Mumbai - A verdadeira comida indiana e uma cena cultural cintilante

Mumbai - A verdadeira comida indiana e uma cena cultural cintilante

Atualizado: Quinta-feira, 23 Junho de 2011 as 8:56

É novamente Era do Jazz em Mumbai,a na Índia. A metrópole populosa está arrebentando de dinheiro do mercado de ações, sua cena de arte cintilante tem uma presença global cada vez maior e os jovens estão explorando suas recém-descobertas liberdades em bares pouco iluminados até altas horas da madrugada. De fato, nos círculos mais altos da cidade, champanhe é bebido toda noite e todos se conhecem. Mas grandes trechos de Mumbai, a antiga Bombaim, continuam imunes à homogeneidade do glamour global. Por trás dos bulevares movimentados estão inúmeros becos onde são vendidos cocos, são oferecidos cortes de cabelo e o trânsito frenético da cidade ocasionalmente pára sob forte buzinaço por causa de um bode solto.

Sexta-feira

17h - Sabores de praia

Quando migrantes dos arredores de Mumbai chegam, eles vão à Chowpatty Beach, uma praia surpreendentemente imaculada no meio desta cidade de cerca de 17 milhões de habitantes. As crianças rodam em carrosséis enferrujados; as famílias comem juntas espigas de milho; ambulantes vende algodão-doce cor-de-rosa. São oferecidos vários serviços, incluindo massagem para a cabeça e leitura da mão. Compre um saboroso prato de bhel puri -uma espécie de mistura de arroz tufado, chutney de alho, coentro e tamarindo- e caminhe em meio ao oceano sem divisão de classe de mumbaicares fazendo uma pausa.

19h - Um brinde à bela vista

Para uma vista do alto da cidade, vá ao topo do InterContinental Mumbai Marine Drive Hotel (135 Marine Drive; 91-22-6639-9999;   www.mumbai.intercontinental.com ). O bar de cobertura mais que badalado, o Dome, atrai os jovens ricos da cidade, que flertam com as belas garotas à beira da piscina. Ele também propicia vistas românticas do mar da Arábia e do arco gracioso da Marine Drive, o passeio à beira-mar também conhecido como Queen's Necklace (colar da rainha).

21h - Explorando o caranguejo

Os koli, uma casta hereditária de pescadores, estavam entre os habitantes originais de Mumbai. Eles ainda pescam e você pode provar o que pegam no Trishna (4 Sai Baba Marg; 91-22-2261-4991), um venerável restaurante de peixes e frutos do mar no distrito Kala Ghoda. As especialidades incluem lula fresca com alho, lagostim frito empanado, pomfret (salmão indiano) grelhado com pimenta-do-reino. Como prato principal, experimente o caranguejo salpicado com pimenta, alho e manteiga, acompanhado por dal Hyderabadi, uma sopa de lentilha condimentada. Jantar para dois com cerveja gelada custa cerca de 3 mil rúpias, aproximadamente US$ 70, com o dólar cotado a 43 rúpias.     Sábado

7h - Conferindo os peixes

Acorde cedo e vá até o mercado de peixes Ferry Wharf em Mazgaon Dock (Malet Bunder Road), aonde pescadores chegam após uma noite ou um mês no mar, recebem seu pagamento e compram jóias e CDs para suas esposas. Uma recente visita encontrou uma dúzia de lagostas por 900 rúpias, cação a 20 rúpias cada e uma arraia pintada por 1.500 rúpias. Mas, um alerta: o local é caótico. Trabalhadores equilibrando as cestas de peixes e frutos do mar em suas cabeças passam empurrando e o chão está coberto por uma lama de entranhas, sangue e gelo. É absolutamente proibido fotografar, mas a imagem do frenesi anárquico certamente permanecerá.

11h - Arrume-se

A Índia é conhecida por exportar tecidos sedutores, mas os estilistas locais estão obtendo renome para a moda indiana. Do outro lado da rua em frente ao hotel Taj Mahal Palace fica a Bombay Electric (1 Reay Marg, Best Marg; 91-22-2287-6276;   www.bombayelectric.in ), uma butique conceito em três pisos com terraço que personifica o novo cool indiano. Se você encomendar calças de equitação Jodhpur (7.500 rúpias), elas serão costuradas pelo alfaiate do Marajá de Jaipur, segundo a loja.

Meio-dia - Prêmio indo-iraniano

Poucos países exportaram sua culinária de forma tão bem-sucedida como a Índia. Mas ainda assim o que é possível encontrar em Nova York ou Londres tende a ser uma fração da diversidade culinária encontrada em casa. Veja, por exemplo, a velha comunidade iraniana do país, cuja cozinha é raramente encontrada fora do subcontinente. Siga os gourmets da cidade até o Britannia (11 Sprott Road, Ballard Estate; 91-22-2261-5264), um restaurante arejado com pé direito alto que mistura a cozinha indiana e persa. Pratos clássicos incluem sali boti, carne de carneiro cozida com molho de tomate e batata palha frita; e frango berry pulao, uma mistura agridoce de arroz, nozes, cranberries (oxicoco) e temperos. Para acompanhar peça um refrigerante de framboesa e, para sobremesa, um flan de caramelo. O almoço custa cerca de 600 rúpias para dois.

14h - Mercado dos ladrões

Para o intrépido caçador de tesouros, poucos locais de compras se equiparam ao sujo Chor Bazaar, um amplo labirinto de becos no coração do centro de Mumbai. O mercado é apertado e caótico, cheio de carroças de madeira que, se você se descuidar, passarão por cima de você. Espere encontrar antiguidades a preços de produtos descartáveis, incluindo candelabros da era colonial, relógios art déco e bugigangas de toda espécie e, em uma loja chamada Mini Market (33/31 Mutton Street; 91-22-2347-2427), uma grande pilha de cartazes originais de Bollywood é procurada por importantes colecionadores indianos. Pechinchar é obrigatório       16h - Caminhada artística

A cena de arte de Mumbai está explodindo e um bom lugar para descobri-la é o distrito Kala Ghoda, dentro de um bairro maior chamado Fort. Por trás de uma parede de vidro jateado fica o Bodhi Art (28 K. Dubash Marg; 91-22-6610-0124;   www.bodhiart.in ), uma galeria elegante que expõe pintores de vanguarda indianos como Atul Dodiya e que conta com filiais em Berlim, Cingapura e Nova York. Do outro lado da rua fica a galeria de Max Mueller Bhavan (K. Dubash Marg; 91-22-2202-7542), assim como a conhecida Jehangir Art Gallery (161-B Mahatma Gandhi Road; 91-22-2204-8212), com exposições rotativas e um café que alimenta os artistas e intelectuais de Mumbai.

20h - Grelhados e porta-malas

Antes de sair para uma noite glamourosa, se alimente em um restaurante do cidadão comum. A Bademiya (Tulloch Road; 91-99-6711-4183) é uma barraca lendária atrás do hotel Taj Mahal em Colaba, que serve a cozinha tradicional muçulmana de kebabs e pães finos como papel. Abra um jornal e coma como os moradores locais sobre o porta-malas do seu táxi ou entre discretamente na galeria vazia do outro lado da rua. O seekh kebab (uma empada de cabrito condimentada) e o boti kebab (cabrito marinado em iogurte) são os mais vendidos, assim como os rolinhos com recheio de carne e cebola. É difícil gastar mais do que poucas centenas de rúpias.

22h - Beijos à distância e bellinis

O pretensioso Blue Frog (D/2 Mathuradas Mills Compound, Lower Parel; 91-22-4033-2300;www.bluefrog.co.in ) pode ser o experimento mais ousado até o momento na vida noturna jovem, mas decadente, de Mumbai: uma tentativa de exibir música global atual em uma cidade criada em canções dos musicais de Bollywood. Um público animado lota o bar, acenando notas adornadas com Gandhi e pedindo bellinis aos gritos. Todo mundo parece se conhecer, com os elegantes recém-chegados mal conseguindo alcançar com dificuldade seus espaços reservados sem trombar com 12 pessoas com as quais foram à escola, trabalharam juntos ou com as quais dormiram.

1h - Bling de Bollywood

Apesar da nova vida noturna exagerada da cidade, a polícia tenta fechar tudo à 1h. Uma exceção é o Bling, no Leela Kempinski Hotel em Sahar, perto do aeroporto internacional (91-22-6691-1338), um clube noturno luxuoso que fica aberto até o café da manhã. Os garçons se vestem como magnatas do rap, os sofás são ornamentados com falsos cristais e o lounge VIP parece um aquário. Diferente dos megaclubes no sul de Mumbai, que tendem a tocar música pop ocidental, o DJ daqui mixa ritmos de Bollywood com hip-hop e house. A entrada custa 1.000 rúpias por casal, e "casal" é rigidamente definido como homem e mulher, o que às vezes deixa turistas gays em dificuldades.

Domingo

10h - Conferindo a realidade

A maioria dos mumbaicares, é claro, não pode pagar clubes noturnos e butiques elegantes. Para uma excursão esclarecedora pela incompreensível favela de Dharavi da cidade, reserve um lugar na Reality Tours and Travel (91-98-2082-2253;   www.realitytoursandtravel.com ). As excursões, que custam a partir de 400 rúpias e duram duas horas e meia ou mais, são seguras e reveladoras, mostrando os vários empreendimentos que brotam nesta favela gigante. Empresas de reciclagem e couro, por exemplo, surgiram entre as ruas escorregadias de óleo do bairro e suas moradias precárias -oferecendo outro exemplo de como esta megalópole inova em todos os níveis.

Informações básicas

Há táxis por toda parte e viagens curtas custam menos de 100 rúpias, ou cerca de US$ 2,30, com o dólar cotado a 43 rúpias.

Mumbai é carente de hotéis, o que explica as diárias tão caras em uma cidade onde o dólar ainda vale muito.

Se erguendo em vidro e aço em meio ao movimentado bairro de Worli fica o novo Four Seasons Hotel (114 Dr. E. Moses Road; 91-22-2481-8000;   www.fourseasons.com/mumbai ), situado convenientemente entre o norte e sul de Mumbai. Os quartos, que oferecem vistas de tirar o fôlego da cidade, custam a partir de 18.450 rúpias, com café da manhã.

Para um hotel de negócios eficiente e com vistas do mar da Arábia, o Trident Nariman Point (Marine Drive; 91-22-6632-4343;   www.tridenthotels.com ) dá conta do recado; diária dos quartos comuns a partir de 16 mil rúpias, com preços especiais para várias noites.

Uma das poucas pechinchas é o Ascot Hotel em Colaba (38 Garden Road; 91-22-6638-5566;www.ascothotel.com ), onde os quartos limpos e espaçosos custam a partir de 5.500 rúpias por noite, com café da manhã.    

veja também