Portos terão programa de estímulo a turismo

Portos terão programa de estímulo a turismo

Atualizado: Segunda-feira, 25 Maio de 2009 as 12

O lançamento, em junho, de um programa de fomento ao turismo marítimo, pela Secretaria Especial dos Portos (SEP), em parceria com o Ministério do Turismo, pode estimular os aportes internacionais no setor. Um dos objetivos é revitalizar as áreas portuárias, ações que, em conjunto com as obras de aprofundamento dos portos, podem animar as companhias, não só a trazer mais navios, como também a investir em terminais de passageiros, a exemplo do que fazem mundo a fora.

"Empresas como MSC Cruzeiros e Royal Caribbean têm interesse em parcerias público-privadas no País", revelou Eduardo Vampré do Nascimento, presidente da Associação Brasileira de Representantes de Empresas Marítimas (Abremar), incluindo que em outros países elas chegam a investir em terminais de passageiros cifra que beira US$ 1 bilhão, em cada um deles, em projetos como o de Saint-Martin, no Caribe, o de Istambul, na Turquia, e de Falmouth, na Jamaica.

Para José Di Bella, secretário adjunto da SEP, os 34 portos públicos do País podem também gerar oportunidades. "Poderíamos ter novos terminais mediante arrendamento de áreas portuárias, por exemplo. Aqueles que têm interesse podem trazer seus projetos. Assim, seriam analisados e licitados", disse, ao concluir que os terminais contribuem com a relação porto-cidade, aquecendo a economia dos municípios.

O secretário considera a Copa de 2014 uma oportunidade ao setor. "Os cruzeiros também podem ser associados à Copa que está por vir", comentou ele. Di Bella confirmou para o mês que vem o lançamento do "Programa de Infraestrutura Portuária para o Turismo Marítimo Sustentável", que deve, entre outras atribuições, revitalizar áreas portuárias.

Dentro do plano terão prioridade inicial cidades como Fortaleza, Recife e Salvador, no Nordeste, além de Porto Alegre, Pelotas e Rio Grande, no Sul. Santos (SP) também deve ter sua parcela. Por enquanto estão previstos mais de R$ 3 milhões, entre Salvador, Recife e Rio Grande. Os únicos portos que possuem terminais estruturados são o de Santos, com o Concais, e o Píer Mauá no Rio de Janeiro, por concessão.

Empresas

Depois de terem visto na temporada 2008/2009 um fluxo de 500 mil turistas - 25% a mais do que na anterior-, as empresas de cruzeiros aceleram estratégias comerciais para garantir um bom movimento no período 2009/2010.

Ricardo Amaral, representante da Royal Caribbean no Brasil, contou ao DCI que em junho a companhia deve abrir escritório em São Paulo, pois a "América do Sul é um mercado estratégico". Um dos principais executivos da Royal deve vir ao Brasil, e a empresa já comercializa roteiros parcelados para retomar as vendas, que estão abaixo do esperado devido à cautela do consumidor. Em 2009, virão dois navios, perante apenas um na temporada 2008/2009.

A MSC reforçou o marketing, conforme colocou Fábio Trigo, diretor financeiro da empresa no Brasil. "Teremos aumento de 55% na oferta, pois, apesar da crise, esse setor tem um potencial grande, embora as vendas, por enquanto, estejam fracas", explicou. Ele disse que desta vez virão seis navios; ano passado, foram quatro. A MSC também aposta em financiamentos de pacotes e promoções para alavancar as vendas.

A companhia CVC Cruzeiros, considerada a responsável pelo maior fluxo de passageiros da última temporada [170 mil], confirmou quatro navios e diz observar o mercado para sondar a necessidade de adicionar mais embarcações turísticas. Na última temporada, foram seis navios.

Companhias como Royal, MSC Cruzeiros e Costa têm interesse em fazer parte de parcerias público-privadas no País, para investir em terminais de passageiros, a exemplo do que fazem em outros países.

veja também