Pichações feitas no Cristo Redentor são apagadas

Pichações feitas no Cristo Redentor são apagadas

Atualizado: Segunda-feira, 19 Abril de 2010 as 12

As autoridades do Rio de Janeiro apagaram as pichações feitas por um grupo de vândalos na estátua do Cristo Redentor, uma das oito novas maravilhas do mundo.

A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) informou hoje que "já não há mais de pichações no Cristo Redentor", depois que o prefeito da cidade, Eduardo Paes, ordenou que elas fossem limpas em um prazo de 48 horas.

O ataque, qualificado pela Prefeitura como vandalismo, foi realizado por um grupo de desconhecidos que aproveitou que a entrada do monumento tinha sido fechada pelos desmoronamentos de terra nas vias de acesso ao topo do Corcovado para pintar a estátua.

Os autores das pichações aproveitaram os andaimes colocados por uma empresa contratada para restaurar a estátua e escreveram frases de protesto nos braços, peito e rosto do Cristo.

"Onde está a engenheira Patricia?", dizia uma das pichações em referência a uma jovem desaparecida em 2008 em um crime atribuído à Polícia. "Quando os gatos saem, os ratos fazem a festa", dizia outra.

Segundo porta-vozes da Prefeitura, um grupo de peritos da Polícia Federal esteve no Cristo para tentar descobrir pistas que permitam identificar os autores do primeiro ato de vandalismo sofrido pelo monumento em quase 80 anos.

O ataque foi descoberto ontem, quando a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e o prefeito do Rio de Janeiro visitaram o monumento para inspecionar as obras de restauração e os trabalhos para liberar as vias de acesso.

"Lesa pátria"

O prefeito qualificou o ato como um "crime de lesa pátria", já que o Cristo Redentor, inaugurado em 1931, foi declarado patrimônio nacional em dezembro.

O monumento, de 38 metros de altura, está localizado no topo do Corcovado e dentro do Parque da Tijuca, uma reserva ambiental.

Presume-se que os vândalos chegaram até o monumento por um dos caminhos que atravessam o parque, o que fez com que o Governo ordenasse o reforço da guarda florestal.

O acesso ao Cristo deve ser desbloqueado antes da quarta-feira, a fim de aproveitar o feriado de Tiradentes.

As chuvas da semana passada, que deixaram até agora 253 mortos, bloquearam não só a estrada que chega até o monumento, mas também a linha do trem turístico que sobe até o Cristo.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também