O Egito dos Faraós

O Egito dos Faraós

Atualizado: Sexta-feira, 29 Outubro de 2010 as 12:53

O Egito é um daqueles lugares que sempre fizeram parte do nosso imaginário. Quem nunca sonhou em ver as Pirâmides, navegar no Nilo ou se aventurar no incrível deserto?

Na verdade a terra dos faraós é um lugar repleto de incríveis monumentos, belezas naturais quase desconhecidas e um povo bastante cativante apesar de viver muito próximo a linha da pobreza.

Chegar ao país através de sua capital, a cidade do Cairo, é como entrar em um sonho. Mulheres usando roupas que cobrem praticamente todo o corpo, muita poeira, um trânsito caótico onde automóveis e animais disputam a passagem, um gigantesco burburinho em uma língua incompreensível, pedintes para todos os lados e, mesmo assim, você fica fascinado.

Após se recuperar da primeira impressão é preciso encarar o calor do dia para conhecer as maravilhas espalhadas pela cidade. As milenares Pirâmides de Gizá, com a Esfinge como guardiã, dispensam apresentações. Na mesma área é possível visitar o Museu da Barca, onde uma das barcas solares do faraó Quéops, encontrada em 1950 totalmente preservada, espera pelos embasbacados visitantes.

O Museu do Cairo é um dos mais impressionantes museus do mundo! Repleto de múmias, objetos de uso pessoal, estátuas colossais, sarcófagos e pinturas, além do magnífico tesouro do Rei Tutacamon, é um programa de pelo menos metade do dia.

Há também a Cidadela, fortaleza construída por Saladino no século XII, o colorido mercado de Khan El-Khalili, onde é possível comprar desde temperos básicos até intricados trabalhos em ouro, impressionantes mesquitas como a de Muhammad Ali, mais conhecida como a Mesquita de Alabastro, além de monumentos da minoria católica como o Mosteiro de São Simão, com sua impressionante igreja esculpida diretamente na montanha.

Após explorar a capital, nada melhor que embarcar em um prazeroso cruzeiro pelo Nilo. Para isso é preciso partir até a cidade de Luxor onde vários barcos aguardam os ansiosos turistas. É possível fazer o percursso de carro, trem ou avião, tudo dependendo do valor que se pretende gastar. Apesar de ser a opção mais cara, encarar um vôo direto é a melhor opção. As empresas aéreas do Egito são bastante modernas e confiáveis e não cobram preços exorbitantes.

Luxor é impressionante!Com dois grandes templos: o de Luxor e o de Karnak, o maior do Egito, distantes apenas poucos quilômetros, a cidade também é o portão de entrada para o Vale dos Reis, das Rainhas e o Templo de Hatshepsut, a famosa faraó mulher. É impossível não se transportar até a época em que a nação era uma das mais poderosas da terra.

Os cruzeiros também passam pela pequena Edfu, com seu bem preservado templo construído durante a dinastia Ptolomaica, e por Kom Ombo, o lar do único templo dedicado a dois deuses em todo o país.

A última parada dos cruzeiros é Assuã, uma das cidades mais antigas do Egito e lar de monumentos magníficos como o Templo de Philae, dedicado a Isis e considerado o mais bem preservado do país. Outra boa opção é aproveitar o fim de tarde e fazer um agradável passeio de feluca, barcos a vela tradicionais feitos de madeira, que tranquilamente cortam as águas do Nilo proporcionando uma bela vista de monumentos como o Mausoléu de Aga Khan e a Ilha Elefantina, além do belo visual do sol se pondo nas dunas do deserto do Saara.

Para os mais dispostos o programa é pegar uma das vagas das caravanas escoltadas pelos militares e seguir até Abu Simbel, um pequeno povoado localizado no extremo sul do Egito, na antiga fronteira com a Núbia, e local onde o famoso faraó guerreiro Ramsés II construiu seus monumentais templos. É possível ficar apenas poucas horas no local antes da caravana voltar até Assuã, mas todo cansaço vale a pena.

Para quem não abre mão de uma boa praia é possível esticar o passeio até Alexandria, visitar sua moderna biblioteca construída no mesmo local que sua famosa antecessora, e rumar até Sharm el Sheik, considerada um dos melhores pontos de mergulho do mundo.

Para felicidade dos afortunados que conseguem visitar esse enigmático país tanto o inglês quanto o espanhol são falados pela grande maioria nos locais turísticos. Outra vantagem é a economia. Apesar do Egito adotar a Libra Egípcia, bem mais desvalorizada que o nosso Real em relação ao Dólar, a moeda americana é aceita em todos os lugares. Há casas de câmbio espalhadas pela cidade, inclusive nos principais hotéis. Para se ter uma idéia, uma garrafa de água mineral, comprada nos principais pontos turísticos, custa menos de US$1. As hospedagens também são muito mais baratas que nos outros países turísticos. É possível duas pessoas se hospedarem em um hotel internacional de luxo, vizinho as Pirâmides, por US$100 a diária, ou desfrutar de um incrível cruzeiro pelo Nilo de 4 noites e com todas as refeições e passeios incluídos por US$500.

O Egito exige visto do brasileiros. É possível retirá-lo diretamente na Embaixada do Egito em Brasília ou através de despachantes. Também é possível retirar diretamente no aeroporto do Cairo, mas lembre-se que você vai ter passado por várias horas entre vôos e escalas, bastante cansado, e que o processo pode demorar um pouco.

Não há vôos diretos entre Brasil e Egito, sendo necessária uma escala em alguma capital européia, em Dubai ou em Istambul.

Para quem esta planejando algumas regras básicas: pechinche muito, leve sempre algumas moedas para gorjetas chamadas localmente de "baquiche", tome somente água mineral, não esqueça do protetor solar e do chapéu e, a mais importante, aproveite muito o que este fabuloso país tem a oferecer.

veja também