Passeio por Oxford revela inspirações para "Alice no País das Maravilhas"

Passeio por Oxford revela inspirações para "Alice no País das Maravilhas"

Atualizado: Quinta-feira, 29 Abril de 2010 as 12

Personagens e cenários de "Alice no País das Maravilhas" foram inspirados no "mundo real", mais especificamente na cidade de Oxford, interior da Inglaterra, e na faculdade Christ Church. Lá, Lewis Carroll -Charles Dodgson, seu nome verdadeiro- viveu cerca de 50 anos e escreveu seu livro mais conhecido.

Oxford fica a aproximadamente 80 km a noroeste de Londres (50 minutos de trem) e é uma visita obrigatória para quem quer conhecer os cenários e personagens históricos que inspiraram as aventuras de Alice. Um tour pela universidade em que Carroll viveu e um passeio pelos pontos da cidade mais relevantes para sua obra podem ser feitos durante uma manhã, ambos acompanhados por guias.

O livro de Carroll teria surgido de sua amizade com Alice Liddell, filha do reitor da Christ Church. Por isso, o ideal é começar o passeio com uma visita a essa universidade, que serviu também de inspiração para os filmes da série Harry Potter. A faculdade, uma das mais prestigiosas de Oxford, é ainda sede de diocese, e se orgulha de ter produzido 13 primeiros ministros, mais do que qualquer outra faculdade da cidade.

Em Christ Church, é possível visitar os jardins, pátios e salões que inspiraram Carroll, seus aposentos e a biblioteca onde trabalhou. Lá viveram também Alice e sua família, e é possível ver ainda hoje locais e objetos, como a porta do "jardim proibido", descritos no livro e usados como referência para as ilustrações "definitivas" de John Tenniel. Para compor o personagem da Rainha de Copas, a atriz Helena Bonham Carter visitou a universidade e passeou por seus jardins e praças.

"Alice nos País das Maravilhas" teria nascido durante passeios de barco pelos rios Tâmisa e Charwell, que passam ao fundo do terreno da faculdade. Carroll costumava levar Alice e suas irmãs para caminhar pelas margens do rio e andar de barco. Numa dessas vezes, contou às meninas o que viria a ser o embrião da história. Esse passeio ainda pode ser feito, e há uma empresa que faz o passeio de barco pelo Tâmisa durante o verão.

As margens do Charwell e a alameda de carvalhos que retorna do Tâmisa à faculdade são um belo passeio para se fazer num dia de sol, mesmo que sem fazer o passeio de barco.

Depois de visitar a Christ Church e passear às margens do Charwell e do Tâmisa, vale fazer um tour pelos pontos mais importantes da cidade. O Centro de Informações a Turistas (Tourist Information Centre), em Broad Street, faz passeios guiados (em inglês) pela cidade. Esses passeios incluem a Bodleian Library, uma das bibliotecas mais antigas da Europa, o Museu da História da Ciência --que guarda os equipamentos fotográficos de Carroll-- e o Museu de História Natural. Lá, há uma vitrine dedicada a "Alice", em que está exibição o esqueleto de dodo que teria inspirado Carroll a colocar esse animal no livro. Diz-se que ele se identificava com o animal, pois, sofrendo de uma leve gagueira, tinha dificuldade de pronunciar seu sobrenome, Dodgson: "Do-dodgson", dizia...

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também