Parques temáticos, Hollywood e eventos culturais fazem de Los Angeles a capital mundial do entretenimento

Parques temáticos, Hollywood e eventos culturais fazem de Los Angeles a capital mundial do entretenimento

Atualizado: Terça-feira, 15 Junho de 2010 as 10

A combinação de parques temáticos, estúdios de cinema, museus e espetáculos de música e dança é o que leva cerca de 26 milhões de visitantes por ano a Los Angeles, nos Estados Unidos. A Meca do cinema é também uma das capitais mundiais do entretenimento, ao lado de Las Vegas, Orlando e Nova York. A cidade, que oferece atrações para públicos de todas as idades, é uma ótima opção para viagens de férias com a família.

A visita a Los Angeles mostra a realidade dos cenários de cinema. Lá estão Hollywood, Beverly Hills, Malibu, Long Beach, Downtown e a até a violenta South Central, onde é gravada boa parte dos filmes americanos que têm como temática as brigas de gangues. Os estúdios de Walt Disney, da Universal, Warner Bros., ABC, CBS e NBC também estão instalados na cidade. A 50 km do centro, em Anaheim, fica a Disneylândia, o primeiro parque temático erguido por Walt Disney, criador dos personagens Mickey Mouse e Pato Donald.

Além disso, Los Angeles abriga pelo menos dois importantes museus, o Getty Center e o LACMA (Los Angeles County Museum of Arte), e dezenas de teatros, cinemas e grandes casas de espetáculo.

A noite de Los Angeles é tão agitada quanto o dia. Hollywood, Venice e Sunset Boulevard têm casas noturnas, bares e cozinhas de todos os tipos, mas quem não faz reserva antecipadamente pode ter de esperar até uma hora por uma mesa em um dos restaurantes da moda. Multiétnica, a cidade oferece expressões artísticas de várias partes do mundo.

Quem vai a Los Angeles na expectativa de fazer compras pode sair frustrado. A cidade é cara, e os artigos de luxo têm preço para super stars. Vale a pena visitar a Rodeo Drive, um dos centros comerciais mais sofisticados do mundo, mas quem quer economizar deve comprar nas lojas de pechinchas de Chinatown, no centro, ou na Third Street, em Santa Monica, onde se encontram grifes mais jovens, com artigos mais acessíveis do que os de Rodeo Drive.

Os custos com comida, bebida, hotéis, transportes e estacionamentos são altos. Um casal que decide levar os filhos à Disleylândia deve estar preparado para gastar pelo menos US$ 700 por dia, entre ingressos para quatro pessoas, alimentação, hospedagem e transporte. Somente em 2007, turistas e participantes de convenções deixaram US$ 14,2 bilhões na cidade, de acordo com informações do Los Angeles Convention and Visitors Bureau.

Geografia e história

Los Angeles tem aproximadamente 4 milhões de habitantes, segundo dados divulgados pelo governo norte-americano em 2007. É a maior cidade da Califórnia e a segunda mais populosa dos EUA, depois de Nova York, com 8,2 milhões de habitantes.

A cidade é ensolarada durante quase todo o ano. O clima é quente, com baixo nível de umidade, e as temperaturas médias da região ficam em 13ºC e 23ºC . Diferentemente de San Francisco, outra importante cidade da Costa Oeste dos EUA, é possível tomar banhos de sol e de mar no sul da Califórnia. Chove pouco, a temperatura da água é mais agradável e não há ventos frios na maior parte do ano. Nudismo, bebida alcoólica e fumo não são permitidos nas praias de Los Angeles.

A cidade é rodeada pelas montanhas de Santa Monica e de San Gabriel, municípios que integram a Grande Los Angeles, e tem 120 km de costa (de Malibu a Long Beach).

Foi inicialmente explorada por europeus em 1769. Dois anos mais tarde, o missionário franciscano padre Junipero Serra e um grupo de seguidores espanhóis fundaram a Missão de San Gabriel. Na época, o território era habitado por índios. A cidade começou a ser construída dez anos depois, em 4 de setembro de 1781, quando 44 colonos de Sonora e Sinaloa, no México, instalaram suas casas na região que hoje é conhecida como Downtown Los Angeles. Entre os colonos havia hispânicos, índios, negros e mestiços. Eles se misturaram aos índios que habitavam a área.

Inicialmente, o local foi chamado de Nuestra Senora La Reina de Los Angeles ou de Town of Our Lady the Queen of the Angels (Cidade da Nossa Senhora Rainha dos Anjos). Em 1835, o território foi oficialmente declarado cidade. Em agosto de 1846, soldados americanos chegaram ao local, que foi incorporado aos EUA em 4 de abril de 1850.

veja também