Passagens aéreas devem ser influenciadas por conta da alta do dólar

Passagens aéreas devem ser influenciadas por conta da alta do dólar

Atualizado: Sexta-feira, 30 Setembro de 2011 as 9:48

A alta do dólar deve influenciar negativamente o preço dos transportes. Passagens aéreas, veículos e combustíveis podem sofrer elevação nos preços, por conta da valorização da moeda norte-americana.

O aumento de 30 pontos percentuais na alíquota de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para veículos importados mexeu com o mercado automotivo e, por consequência, com o bolso dos consumidores.

Além de sofrer aumento por conta do aumento do imposto, os veículos importados podem sofrer com a alta do dólar. “Os preços naturalmente vão aumentar, mesmo aqueles que possuem uma porcentagem pequena de peças importadas”, explica a assessora econômica da Fecomercio (Federação do Comércio do estado de São Paulo), Julia Ximenes.

De acordo com ela, os preços das peças, matérias-primas e componentes em geral são definidos pelo câmbio, por isso, os veículos importados podem sofrer “impacto, mesmo que indiretamente”, completa Julia, estimando que o aumento dos preços “já poderá ser sentido no fechamento de setembro”.

Combustível

Outros itens que devem ficar mais caros são os combustíveis. Segundo Julia, houve um aumento do volume de etanol importado no Brasil e isso “pode impactar mais no preço do combustível, sensação que já pode ser percebida pelo consumidor”.

No caso da gasolina, o cenário não é diferente, embora possa aumentar de forma mais discreta, por causa do álcool anidro. “Se o etanol ficar caro, o consumidor vai migrar para a gasolina e vai aumentar a procura pelo derivado do petróleo”, afirma.

Viagens

No caso das passagens aéreas, o preço do querosene para aviação pode ser o principal vilão, embora não tenha aumentado.

Segundo o economista da FGV (Fundação Getúlio Vargas), André Braz, as passagens domésticas seguem tendência de aumento. “Por conta da compra antecipada para as férias, será possível perceber o aumento imediatamente”, explica.

Em relação ao dólar, Braz comenta que a alta deve encarecer os produtos usados pelas empresas, além dos custos com salários e mão de obra.

veja também