Machu Picchu, a cidade perdida dos incas

Machu Picchu, a cidade perdida dos incas

Atualizado: Quinta-feira, 3 Fevereiro de 2011 as 2:43

Você que sonha em conhecer Machu Picchu precisa saber de duas coisas sobre esta maravilha do mundo. Primeira: é longe, muito longe. Segunda: é caro, muito caro. Mas vale a pena? Vejamos.

Machu Picchu significa montanha velha. Aquela montanha que vemos atrás da cidade nas fotos é Wayna Picchu (montanha jovem). Machu Picchu foi criada pelos incas por volta do ano 1400. A misteriosa cidade de pedra, encravada no alto da montanha, a 2 400 m de altitude, foi resultado da expansão do Império Inca, cuja capital ficava em Cusco, a 110 km dali.

É difícil não se deslumbrar ao chegar a Machu Picchu. Como a cidade é controlada pelo governo do Peru, a entrada costuma começar pela parte mais alta, aquele ponto no qual você tem a cidade perdida aos seus pés. Machu Picchu é enorme e exige boas caminhadas para ser percorrida inteiramente. Mas a paisagem lá em cima revela muito mais. O cenário é espetacular. Aos seus pés, uma cidadde de pedra erguida há séculos. À sua frente, a imponência do Wayna Picchu, que também pode ser escalado. À sua esquerda, um precipício de 400 metros de altura cercado por montanhas, algumas mais altas do que Machu Picchu. Às suas costas, dezenas de metros acima, a casinha do guardião que zelava pela cidade. E, à sua direita, incríveis áreas agrícolas construídas em degraus pelos incas, bem como montanhas altíssimas com falhas geológicas. Lá embaixo, a pequena estação de trem de Machu Picchu Poblado, também conhecido como Águas Calientes. Tudo isso circundado pelo nervoso Rio Urubamba.

Machu Picchu levou 100 anos para ser construída. A cidade nasceu de baixo para cima. Mas a maravilhosa cidade de pedra ficou "perdida" durante cinco séculos, pois os incas a abandonaram quando o espanhol Francisco Pizarro rendeu o imperador Atahualpa em Cajamarca. Como os espanhóis destruíam tudo em sua sede por ouro, os 800 moradores de Machu Picchu decidiram abandonar a cidade para preservá-la. Nem mesmo o governo peruano sabia da existência das ruínas quando a cidade foi descoberta em 29 de julho de 1911, pelo professor norte-americano Hiram Bingham.

Machu Picchu foi feita com as próprias pedras que havia na montanha. Chove torrencialmente lá de novembro a março, daí a razão de os tetos das casas serem tão inclinados. A temperatura varia de 6 a 21 graus centígrados. Para visitar todos os pontos permitidos, são necessárias pelo menos quatro horas. O ideal é fazer uma viagem de no mínimo dois dias, hospedando-se em Águas Calientes, pois a viagem de trem desde Ollantaytambo é demorada.

# A viagem de avião de São Paulo a Lima dura 4h40min somente de voo, fora o tempo de embarque, desembarque etc.

# Cusco fica a 1 165 km de Lima, ou 1h30min de voo, quando o aeroporto não fecha. Evite ir muito cedo pela manhã.

# A verdadeira porta de entrada de Machu Picchu não é Cusco, e sim Ollantaytambo, que fica a 67 km de Cusco e a 43 km de Machu Picchu.

# O ideal é ir de trem desde Cusco, pois a estrada de carro é muito perigosa. Mas tenha paciência. Quando chegar a Olllantaytambo, deverá pegar outro trem, que levará mais 90 minutos até chegar a Águas Calientes.

# No pé da montanha, sobe-se a Machu Picchu de ônibus, mas alguns se aventuram a ir a pé. Haja fôlego. De ônibus o trajeto dura 25 minutos.

# A estação de Ollantaytambo é limpa e organizada. Para fazer xixi, é preciso pagar 1 sole (moeda local), entrando num dos restaurantes que oferecem "baños".

# A passagem de trem pode ser muito cara. O Backpacker custa US$ 65. O Vistadome sai por US$ 100. E o Hiram Bingham sai por US$ 475. Sim, eles cobram em dólares.

# Os ônibus que partem de Águas Calientes a cada 5 minutos sobem 400 metros num incrível ziguezague.

A entrada no Parque Nacional de Machu Picchu é um pandemônio, cheia de turistas por todos os lados. Por 5 soles (cerca de R$ 3), pode-se deixar roupas, casacos e outros pertences desnecessários num guarda-volumes. Dependendo do pacote comprado, a entrada no parque inclui uma refeição no bom restaurante que fica na saída. A comida é farta e gostosa. Uma garrafinha da cerveja Cusqueña, a melhor de lá, sai por 5 dólares. Lá em cima, tudo é muito caro. Mas, na saída, você pode carimbar seu passaporte com a estampa de Machu Picchu.

Depois de conhecer Machu Picchu, com as obrigatórias passagens por Cusco, Ollantaytambo e Águas Calientes, fica a sensação de que realmente vale a pena. O lugar é mágico, embora nem todos sintam a energia de lá. Mas a experiência de ver, pisar e tocar uma obra fantástica, feita aos longo de 100 anos por algumas centenas de incas, é incrível. Um exemplo do que a mão, a energia e a fantasia do homem podem realizar.

veja também