Lagos para se admirar

Lagos para se admirar

Atualizado: Segunda-feira, 9 Maio de 2011 as 9:26

Paisagens sedutoras, atividades ao ar livre e muita, muita água. Selecionamos em cinco diferentes continentes, lagos que impressionam por suas cores e beleza

Em meio a vulcões, montanhas nevadas ou campos verdejantes, lagos pelo mundo transformam a paisagem em cena de cartão-postal. Passar uma temporada às suas margens é garantia de belos cenários e muitas atividades ao ar livre. Dá para navegar de barco, nadar, pescar, fazer trilhas, passear de caiaque. Ou simplesmente desfrutar a paisagem, na calmaria de vilarejos à beira da água. Uma viagem para ninguém sentir falta da areia e do mar.

Lago Atitlán, Sololá, na Guatemala

Os vulcões Tolimán e Atitlán compõem a paisagem do Lago Atitlán

Quando esteve na Guatemala, o autor de Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley, disse que Atitlán era ?o lago mais bonito do mundo?. O escritor inglês não é o único a pensar assim. Formado após uma grande erupção vulcânica, há 84 mil anos, o lago, a 50 km de Antigua, está a 1.560 metros acima do nível do mar. Ele é cercado por todos os lados por montanhas escarpadas verdejantes, pitorescos vilarejos ribeirinhos e por três imponentes vulcões. Como não há uma estrada que circunda o lago, o melhor e mais agradável é pegar um barco para visitar uma das 11 comunidades às suas margens. Nestes vilarejos, a cultura maia prevalece e trajes tradicionais ainda são usados. Para os aventureiros, o imperdível é subir até o cume de vulcões. Para chegar ao topo do Atitlán, o maior deles, são oito horas de trekking. A recompensa: uma privilegiada vista do lago e da costa da Guatemala.   Lago Tahoe, Nevada, Estados Unidos

As cristalinas águas do Lago Tahoe atraem visitantes o ano inteiro

As águas transparentes, ora em tons de verde ora em azul, fazem a fama do enorme Lago Tahoe, na fronteira dos estados da Califórnia e de Nevada. Com 501 metros de profundidade, o lago é o segundo mais profundo dos Estados Unidos. Por ser fundo assim, ele nunca congela, mesmo quando as temperaturas atingem 10ºC abaixo de zero. O sol brilha três de cada quatro dias, tornando o local ideal para a prática de atividades ao ar livre, como caiaque, windsurfe, passeios de barco e caminhadas por trilhas, especialmente no verão. Mas o inverno no Lago Tahoe também é disputado. Ao longo dos 116 km de costa, estão doze concorridas estações de esqui.

Lago Bled, Bled, Eslovênia

No centro do Lago Bled tem uma ilha onde está a Igreja de Assunção

Cercado pelas florestas dos Alpes Julianos, o Lago Bled parece saído de um cenário de contos de fadas. Com águas muito azuis, esta joia da natureza tem apenas 2 km de comprimento e 1.380 m de largura. Tão pequeno que basta uma caminhada de uma hora para dar uma volta completa pela costa. Mas apesar do tamanho, sua beleza é encantadora. Cisnes deslizam pela superfície, grandes árvores se debruçam sobre a água, pletnas - barcos ao estilo das gôndolas - passeiam com turistas. Mas o grande atrativo do lago está no centro. Cercado pelas águas, há uma pequena ilha, a única natural na Eslovênia, onde está a Igreja da Assunção, construída no século 15. Para chegar até ela, é preciso subir 99 degraus. Com um cenário encantador, muitos noivos escolhem a igreja como palco de seu casamento. - Leia também: passado e futuro a uma ponte de distância

Lago Nakuru, Nakuru, Quênia

Flamingos colorem de rosa o lago Nakuru

A duas horas da capital Nairóbi está um dos menores e mais belos parques do continente africano, o Parque Nacional Lago Nakuru. Esta reserva ambiental é um santuário de pássaros e de rinocerontes brancos que podem ser vistos no lago de águas rasas e cristalinas. Leopardos, girafas, búfalos e hipopótamos também habitam o parque, declarado Patrimônio da Humanidade da UNESCO desde 2002. O local tornou-se especialmente conhecido por sua larga população de flamingos, estimada em um milhão, formando um tapete rosa sobre as águas. O melhor horário para explorar o local é no fim da tarde. Dá para contornar o lago de 60 quilômetros quadrados de carro. Apesar de bastante movimentado, não deixe de subir até o Monte Baboon para observar o pôr-do-sol.   Lago Matheson, Fox Glacier, Nova Zelândia

As águas escuras do Lago Matheson refletem quase como um espelho

Os cliques das máquinas fotográficas dos turistas não param às margens do Lake Matheson. Conhecido também como Lago Espelho, suas águas de cor marrom-escura refletem perfeitamente o Monte Cook e o Monte Tasman, os picos mais altos da Nova Zelândia. Faça a sua visita logo no comecinho da manhã, quando as águas estão calmas e a sensação de estar diante de um espelho é ainda maior. Para chegar até o lago, da entrada do estacionamento, é preciso cruzar a ponte sobre o rio Clearwater e percorrer uma curta trilha pela floresta. A vista é recompensadora.  

veja também