Praças de Roma

Praças de Roma

Atualizado: Quinta-feira, 25 Novembro de 2010 as 12:05

Se há uma coisa que Roma esbanja isso com certeza é charme! A capital italiana respira um ar de grandeza herdado desde os tempos imperiais, com seus "palazzi" medievais e cortada por charmosas ruelas repletas de monumentos legados por grandes vultos de seu passado glorioso.

Mas se você quer mesmo absorver o ar da capital italiana, é imprescindível passar algum tempo curtindo suas coloridas "piazzas", com cafés charmosos, artistas e a certeza de estar em um cenário onde grandes fatos já ocorreram e onde as pedras contariam grandes histórias.

Selecionamos alguns destes magníficos pontos de encontros de arte, cultura e requinte para você!

Piazza Del Campidoglio

O Monte Capitolino no passado abrigava importantes templos aos deuses Júpiter, Juno e Minerva, tríade principal do panteão romano, e sempre esteve relacionado a grandes eventos.

Muito embora seu autor não chegasse a ver a obra pronta, o desenho desta praça como a vemos hoje é do afamado Michelangelo, a pedido do Papa Paulo III, da família Farnese. Michelangelo propôs reformas nos dois palácios existentes no Campidoglio, a criação de um terceiro palácio e uma série de esculturas clássicas.

Uma majestosa estátua eqüestre do imperador Adriano é o ponto focal da praça, que abriga também os famosos Museus Capitolinos, visita obrigatória aos fãs de história.

Piazza di Spagna

Situada ao final da elegantíssima Via dei Condotti, a Piazza di Spagna é um dos principais pontos de encontro da cidade e também um cartões postais mais conhecidos de Roma. Ao verão, quando recebe uma generosa decoração floral, é especialmente encantadora e não raro freqüentada por jovens conversando ou tocando violões.

Uma das imagens icônicas de Roma, a Scalinata di Spagna foi construída com a intenção de facilitar a vida dos peregrinos que entravam pela Porta di Popolo e subiam em direção à Igreja de Trinitá dei Monti na Roma medieval.

A Fontana della Barcacia, que alivia o calor dos turistas no verão, é uma das mais inusitadas da cidade, no formato de uma barca afundando. Segundo a lenda, a inspiração veio do próprio Papa Urbano VIII ao topar neste local com uma embarcação arruinada após uma enchente no Rio Tibre.

Piazza Del Popolo

Esta bela e ampla praça encontra-se ao final de três das mais movimentadas ruas do setor histórico de Roma: a Via de Corso, tradicional artéria de comércio, a Via Del Babuino, que também abriga muitas lojas de grife e a Via Ripeta, que passa ao lado do Mausoléu de Augusto e do Ara Pacis.

A grandiosidade da obra que hoje vemos data da Idade Média, mas muito antes o local já marcava a porta de saída para a Via Flamínia, principal acesso ao norte da Itália na época do grande império romano. O destaque é o imenso obelisco erigido pelo faraó Ramses II trazido como símbolo de vitória pelo Imperador Augusto.

Onde os vértices das três avenidas se encontram foram edificadas duas belas igrejas gêmeas, Santa Maria dei Miracoli e Santa Maria in Montesanto, ambas do século XVII.

Piazza della Minerva

Diante do que um dia já foi um templo romano, convertido na deslumbrante igreja de Santa Maria Sopra Minerva esta elegante e simpática piazza ostenta a curiosa escultura de um elefante fazendo as vezes de suporte para mais um dos obeliscos trazidos do Egito.

O elefante foi encomendado a Bernini pelos frades dominicanos que desejavam uma decoração diferente e simbólica, que segundo a tradição, representa a sabedoria e a devoção.

Piazza Venezia

Localizada no sopé da colina do Capitólio, a Piazza Venezia é uma das mais importantes da cidade. Além de ser o marco zero de Roma, seu centro geográfico, e um lugar de importância histórica.

Bem arborizada, a praça é um abrigo nos dias do escaldante verão romano, apresentando vistas magníficas, como a do Monumento Nacional a Vittorio Emanuele II, os Mercados de Trajano e ao longe o símbolo maior da cidade, o Colosseu.

Piazza Navona

A célebre Piazza Navona, considerada uma das mais belas praças barrocas do mundo, é um dos mais agradáveis pontos da cidade para se curtir a arte da "Dolce Vita". Por todos os lados artistas vendem suas pinturas e músicos de todas as vertentes competem por atenção enquanto você sorve uma deliciosa xícara de capuccino.

Sob as ruínas de um antigo estádio do imperador Domiciano, as residências foram construídas utilizando as arquibancadas como sustentação, o que garantiu que o formato ovalado fosse preservado. A Navona somente foi considerada uma praça no século XV quando passou a abrigar o mercado da cidade. Sua característica barroca atual é um resultado da remodelação que o Papa Inocêncio X ordenou no século XVI.

Entre as obras encomendadas está a impressionante Fontana dei Quattro Fiumi, trabalho de Bernini que representava os quatro principais continentes através de seus rios mais importante: o Nilo na África, o Ganges na Ásia, o Rio da Prata na América e o Danúbio na Europa, além de outras duas "fontanas", a di Nettuno e a Del Moro, ambas obras de Giacomo della Porta.

O antigo palácio do Papa Inocêncio X, o Palazzo Pamphilj, desde 1920 abriga a embaixada do Brasil.

Piazza della Rotonda

Circundada por palácios do Século XVIII tem como seu vizinho mais ilustre o Pantheon em pessoa, e no seu centro, como não poderia deixar de ser em qualquer "piazza" que se preze, mais um obelisco trazido do Egito.

Com muitos bares e restaurantes é um dos mais agradáveis pontos para um jantar ao ar livre sem perder por um único segundo a vista do mais bem preservado monumento do período imperial.

À noite uma variedade de músicos dá o tom do show: de música tradicional à bossa nova.

Piazza S. Pietro

Em pleno centro do catolicismo, no Vaticano, e graciosamente emoldurando a Basílica de São Pedro, a "piazza" à sua frente é uma das mais belas obras de arquitetura jamais projetada, e a obra prima do célebre Bernini.

A ampla área central é decorada por um enorme obelisco egípcio coroado com uma cruz, simbolizando a vitória da Igreja sobre os antigos deuses. Este é o palco das missas campais do Papa, abrigando os milhares de fiéis que aos domingos se aglomeram para ouvir as palavras do líder religioso.

Imensas e fabulosas colunatas em estilo clássico adornam as duas laterais da igreja, exibindo imagens de centenas de santos.

veja também