Macau, a China das apostas!

Macau, a China das apostas!

Atualizado: Segunda-feira, 18 Abril de 2011 as 9:24

No dia 20 de dezembro de 1999, Macau, assim como a fervente Hong Kong, volta a ser administrada pela soberania dos chineses. Até então, foram 450 anos sob colonização portuguesa, num interativo intercâmbio de cultura ocidental e oriental, mistura que influenciou a história macaense, sua cultura, a culinária e o estilo de vida daqueles que ali moram.

Para chegar a atual cidade chinesa, com ares portugueses, Macau conta com seu próprio  Aeroporto Internacional, localizado na Ilha de Taipa. São vários voos diretos para lugares da região, América, Ásia e Europa.

De Hong Kong ou de Shenzhen o percurso pode ser feito por helicóptero, numa viagem com duração de 15 minutos. Os turistas também podem optar pelo transporte marítimo, saindo de Hong Kong, numa viagem que dura entre meia hora e uma hora, dependendo da embarcação escolhida, em barcos confortáveis que fazem a travessia quase 24 horas por dia. Para nós, brasileiros, o visto não é necessário.

Independente da opção escolhida para chegar em Macau, já nos primeiros passos que se dá na cidade, é notória a semelhança do local com o Brasil.

São milhares de quilômetros até o outro lado do mundo para andar por ruas, restaurantes e lojas,com grande influência de um mesmo “pai” colonizador. Os portugueses que ali desembarcaram, dificilmente imaginariam que aquele pequeno vilarejo de pescadores se transformaria em um dos maiores centros financeiros e comerciais da Ásia.

Uma nova versão de Las Vegas, com dezenas de hotéis e cassinos, está sendo edificada em Cotai Strip, localizado entre Taipa e Coloane. O objetivo do governo chinês é transformar uma área de 1.8 quilômetros quadrados nas Las Vegas do Oriente.

Atualmente, o maior cassino do mundo está localizado em Macau, no Venetian Hotel and Casino. São mais de três mil quartos e mais de 3.400 máquinas caça níqueis (slot-machines) em uma área de 51.000 m².

Beijing decidiu tornar Macau na “Sin City” da Ásia dando licença para Stanley Ho, um rico homem de negócios de Hong Kong, para Sheldon Adelson, dono do Las Vegas Sands, Inc, e também dono do Venetian e para Steve Wynn, dono do Las Vegas’s Bellagio.

Em 2007, o número de visitantes em Las Vegas foi de 40 milhões contra 27 milhões em Macau.  Isso prova que os amantes do jogo de azar estão vindo com toda força para a nova meca oriental.

Raro ponto de confluência global e integração de tantas culturas e tradições. Produto de suas próprias contradições o espirito local impressiona ao turista. O legado português, a influência inglesa, a decadente região portuária, a vizinha Hong Kong, os excessos do jogo e o contraste sempre presente da antiga e a nova China fazem de Macau uma experiência única.    Para que você viajante não se perca e sempre saiba a hora certa e o lugar certo para se estar, preparamos uma hot list com as melhores dicas de Macau.

Avenida de Almeida Ribeiro ou San Man Lo

Uma dos pontos tradicionais do comércio da cidade, são 620 metros de avenida com várias lojas de vinhos portugueses, charutos, joalherias. Como já percebeu, muitas coisas ali remetem aos nossos primos lusitanos. 

Largo do Senado

Com seus pavimentos típicos portugueses, que até mesmo lembram Copacabana, a viagem aqui é a sinestesia geográfica. 

Centro Histórico de Macau

Patrimonio cultural da Unesco, o centro histórico de Macau é passagem obrigatório, ainda guarda as caracteristicas de seu passado colonial e uma atmosfera de quando a China ainda era um pais pobre. 

Ruínas de São Paulo

A maior igreja católica da Ásia durante o período colonial. A Igreja em si não existe mais, foi consumida pelo fogo há muito tempo, restou apenas a faixa frontal. M as a fortaleza ao lado continua de pé abrigando o Museo.

Museu de Macau

A história local, seus colonizadores e colonizados se confunde com a história de quase toda a Ásia. Vá ao Museu de Macau e fique sabendo de tudo. Muitas referências aos portugueses pioneiros. 

Templo da Deusa A-Ma.

Quando as primeiras caravelas europérias e lusitanas desembarcaram na China, este foi o ponto de entrada. 

Fisherman’s Wharf de Macau

A exemplo de seu primo em San Franciso, o Fisherman's Wharf de Macau é um parque temático com muitas lojas, restaurantes e uma miríade de atrações.

Restaurante Fernando's 

Em Hak Sa Beach. Autêntico, simples e tradicionalíssimo, é uma ícone local. Nesta instituição, peça a galinha africada ou a sardinha frita. Ou os dois. 

Casino Lisboa

Pioneiro e clássico. Possui um estranho tipo de charme e alguma decadência mas é o mais emblemático da cidade. Vá e divirta-se. Um contraponto às novas franquias internacionais da cidade como os novos casinos Wynn ou Venetian.   Localizado em Taipa e conectado ao centro histórico de Macau pela ponte da amizade, são 360 quartos e suítes elegantementes decorados em um estilo de convergência, unindo elementos portugueses e chineses. Em seu quarto talvez você encontrará sedas e brocados chineses, enquanto em seu sofisticadíssimo banheiro verá bonitos azulejos artesanais da escola portuguesa.

À entrada do lobby sentimentos e sensações novas virão a você. No dramático espaço a atmosfera remete a um gigantesco antigo casarão português, com seus enormes alpendres, balcões, altíssimos pés direitos somados a elementos neoclássicos aos auspícios de toda sorte de badulaques, texturas e ornamentos orientais. Tons pastéis imperam como alusão ao espirito português e brasileiro.

Como de se esperar, uma vez que estamos tratando de um Four Seasons, é díficil encontrar nos quartos e nas demais dependências do hotel algo que não exista ou falte a um genuíno e expoente cinco estrelas. Tudo é do tamanho do tipo além do suficinte, banheiros, quartos, espelhos, armários. Até as cortinas são acionadas eletronicamente. Entre os mimos, o Four Seasons traz todas as tardes ao seu   room  chocolates confeccionados no próprio hotel entre uma variadade de docinhos e snacks típicos portugueses.

Em todos os quartos e suítes tem uma maquina de fazer chá e a água para a tal máquina é a água Fiji. Perto do lobby do hotel existe um mini   mall.   Três andares de lojas como Chanel, Louis Vuitton, Dolce e Gabbana, Bvlgari, Cartier....     Os paladares mais exigentes não ficam para trás. A amálgama de sabores presentes na convergência e ebulição cultural deste ponto de conflito do mundo é representada em dois excelentes restaurantes dentro do próprio hotel. 

  Zi Yat Heen : Um dos melhores restaurantes cantoneses da cidade. Recomendamos fortemente para começar a sopa de barbatanas de tubarão ou a provocativa sopa de saliva de pássaro. Indo adiante, camarões com pimentas à cebolinha e o arroz frito com camarão e lagosta. Já a sobremesa, recomendamos novamente creme de saliva de passaro com claras, tida como um grande tônico rejuvenecedor e inexorável afrodisiáco. O ambiente impressiona e ao centro do restaurante se observa o local donde repousam as mais de 500 opções de vinhos que certamente selarão a composição de uma grande refeição.

Belcancao : Imagine-se sentado em algum lugar imaginário entre Brasil e Portugal. Neste chiquérrimo buffet a proposta é a volta ao mundo através da gastronomia. Cada "estação" aonde você poderá escolher como encher o seu próximo prato remete a um local do globo. A estação indiana, comandada por uma dinastia de chefs da quarta geração oferece aquilo tudo que chamamos de alta gastronomia indu. Na estação ocidental, a infinidade de opções transpassam da nossa querida feijoada, bolinhos de bacalhau a moda lisboeta e até pizzas.

Entre os passeios, jogatinas e demais aventuras o ideal é saborear seu drinque preferido ou mesmo um novo coquetel com picardias orientais em alguns dos inúmeros bares que o hotel oferece, com o Bar Azul, Splash, Windows 

O hotel também conta com um complexo de cuidados pessoais, clínicas estética, piscinas, academia, saunas e etc...  

veja também