Pasaje Lanín: a rua mais artística de Buenos Aires

Pasaje Lanín: a rua mais artística de Buenos Aires

Atualizado: Segunda-feira, 23 Maio de 2011 as 8:43

No tradicional bairro de Barracas, o pintor Marino Santa María cobriu as casas de Pasaje Lanín com coloridos mosaicos, transformando a rua em um interessante ponto turístico

Entre os grandes galpões do antigo bairro de Barracas está um dos segredos de Buenos Aires, o Pasaje Lanín. Ali, o pintor Marino Santa María decidiu cobrir com mosaico a frente da casa onde nasceu, cresceu e instalou o seu ateliê, no número 33 da mesma rua. A ideia agradou os vizinhos que, aos poucos, foram pedindo que ele também enfeitasse as fachadas de suas casas.

O ano era 2001 e com o tempo a rua acabou virando um colorido museu a céu aberto. Hoje, 10 anos depois, é uma das obras de arte públicas mais importantes da cidade, apoiada pelo Ministério da Cultura argentino, pela Unesco e pelo Museo Nacional de Bellas Artes.

São cerca de 40 casas entre a Rua Brandsen e a Avenida Suárez coloridas com diferentes formas levando em conta o estilo de cada edifício e o gosto de seus donos. ?Não há outra rua assim na América do Sul, feita toda de mosaico e por um só artista. É uma intervenção artística permanente?, explica Marino Santa María.

Além das fachadas das casas, ao final da rua, por onde passa a linha do trem, um paredão de tijolo foi restaurado pelo artista e recebe exposições de arte. O próximo objetivo é iniciar um intercâmbio com outros países para projetar exibições audiovisuais de artistas internacionais.

Apesar do interesse das pessoas pelo lugar, o objetivo não é que ele se transforme em um ponto de passagem de milhares de pessoas, como acontece com o Caminito, em La Boca, e sim que a arte conviva realmente com a vida cotidiana. E isso se vê na tranquilidade da rua, constantemente admirada por quem passa por ali no dia-a-dia, seja um turista curioso ou um vizinho passeando com o cachorro. ?O principal resultado foi dar uma nova identidade ao bairro de Barracas?, diz o artista. Marino Santa María, filho de Marino Pérsico, um dos primeiros ceramistas argentinos, dá aulas de arte em seu ateliê, com cursos de pintura, mosaico e desenho, ensinando tudo que sabe para adultos e crianças.

O artista é responsável também por outras intervenções famosas de Buenos Aires, como o retrato de Carlos Gardel no Pasaje Zelaya, em Abasto, e um mural de mosaico em homenagem ao movimento das mães da Plaza de Mayo, que lutam na justiça por seus filhos desaparecidos durante a ditadura militar, entre as ruas Alsina e Sáenz Peña, no centro.

veja também