Locação para férias de julho está mais cara em seis de oito cidades de SP

Locação para férias de julho está mais cara em seis de oito cidades de SP

Atualizado: Quinta-feira, 17 Junho de 2010 as 10:47

Quem pretende passar as férias de julho na montanha deve preparar o bolso. Com exceção de Campos de Jordão e Águas de São Pedro, em outras seis cidades de São Paulo analisadas, o valor de locação só aumentou, frente ao mesmo período do ano passado.

Os dados são de pesquisa do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) divulgada nesta segunda-feira (14), que apura os valores médios diários de casas e apartamentos de um a quatro dormitórios.

As opções para as férias de julho nessas cidades variam de um mínimo de R$ 80 diários, em um apartamento de um dormitório em Serra Negra, cidade conhecida pelo turismo de compras, a até R$ 1.070 diários, em uma casa de quatro dormitórios em Avaré, onde a represa é a principal atração.

"Entre esses extremos, há outras opções para atender aos mais variados gostos e necessidades", disse o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto.

Cada cidade

Em Campos de Jordão, os aluguéis diários estão até 41,24% mais baratos neste ano do que no ano passado. Este é o caso do apartamento de um dormitório, que era locado a R$ 350 em 2009 e passou a R$ 205,67 neste ano.

Outra redução foi identificada em Águas de São Pedro. Na cidade, a diária de uma casa de três quartos passou de R$ 600 para R$ 300 nas férias de julho de 2009 e 2010, uma queda de 50%.

Em Atibaia, por sua vez, o valor do aluguel de uma casa de dois dormitórios chegou a mais que dobrar (+181,25%), ao passar de R$ 80 para R$ 225 por dia. Aumento expressivo também foi verificado em Águas de Lindóia, onde o aluguel médio de uma casa de dois quartos passou de R$ 150 para R$ 396 (+164%).

Em Águas de Santa Bárbara, o aumento foi nas casas de três dormitórios, que passaram de R$ 200 nas férias de julho do ano passado para R$ 412,50 no mesmo período deste ano, um incremento de 106,25%.

Em Avaré, uma casa de quatro quartos ficou com a diária de locação 114% mais cara, ao passar de R$ 500 para R$ 1.070. Em Brotas, o imóvel nas mesmas condições subiu 25%, de R$ 400 para R$ 500. Já em Serra Negra, a maior alta ocorreu nos apartamentos de dois dormitórios, de 70%, uma vez que os preços foram de R$ 100 para R$ 170.

"O importante é não deixar o aluguel para a última hora, situação em que se acaba pagando mais, e ter todo o cuidado possível na hora de formalizar o contrato e fazer o pagamento", aconselhou Viana Neto.

veja também