indicando que o banheiro está vago, por exemplo. E se preferir jantar como se estivesse em uma cabide de fórmula 1, reserve a mesa que tem assentos originais de um veículo de competição, com cintos de segurança e tudo.

Mas a estrela do restaurante são os carros de exposição: um diferente é colocado a cada três semanas no centro do Auto Passion - até uma Ferrari já decorou o bar. Emprestados por colecionadores ou montadoras, os veículos recebem uma iluminação especial e concentram as atenções quando o relógio passa da meia-noite, o volume da música aumenta e o restaurante ganha ares de boate.

Não à toa, o local é frequentado por pilotos, jornalistas especializados e dirigentes das montadores, além de servir de cenário para programas especiais sobre automobilismo. Mas se engana quem pensa que o público masculino é a unanimidade no local. "Muito pelo contrário! Enche de mulheres à noite", defende-se o gerente do estabelecimento, Vincent Durand. "O Auto Passion atrai pessoas que buscam por experiência diferente, e não apenas os fissurados por carro", explica. O estabelecimento abre diariamente das 9h às 2h.

veja também