Liberal e cosmopolita, Amsterdã é a cidade dos canais, dos coffee shops e de grandes museus

Liberal e cosmopolita, Amsterdã é a cidade dos canais, dos coffee shops e de grandes museus

Atualizado: Sexta-feira, 6 Agosto de 2010 as 10:25

Capital e centro nervoso da Holanda, Amsterdã é a lendária cidade de canais (são 165), onde cada agrupamento de quarteirões é uma ilhota ligada à outra por charmosas pontes (1.281). Abriga alguns dos melhores museus da Europa, em especial das artes e da história do último século -por meio da qual testemunhou as guerras religiosas entre católicos e protestantes, a invasão nazista e a perseguição aos judeus.  

Crítica dos absurdos fascísticos e do cerceamento à liberdade, compreende-se o surgimento de sua natureza cosmopolita, liberal, gay e eventualmente transgressora, capaz de chocar os viajantes mais desavisados. Ruas com prostitutas em vitrines, sex shops explodindo em néons, jovens fumando abertamente e uma idéia muitas vezes equivocada do uso livre de narcóticos fazem a imagem   junkie   de Amsterdã.  

Mas existem outras dezenas de Amsterdãs: a mencionada dos museus, a das bicicletas, dos parques, das ruas de comércio, do mercado de flores, dos concertos, dos aconchegantes cafés. Seja como for, é uma das cidades mais encantadoras do continente europeu, mais contida no inverno, radiante no verão, uma visita imperdível, nem que seja por poucos dias para quem de fato planejou Paris ou Londres.   NFORMAÇÕES E SERVIÇO

Fuso horário   - 4h a mais em relação a Brasília (5h no horário de verão)

Código do país   - 0031

Código da cidade   - 020  

Telefone de emergência   - 112 Polícia, Ambulância e Bombeiros

Idioma   - Holandês (Dutch , inglês;   Nederlands , holandês)  

Horários   - O comércio abre ter/sex geralmente entre 8h30/9h-18h, segundas 11h-13h/18h. Bancos ter/sex 9h-16h/17h, segundas a partir das 13h

Gorjetas   - Se o serviço for legal, pode-se contribuir direto com o garçom com uns 10%. Se o atendimento não for bom, não se sinta constrangido em sair sem deixar nada

Feriados   - Poucos: Ano-Novo, 30/abril (aniversário da Rainha) e Natal, mais alguns sem data definida, Páscoa, Dia da Liberação, Ascensão, Domingo e Segunda Pentecostal

Banco do Brasil   - Stadhouderskade 2 1054 Amsterdã, fone (20) 524-1111,   [email protected]

Moeda   - O euro substituiu o guilder.

Câmbio   - Casas de câmbio de rua não cobram comissão e geralmente são a melhor opção

Custos   - Não é um país barato, considerando transporte, acomodação e atrações, com uma boa economia você pode se virar com uns € 35 ao dia, ou com mais conforto a partir de € 60.

Informações turísticas   - Um dos mais procurados é o VVV dentro da estação de trem, na plataforma 2 (suba a escada). Na Stationsplein 10, em frente à estação, há um outro. Um terceiro fica na Leidsenplein 1. Por fim, no aeroporto. Mapas e bastante material disponível, mas não espere muita coisa de graça. Em albergues e hotéis você encontra de tempos em tempos revistas gratuitas com programação da cidade ou lista de serviços entre anúncios publicitários.

Para os que se planejarem, pode valer a pena o   I Amsterdã Card , à venda nos VVVs. É um cartão que garante livre acesso aos transportes, entrada em vários museus, excursão de barco, além de desconto em alguns restaurantes e outras atrações. Não é barato, mas, caso você realmente se programe, prevendo as atrações a visitar, vale.

Internet   - Muitos   EasyEverything , do tipo em que o custo do acesso varia conforme a lotação do local. Entre eles, na Damrak 33, na Reguliersbreestraat 22 e na Leidsestraat 24 (em cima da Free Record Shop). Mas a melhor barbada é na boa Biblioteca Pública, Prinsengracht 587, Internet grátis por 30min, eventualmente necessário reservar.

Assistência médica   -   Onze Lieve Vrouwe Gasthuis , Oosterpark 9, fone 599.9111, hospital público 24h, também atende quem se passou nos entorpecentes; em terra de Red Light District, para enfermidades sexuais,   GG&GD , Groenburgwal 44, atendimento gratuito e anônimo.

Banheiros   - Para os homens, existem mictórios públicos na rua, gratuitos, que tapam parcialmente a criatura (as partes que importam ao menos). É no mínimo engraçado. Para as mulheres e aos envergonhados, o melhor é usar museus, bares, estações, mas freqüentemente tendo que pagar algo, às vezes com uma senhora montando guarda na entrada com um pires na mão

veja também