Numa fria e numa boa: ideias para férias diferentes na neve

Numa fria e numa boa: ideias para férias diferentes na neve

Atualizado: Quarta-feira, 19 Janeiro de 2011 as 3:13

Essa época do ano é o ponto mais alto da temporada de esqui no hemisfério norte. Cada vez mais brasileiros preferem fugir do calor dos trópicos para experimentar as emoções da neve. A oferta é bem ampla: há pistas para todos os gostos: para esquiadores muito avançados e também para aqueles em busca de um tempinho com a família. É possível encontrar ainda festivais de inverno específicos para o público gay. E até para você que já tem certo conhecimento e quer ensinar um pouco há uma opção: no Canadá, é possível treinar e depois atuar como instrutor. O guia Time Out selecionou alguns destinos, entre clássicos e inusitados, para quem pretende fugir do calor e aperfeiçoar suas técnicas na neve. Escolha o roteiro que mais se parece com você.

VEJA FOTOS   1) Como se fosse o Polo Sul (Groenlândia)- A Antártica é o local mais impressionante do mundo para esquiar. Mas o preço é igualmente impressionante: pode chegar a US$ 22 mil (R$ 37 mil). Um pouco mais em conta e com o mesmo ambiente selvagem, você também encontra dias longos, um local absolutamente remoto e quedas íngremes de até 200 m em três fiordes no oásis ártico de Kangaamiut, na Groenlândia.

2) Conquista das montanhas (Canadá) - Se você é um esquiador habilidoso e tem disponibilidade para passar bastante tempo na neve, não perca a oportunidade de fazer um curso de 11 semanas em Fernie, Banff, Whistler, Red Mountain ou nas montanhas rochosas canadenses para ser instrutor.

3) Baixo orçamento (Chipre) - Alguns lugares exóticos da Europa, como Eslovênia, Romênia, República Tcheca e Croácia, oferecem alternativas baratas para quem não pretende gastar quantias absurdas na temporada de esqui. Mas, pela relação custo-benefício, as Montanhas Troodos, em Chipre (Turquia), são a recomendação de barganha. É bom saber que o lugar não é ideal para esquiadores mais dedicados, por isso, só vá até lá se estiver no espírito de pura diversão.

4) Teatro ao ar livre (Áustria) - Não, o espetáculo Hannibal: A Travessia dos Alpes não se trata de uma história de serial killer ambientada no gelo, mas sim de uma encenação a céu aberto que acontece todo mês de abril na geleira Rettenbach. A apresentação em arena natural conta a história de um comandante que atravessou os Alpes em direção a Roma, acompanhado de 6 mil guerreiros e um enorme rebanho que incluía nada menos que 37 elefantes.

5) Esculturas de neve (Áustria) - Festivais de artistas que transformam neve e gelo em formas surpreendentes se tornam cada vez mais comuns na Suécia, no Japão, na China e nos Estados Unidos. Alguns dos melhores trabalhos, porém, estão no festival Shapes in White, que tem início já em janeiro na Áustria. Escultores de todo o mundo são convidados a expor seus trabalhos.

6) Acomodações radicais (Alpes Suíços) - Proporcionar uma hospedagem que não agrida o planeta está mais do que na moda. Se você leva a sério o uso de energia consciente, uma opção ideal para suas férias é hospedar em um iglu sustentável, sem emissão de carbono. A rede Iglu-Dorf tem vilas de iglus em sete diferentes regiões nos Alpes e Pirineus, incluindo Andorra, Zermatt e St. Moritz.

7) Viagem gourmet (Alpes Suíços) - Quando se pensa em alimentação, é comum associar o período de férias dedicadas ao esqui como alguns dias à base de raclette e carnes frias. No entanto, nos Alpes, é possível encontrar restaurantes e hotéis que satisfazem tanto os amantes da gastronomia quanto os do esporte. Zermatt, na Suíça, chegou a ser apelidada de capital gastronômica graças aos restaurantes de ótima qualidade em suas montanhas e às visitas guiadas temáticas para os amantes da arte culinária.

veja também