Locais da região serrana do Rio não atingidos pelas chuvas perdem turistas

Locais da região serrana do Rio não atingidos pelas chuvas perdem turistas

Atualizado: Terça-feira, 18 Janeiro de 2011 as 1:49

Até mesmo localidades que não foram atingidas pelos temporais de quarta-feira estão sofrendo com a fuga de turistas.

O distrito de Sana --famoso destino turístico que pertence ao município de Macaé, mas fica na região serrana-- não viu fortes chuvas e não registrou nenhum prejuízo material.

Mesmo assim, turistas assustados desmarcaram as viagens que haviam planejado. Na pousada Riacho Doce, 16 das 21 reservas foram canceladas.

"Colocaram um letreiro na estrada avisando que o acesso à região estava fechado, mas não houve nada aqui. Policiais também estavam falando para as pessoas não virem para cá, mas havia acesso", disse Egberto Ferreira, funcionário da pousada.

"Isso pode confundir as pessoas. O que tem que ficar claro é que Sana não foi atingido", afirmou o presidente da Associação de Pousadas do distrito, Antenor de Souza.

A pedagoga Gisela Barcelos, 24, foi uma das pessoas que cogitaram desistir da viagem. Mas antes disso telefonou para a pousada que havia reservado e descobriu que a situação estava normal.

O rio Sana não tem sua nascente localizada nas cidades onde houve fortes temporais, como Teresópolis, Petrópolis e Nova Friburgo.

Mesmo assim, por precaução, as quatro cachoeiras do local estavam fechadas para o público na tarde deste domingo. Todos os dias, seis monitores ambientais ficam observando as montanhas onde fica a nascente do rio.

Quando o céu fica encoberto, eles determinam o fechamento do local e percorrem as cachoeiras avisando aos turistas para saírem.

A rodovia RJ-142, conhecida como Serra Mar e que liga Sana a Friburgo, chegou a ficar interditada, mas já foi reaberta. O acesso pela cidade também pode ser feito pela BR-101. Na Serra Mar, vários trechos estão em meia pista devido a deslizamentos de barreiras. Em um ponto, é preciso desviar pela grama --transformada em pista pela passagem de carros-- para seguir caminho.

As interdições de estradas, provocadas por quedas de barreiras, pontes e pistas danificadas, aumentaram as distâncias entre cidades da região serrana e tornaram o tráfego na área um verdadeiro quebra-cabeça.

Na manhã de domingo (16), para ir de Itaipava (distrito de Petrópolis) para Nova Friburgo --ambas localizadas na região serrana-- era preciso descer a serra e subir de novo, por outra estrada, devido à interdição da BR-495. O trajeto levou cerca de de três horas.

veja também