Manual dá dicas de competitividade a agências de turismo

Manual dá dicas de competitividade a agências de turismo

Atualizado: Quinta-feira, 30 Setembro de 2010 as 3:07

Com avanço da internet e popularização das passagens aéreas, pequenas agências de viagem encontram dificuldades para se manter no mercado

São Paulo - Dez mil agentes de viagem e receptivos em todo o País vão receber em breve o manual 'Estratégias de Inteligência Competitiva para as agências de viagens', que foi lançado nesta quarta-feira (29), na sede da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), em São Paulo.

O manual também será distribuído na Feira das Américas, um evento promovido pela entidade no Rio de Janeiro, em outubro.

O objetivo da publicação, que é uma iniciativa do ProAgência II (uma parceria entre Sebrae e Abav), é apontar as práticas e os conceitos da Inteligência Competitiva que devem ser utilizados pelo agente de viagens para antecipar-se às tendências mercadológicas e à evolução da concorrência.

Para o presidente da Abav, Carlos Alberto Amorim, o mercado de turismo no Brasil mudou muito e os agentes de viagem continuam como estavam há 10 anos. "Os agentes não têm acompanhado as mudanças. Queremos, com o manual, trazer mais capacitação e profissionalismo visando o futuro das agências no país". Segundo a Abav, 95% das agências de viagens são micro e pequenas empresas.

Uma das grandes preocupações da instituição, diz Amorim, é que as agências perderam o grande filão da venda de passagens aéreas, feita agora diretamente entre as companhias e os clientes. Pesquisa feita pelo Ministério do Turismo revela que 75% dos viajantes negociaram diretamente com os fornecedores de produtos turísticos e apenas 24% utilizaram as agências de viagem. "Agora é hora de inovar e buscar um relacionamento diferente", avalia Amorim.

A publicação está dividida em 10 capítulos que, de forma didática, oferece ao agente de viagens informações sobre como usar a estratégia para conquistar o cliente; como e quando aliar-se com o concorrente em Centrais de Negócios ou fazer parcerias para crescer. Mostra também como a Copa do Mundo foi bem aproveitada pela Alemanha, por exemplo, e como a Austrália evoluiu depois das Olimpíadas.

A coordenadora do projeto pelo Sebrae, Valéria Barros, diz que o desafio foi entregar um material inovador. "As pequenas agências ainda navegam sem rumo. O mercado de turismo coloca dois desafios: focar na melhoria do negócio e oferecer produtos que surpreendam as pessoas. Estamos às vésperas da Copa do Mundo e as agências precisam ultrapassar a linha dos roteiros e oferecer verdadeiras experiências aos clientes".

Capacitação

Para facilitar ainda mais o acesso das agências de viagem às técnicas da inteligência competitiva, o ProAgência II está percorrendo o País com a oficina 'Competitividade, um caminho para o sucesso', que percorrerá até o final do ano 35 cidades. Somente em outubro, o evento estará em 12 cidades brasileiras. Até o momento cerca de 1.500 pessoas já participaram.

"As estratégias do ProAgência estão absolutamente integradas. Nosso objetivo é sensibilizar esses agentes de viagem para a importância de se manter competitivos no mercado", diz o diretor do Instituto de Capacitação da Abav, Antonio Azevedo.

Com avanço da internet e popularização das passagens aéreas, pequenas agências de viagem encontram dificuldades para se manter no mercado

São Paulo - Dez mil agentes de viagem e receptivos em todo o País vão receber em breve o manual 'Estratégias de Inteligência Competitiva para as agências de viagens', que foi lançado nesta quarta-feira (29), na sede da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), em São Paulo.

O manual também será distribuído na Feira das Américas, um evento promovido pela entidade no Rio de Janeiro, em outubro.

O objetivo da publicação, que é uma iniciativa do ProAgência II (uma parceria entre Sebrae e Abav), é apontar as práticas e os conceitos da Inteligência Competitiva que devem ser utilizados pelo agente de viagens para antecipar-se às tendências mercadológicas e à evolução da concorrência.

Para o presidente da Abav, Carlos Alberto Amorim, o mercado de turismo no Brasil mudou muito e os agentes de viagem continuam como estavam há 10 anos. "Os agentes não têm acompanhado as mudanças. Queremos, com o manual, trazer mais capacitação e profissionalismo visando o futuro das agências no país". Segundo a Abav, 95% das agências de viagens são micro e pequenas empresas.

Uma das grandes preocupações da instituição, diz Amorim, é que as agências perderam o grande filão da venda de passagens aéreas, feita agora diretamente entre as companhias e os clientes. Pesquisa feita pelo Ministério do Turismo revela que 75% dos viajantes negociaram diretamente com os fornecedores de produtos turísticos e apenas 24% utilizaram as agências de viagem. "Agora é hora de inovar e buscar um relacionamento diferente", avalia Amorim.

A publicação está dividida em 10 capítulos que, de forma didática, oferece ao agente de viagens informações sobre como usar a estratégia para conquistar o cliente; como e quando aliar-se com o concorrente em Centrais de Negócios ou fazer parcerias para crescer. Mostra também como a Copa do Mundo foi bem aproveitada pela Alemanha, por exemplo, e como a Austrália evoluiu depois das Olimpíadas.

A coordenadora do projeto pelo Sebrae, Valéria Barros, diz que o desafio foi entregar um material inovador. "As pequenas agências ainda navegam sem rumo. O mercado de turismo coloca dois desafios: focar na melhoria do negócio e oferecer produtos que surpreendam as pessoas. Estamos às vésperas da Copa do Mundo e as agências precisam ultrapassar a linha dos roteiros e oferecer verdadeiras experiências aos clientes".

Capacitação

Para facilitar ainda mais o acesso das agências de viagem às técnicas da inteligência competitiva, o ProAgência II está percorrendo o País com a oficina 'Competitividade, um caminho para o sucesso', que percorrerá até o final do ano 35 cidades. Somente em outubro, o evento estará em 12 cidades brasileiras. Até o momento cerca de 1.500 pessoas já participaram.

"As estratégias do ProAgência estão absolutamente integradas. Nosso objetivo é sensibilizar esses agentes de viagem para a importância de se manter competitivos no mercado", diz o diretor do Instituto de Capacitação da Abav, Antonio Azevedo.

Com avanço da internet e popularização das passagens aéreas, pequenas agências de viagem encontram dificuldades para se manter no mercado

São Paulo - Dez mil agentes de viagem e receptivos em todo o País vão receber em breve o manual 'Estratégias de Inteligência Competitiva para as agências de viagens', que foi lançado nesta quarta-feira (29), na sede da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), em São Paulo.

O manual também será distribuído na Feira das Américas, um evento promovido pela entidade no Rio de Janeiro, em outubro.

O objetivo da publicação, que é uma iniciativa do ProAgência II (uma parceria entre Sebrae e Abav), é apontar as práticas e os conceitos da Inteligência Competitiva que devem ser utilizados pelo agente de viagens para antecipar-se às tendências mercadológicas e à evolução da concorrência.

Para o presidente da Abav, Carlos Alberto Amorim, o mercado de turismo no Brasil mudou muito e os agentes de viagem continuam como estavam há 10 anos. "Os agentes não têm acompanhado as mudanças. Queremos, com o manual, trazer mais capacitação e profissionalismo visando o futuro das agências no país". Segundo a Abav, 95% das agências de viagens são micro e pequenas empresas.

Uma das grandes preocupações da instituição, diz Amorim, é que as agências perderam o grande filão da venda de passagens aéreas, feita agora diretamente entre as companhias e os clientes. Pesquisa feita pelo Ministério do Turismo revela que 75% dos viajantes negociaram diretamente com os fornecedores de produtos turísticos e apenas 24% utilizaram as agências de viagem. "Agora é hora de inovar e buscar um relacionamento diferente", avalia Amorim.

A publicação está dividida em 10 capítulos que, de forma didática, oferece ao agente de viagens informações sobre como usar a estratégia para conquistar o cliente; como e quando aliar-se com o concorrente em Centrais de Negócios ou fazer parcerias para crescer. Mostra também como a Copa do Mundo foi bem aproveitada pela Alemanha, por exemplo, e como a Austrália evoluiu depois das Olimpíadas.

A coordenadora do projeto pelo Sebrae, Valéria Barros, diz que o desafio foi entregar um material inovador. "As pequenas agências ainda navegam sem rumo. O mercado de turismo coloca dois desafios: focar na melhoria do negócio e oferecer produtos que surpreendam as pessoas. Estamos às vésperas da Copa do Mundo e as agências precisam ultrapassar a linha dos roteiros e oferecer verdadeiras experiências aos clientes".

Capacitação

Para facilitar ainda mais o acesso das agências de viagem às técnicas da inteligência competitiva, o ProAgência II está percorrendo o País com a oficina 'Competitividade, um caminho para o sucesso', que percorrerá até o final do ano 35 cidades. Somente em outubro, o evento estará em 12 cidades brasileiras. Até o momento cerca de 1.500 pessoas já participaram.

"As estratégias do ProAgência estão absolutamente integradas. Nosso objetivo é sensibilizar esses agentes de viagem para a importância de se manter competitivos no mercado", diz o diretor do Instituto de Capacitação da Abav, Antonio Azevedo.

Com avanço da internet e popularização das passagens aéreas, pequenas agências de viagem encontram dificuldades para se manter no mercado

São Paulo - Dez mil agentes de viagem e receptivos em todo o País vão receber em breve o manual 'Estratégias de Inteligência Competitiva para as agências de viagens', que foi lançado nesta quarta-feira (29), na sede da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), em São Paulo.

O manual também será distribuído na Feira das Américas, um evento promovido pela entidade no Rio de Janeiro, em outubro.

O objetivo da publicação, que é uma iniciativa do ProAgência II (uma parceria entre Sebrae e Abav), é apontar as práticas e os conceitos da Inteligência Competitiva que devem ser utilizados pelo agente de viagens para antecipar-se às tendências mercadológicas e à evolução da concorrência.

Para o presidente da Abav, Carlos Alberto Amorim, o mercado de turismo no Brasil mudou muito e os agentes de viagem continuam como estavam há 10 anos. "Os agentes não têm acompanhado as mudanças. Queremos, com o manual, trazer mais capacitação e profissionalismo visando o futuro das agências no país". Segundo a Abav, 95% das agências de viagens são micro e pequenas empresas.

Uma das grandes preocupações da instituição, diz Amorim, é que as agências perderam o grande filão da venda de passagens aéreas, feita agora diretamente entre as companhias e os clientes. Pesquisa feita pelo Ministério do Turismo revela que 75% dos viajantes negociaram diretamente com os fornecedores de produtos turísticos e apenas 24% utilizaram as agências de viagem. "Agora é hora de inovar e buscar um relacionamento diferente", avalia Amorim.

A publicação está dividida em 10 capítulos que, de forma didática, oferece ao agente de viagens informações sobre como usar a estratégia para conquistar o cliente; como e quando aliar-se com o concorrente em Centrais de Negócios ou fazer parcerias para crescer. Mostra também como a Copa do Mundo foi bem aproveitada pela Alemanha, por exemplo, e como a Austrália evoluiu depois das Olimpíadas.

A coordenadora do projeto pelo Sebrae, Valéria Barros, diz que o desafio foi entregar um material inovador. "As pequenas agências ainda navegam sem rumo. O mercado de turismo coloca dois desafios: focar na melhoria do negócio e oferecer produtos que surpreendam as pessoas. Estamos às vésperas da Copa do Mundo e as agências precisam ultrapassar a linha dos roteiros e oferecer verdadeiras experiências aos clientes".

Capacitação

Para facilitar ainda mais o acesso das agências de viagem às técnicas da inteligência competitiva, o ProAgência II está percorrendo o País com a oficina 'Competitividade, um caminho para o sucesso', que percorrerá até o final do ano 35 cidades. Somente em outubro, o evento estará em 12 cidades brasileiras. Até o momento cerca de 1.500 pessoas já participaram.

"As estratégias do ProAgência estão absolutamente integradas. Nosso objetivo é sensibilizar esses agentes de viagem para a importância de se manter competitivos no mercado", diz o diretor do Instituto de Capacitação da Abav, Antonio Azevedo.

veja também