"La linda" Salta, na Argentina, leva os visitantes às alturas

"La linda" Salta, na Argentina, leva os visitantes às alturas

Atualizado: Terça-feira, 17 Novembro de 2009 as 12

Em toda a Argentina, Salta é conhecida como "la linda". E com razão. Essa cidade verde está a mais de mil metros de altura e ainda preserva seu estilo colonial nas casas e ruas estreitas da capital da província de mesmo nome. É uma mistura equilibrada de grande metrópole com tradições culturais anteriores à chegada dos incas.

E é bem no centro de duas geografias bem opostas que Salta leva o visitante para todos os caminhos. De um lado, os altos cumes andinos; de outro, as planícies orientais de clima quente e úmido. E no centro, uma encruzilhada de rotas que já ligaram a riqueza do Rio de Prata a Lima nos tempos em que a região estava sob domínio espanhol.

Como na frase conhecida, nada se cria e tudo se repete. Primeiro foram os incas, no século 12, que viram naquelas terras férteis o local ideal para suas produções agrícolas; logo, vieram os espanhóis e aproveitaram a região como uma estratégica via natural de comunicação com cidades importantes da Bolívia e do Peru. Quatro séculos depois, espanhóis voltaram a invadir a região de Salta. Assim como franceses, alemães e tantos outros viajantes estrangeiros que utilizam a cidade como trampolim para alcançar os céus de Salta.

São nas altitudes elevadas do Vale de Lerma que o turismo de Salta faz voos mais altos e atrai turistas de todo o mundo para um dos trechos menos explorados e divulgados do país: o extremo noroeste argentino e suas montanhas sagradas.

E para se ter a real noção da grandiosidade da região, a regra é subir. O ar começa a faltar logo no ponto turístico mais visitado da cidade: o "Cerro San Bernardo". Ao pé desse morro, a 1.454 metros de altura, não se pode imaginar o real tamanho de toda a cidade, mas quando o visitante chega ao seu topo, "Salta, la linda" prova que a alcunha não é gratuita. Para facilitar, um teleférico sai do Parque San Martín e, em menos de dez minutos, deixa o visitante de cara com uma surpreendente visão panorâmica de toda a cidade.

Viver nas alturas é algo tão natural em toda a Província de Salta que foi preciso até construir um trem que pudesse chegar o mais perto possível do céu: o "Tren a las Nubes".

Em todo o mundo, o projeto é considerado um marco da engenharia devido à ideia arrojada de se construir uma malha férrea com trilhos que saem de dentro das montanhas da Quebrada del Toro, "escalam" altas montanhas e alcançam os impressionantes 4.200 metros de altura em seu destino final: o tão esperado Viaducto La Polvorilla.

A geografia local complica, mas também ensina. O engenheiro responsável pela obra, o norte-americano Richard Fontaine Maury, inspirou-se nos movimentos das cabras que pastavam pela região para criar o sistema de ziguezague dos trilhos, uma espécie de engrenagem que permite que os vagões subam a altitudes tão elevadas. "La linda" fica ainda mais bela quando quase toca o céu.

veja também