Japão interrompe promoção turística, mas destaca áreas seguras

Japão interrompe promoção turística, mas destaca áreas seguras

Atualizado: Quarta-feira, 30 Março de 2011 as 11:30

O presidente da Organização Nacional de Turismo do Japão (JNTO), Takatoshi Mamiya, anunciou nesta segunda-feira (28), em Tóquio, que o governo do país "decidiu interromper temporariamente suas atividades de promoção turística".

Essa decisão foi tomada "considerando que ainda existe a possibilidade de réplicas de tremores, e que deve ser dada a mais alta prioridade para os esforços de resgate e ajuda às vítimas", declarou Mamiya.

"Uma vez que a situação no Japão se estabilize, vamos dedicar todos os esforços para retomar todas as atividades promocionais", em "um futuro muito próximo", completou ele.

A tragédia no Japão, que começou há cerca de duas semanas, no dia 11 de março, com o primeiro terremoto --seguido por tsunami e desastre nuclear--, teve um "enorme impacto" no turismo do país, como era de se esperar.

Mas Mamiya ressalta que, "embora muitas áreas no Japão tenham permanecido ilesas, também estão sofrendo de brusca queda no número de visitantes internacionais".

Ele diz se preocupar que isto afete "muito negativamente não só a indústria do turismo japonês diretamente, como também nossos parceiros pelo mundo".

POR REGIÕES

A JNTO reconhece que a região de Tokoku, no nordeste do Japão, onde ficam as gravemente afetadas províncias de Miyagi, Fukushima e Iwate, mas também Akita, Aomori e Yamagata, segue com muitas dificuldades para viajar.

Devido ao acidente nuclear, a própria organização fortemente recomenda não viajar a Fukushima por enquanto.

Mas em Tóquio e região, o transporte público já foi em sua maior parte recuperado, embora ainda haja mudanças de horários, devido a apagões periódicos impostos para a conservação de energia.

Alguns hotéis e outros estabelecimentos e serviços locais diminuem o horário de atendimento, e é recomendável sempre checá-los com antecedência.

Em outras regiões, incluindo Hokkaido, Kansai (como Kyoto e Osaka), Chugoku, Shikoku, Kyushu e Okinawa, as instalações turísticas e serviços de transporte operam normalmente.

veja também