Parque em São Paulo tem mais de 300 cavernas

Parque em São Paulo tem mais de 300 cavernas

Atualizado: Quarta-feira, 13 Janeiro de 2010 as 12

No title Numa caverna no meio da mata, um grupo de turistas imersos até o pescoço num rio dentro da pedra se empenha em não perder a corda embaixo da água que lhes mostra o caminho. A alguns metros dali, outro grupo acaba de chegar a uma cachoeira escondida dentro de outra caverna e os mais corajosos já se sentam embaixo da água extremamente gelada.

Estas cenas não acontecem em algum lugar remoto da Amazônia. Pelo contrário, as cavernas descritas (caverna Alambari de Baixo e caverna Água Suja) ficam perto de algumas das principais capitais brasileiras: a 189 km de Curitiba e a cerca de 300 km de São Paulo. Estamos falando do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar) - que guarda 35 mil hectares de Mata Atlântica preservada e mais de 300 cavernas, além de cachoeiras, trilhas, sítios arqueológicos. Ali também vivem dez comunidades quilombolas, sendo a maior concentração do Estado de São Paulo.

O parque fica em São Paulo, nos municípios de Apiaí e Iporanga. A visitação das cavernas (maior atração do local) é restrita. Das mais 300, apenas 12 estão abertas ao público. Mesmo assim, cada grupo de oito pessoas deve ser acompanhado de um monitor e todos devem carregar uma lanterna (não é permitido o uso de carbureteiras), vestir calçados adequados e camisetas que protejam os ombros.

Porém, depois de entrar na caverna de Santana - a mais famosa e bonita do parque -, não dá para dizer que não vale a pena o esforço. Com 7 km de extensão, Santana tem estalactites e estalagmites impressionantes, além de fornecer encontros improváveis, como com uma formação que parece um tecido feito de pedra, de tão fina e delicada.

Além das cavernas, o Petar tem mais de 20 cachoeiras. A mais bonita é a Andorinha, onde a entrada na água não é permitida em razão da força da queda. No mesmo caminho que leva a ela (a trilha do rio Betari), fica a cachoeira do Betarizinho, esta sim própria para o banho.

Os aventureiros já devem ter percebido que o lugar é perfeito para esportes radicais. Não estão errados. Nas cachoeiras, cavernas, trilhas e nos rios do Petar, é possível praticar bóia cross, rapel, trekking, mergulho dentro das cavernas, entre outras modalidades.

Por: Mariana Desidério

veja também